segunda-feira, 17 de setembro de 2018

CONCORRÊNCIA DO SSA SÓ SERÁ LIBERADA APÓS ELEIÇÃO DA REITORIA

Foto: Portal NE10

De acordo com o presidente da comissão organizadora do Sistema Seriado de Avaliação (SSA), Ernani Martins, a concorrência do processo seletivo só será divulgado na última semana de setembro, após as eleições para o novo reitor da UPE, que acontece dia 19.

O SSA é dividido em três etapas, ao final de cada série do Ensino médio. Este ano as provas acontecem nos dias 18 e 19 de novembro para os alunos do terceiro ano, sendo o SSA 3 e nos dias 2 e 3 de dezembro, para estudantes do primeiro e segundo ano, sendo respectivamente os SSA 1 e 2. Este ano, as três etapas somaram um total de 52,106 inscritos, tendo um aumento de pouco mais de 10% no número de candidatos do ano anterior.

Os candidatos responderão 90 questões objetivas de disciplinas de acordo com o ano. Inscritos na terceira etapa também deverão produzir uma redação.
Os detalhes de inscrição, bem como edital da prova estão disponíveis na Pagina do SSA

BOLSONARO SOBE PARA 33% DOS VOTOS; HADDAD SALTA PARA 16% E EMPATA COM CIRO EM 2º, MOSTRA PESQUISA


Jair Bolsonaro, no leito do Hospital Israelita Albert Einstein em São Paulo
(@jairbolsonaro/Twitter)
Jair Bolsonaro (PSL) despontando no primeiro lugar tanto nos cenários de voto espontâneo quanto estimulado e uma ascensão nas intenções de voto do candidato Fernando Haddad (PT), após ele ser oficializado como o nome do partido na última terça-feira (11).

É o que mostra a mais recente pesquisa FSB/BTG Pactual, divulgada nesta segunda-feira (17) e registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número BR-06478/2018. O levantamento foi realizado entre os dias 15 e 16 de setembro com 2000 eleitores e a margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

No cenário espontâneo, a intenção de voto de Bolsonaro passou de 26% para 30%, de uma semana para outra, enquanto neste último levantamento apenas 6% votariam no ex-presidente Lula, ante 12% da pesquisa anterior. Já Fernando Haddad saltou de apenas 3% para 12%, ultrapassando Ciro Gomes (PDT), que de 7% oscilou positivamente para 8%. João Amoêdo (Novo) se manteve em 3%, enquanto Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede) oscilaram negativamente de 3% para 2%.

Álvaro Dias (PODE) oscilou negativamente de 2% para 1%, Henrique Meirelles passou a pontuar com 1%, enquanto os demais não pontuaram. Não sabem ou não responderam seguiram em 22%, não votariam em ninguém foram de 13% para 8%, enquanto brancos e nulos seguiram em 4% em uma semana.

Já na intenção de votos estimulada - em que há o cenário apenas com Fernando Haddad como substituto de Lula, uma vez que o ex-presidente petista teve a sua candidatura barrada -, Jair Bolsonaro passou de 30% de intenção de voto no levantamento anterior para 33%. Enquanto isso, Haddad ultrapassou Ciro Gomes numericamente com um salto de 8% para 16%, mas empatado ainda tecnicamente com o candidato do PDT, que foi de 12% para 14% em uma semana.

Alckmin oscilou para baixo no limite da margem de erro, de 8% para 6%, empatado tecnicamente com Marina Silva, que novamente teve queda e foi de 8% para 5%. Amoêdo voltou aos 4% ante 3% da semana anterior, enquanto Alvaro Dias viu sua intenção de voto oscilar para baixo, de 3% para 2%. Meirelles tem 2% dos votos neste cenário, ante 1% de Cabo Daciolo (PATRI). A porcentagem de quem não votaria em ninguém caiu de 13% para 9%, branco/nulo somam 2%, enquanto não sabe/não responderam foi de 8% para 5%.

SEGUNDO TURNO

Pela primeira vez, o levantamento fez uma simulação de segundo turno (todas com Bolsonaro) e, ao contrário da pesquisa Datafolha da última sexta-feira, por exemplo, mostrou o candidato do PSL em vantagem no segundo turno contra Marina, Alckmin e Haddad e empatando com Ciro Gomes.

Quando o cenário é Bolsonaro contra Ciro, ambos aparecem com 42%, 5% dizem votar branco, 8% em ninguém e 3% não sabem ou não responderam. Entre Bolsonaro e Haddad, 46% disseram votar no candidato do PSL ante 38% que votariam no petista e, quando confrontado com Alckmin, Bolsonaro aparece com 43% ante 36% do tucano. A maior diferença é contra Marina Silva: 48% do candidato do PSL ante 33% da ex-senadora da Rede.