quinta-feira, 12 de julho de 2018

EMPRESÁRIO SOFRE SEQUESTRO NO AGRESTE. BANDIDOS LEVARAM SEU CARRO.

Mais um ato de violência no Agreste de pernambuco.

Um rapto com roubo de veículo foi registrado por volta do meio dia e 20 dessa quinta feira no município de São Bento do Una, no agreste pernambucano.
A vítima foi o empresário Zé Almeida, proprietário da Granja Almeida e pai da atual prefeita Débora Almeida.

Segundo informações da polícia, mas ainda desencontradas, o empresário saía de uma de suas empresas em sua camioneta blindada e acompanhado do seu segurança particular quando foram abordados por elementos em um veículo Gol, na cor verde com placas de Jaboatão dos Guararapes.

Ao serem abordados não houve reação e após seguirem em direção à BR 423, libertaram o empresário na cidade de São Caitano, também no Agreste. Segundo informações de familiares de Zé Almeida, ele já está voltando para casa. O segurança da vítima também foi libertado.  O polícia está no encalço dos fugitivos, que levaram o carro da vítima. De acordo com o delegado de polícia de um município local, acionado para dar cobertura à ação policial, o que foi inicialmente tratado como sequestro pode ter sido na verdade furto de veículo e não se sabe se os autores do crime contra o empresário sabiam de fato de quem se tratava.

DESEMBARGADOR QUE QUIS SOLTAR LULA SERÁ INVESTIGADO POR PREVARICAÇÃO, DIZ PGR

'Selfie' do desembargador Favreto com o ex presidente Lula
(Imagem nas redes sociais)

Segundo o site ‘O Antagonista’, a procuradora geral da república Raquel Dodge, enviou hoje ao STJ um pedido de abertura de inquérito judicial contra Rogério Favreto pelo crime de prevaricação.

Segundo a PGR, ao agir fora de sua jurisdição e sem competência para conceder e reafirmar liminares para que Lula fosse solto, o desembargador do TRF-4 cometeu infração disciplinar.

Só para relembrar o caso, Favreto que foi por cerca de 20 anos militantes do Partido dos Trabalhadores, além de ter trabalhado para os ex ministros Tarso Genro e José Dirceu – ambos também petistas -, utilizou sua condição de plantonista no TRF-4 em Curitiba, no último domingo (08) para autorizar a libertação do ex presidente Lula, sendo no entanto impedido pela reação do Juiz Sérgio Moro, que mesmo em meio às suas férias, desautorizou a ação por considerar o Desembargador naquela oportunidade inapto – ou como afirmado em linguagem jurídica ‘sem competência – para tal  procedimento

Raquel Dodge descreveu o caso como “episódio atípico e inesperado que produziu efeitos nocivos sobre a credibilidade da Justiça e sobre a higidez do princípio da impessoalidade, que a sustenta”.

Se julgado e condenado o Desembargador pode receber aposentadoria compulsória, que é uma imposição legal que obriga o trabalhador a afastar-se do posto de trabalho que até então ocupava.