terça-feira, 12 de junho de 2018

ARTISTAS HABILITADOS DE GARANHUNS, PARA O FIG FORAM DIVULGADOS


A Secretaria de Turismo e Cultura divulgou a lista de propostas habilitadas para compor a programação municipal do Festival de Inverno de Garanhuns.

O FIG será realizado de 19 a 28 de julho. A relação completa das propostas enviadas de acordo com o exigido em edital está disponível no site do Governo Municipal. A partir de agora, ainda haverá o contato com os responsáveis pelas propostas para posteriormente serem divulgados os nomes que irão compor a grade definitiva do festival. A programação oficial depende de definição do Governo do Estado, que ainda não tem data para ser publicada. Porém, este ano a previsão é de que saia com um mês de antecedência.



NOVO CURSO CHEGA A UPE GARANHUNS

Foto: Folha PE

A Universidade anunciou esta novidade para o processo de ingresso 2019, ontem. Foram abertos dois novos cursos, um deles aqui no campus de Garanhuns, o de Engenharia de Software. Já Palmares, ganhou o curso de Administração.

Também será aberto o processo de mobilidade estudantil externa, de 20 a 29 de junho. São 716 vagas para estudantes de outras instituições - particulares ou públicas. O principal critério de seleção será o desempenho no curso de origem. E assim como outros processos de mobilidade externa, são vetados de participar os estudantes do primeiro e último ano de curso.

As inscrições para o Vestibular 2019 começam na próxima segunda-feira (18) e se estendem até o dia 1º de agosto, exclusivamente através da página da instituição. Para se registrar é necessário que o candidato possua o Registro Geral (RG), Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) e uma conta de e-mail válida.

A taxa de inscrição custará R$ 97, podendo ser paga até o dia 3 de agosto, e os candidatos que possuírem o Número de Identificação Social (NIS) poderão solicitar isenção da taxa até o dia 25 de junho.

Ao todo, serão 3.480 vagas neste ano, 20 a mais do que na edição passada, sendo 50% por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e o restante através do Sistema Seriado de Avaliação (SSA), que completa 10 anos.

A UPE oferta vagas em 55 cursos, em 11 unidades espalhadas pelo estado.

CRISTIANE BRASIL É ALVO DE OPERAÇÃO DA POLÍCIA FEDERAL CONTRA FRAUDES NO MINISTÉRIO DO TRABALHO

Sérgio Lima/Poder360 - 15.out.2017.
Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta terça-feira (12), a segunda fase da Operação Registro Espúrio para aprofundar investigações sobre suposta organização criminosa que teria cometido fraudes na concessão de registros de sindicatos pelo Ministério do Trabalho. O alvo desta fase da operação é a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ).

A partir do material apreendido na primeira fase da operação, a PF chegou até a deputada. Em análise de conversas de WhatsApp do funcionário do Ministério do Trabalho Renato Araujo Júnior, preso na primeira fase, a PF descobriu que foi a deputada quem o indicou para o cargo de chefia no ministério e quem controlava também a aprovação dos registros sindicais. O G1 procurou a assessoria da deputada e aguarda resposta.

Esta fase da operação envolve três mandados de busca e apreensão em Brasília e no Rio de Janeiro. Os mandados foram autorizados pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A Corte também autorizou medidas cautelares como proibição de frequentar o Ministério do Trabalho e de manter contato com os demais investigados ou servidores da pasta.

A primeira fase da Operação Registro Espúrio foi deflagrada no dia 30 de maio e mirou os deputados federais Paulinho da Força (SD-SP), Jovair Arantes (PTB-GO) e Wilson Filho (PTB-PB). Além do presidente do PTB e pai de Cristiane Brasil, deputado cassado Roberto Jefferson; o suplente de deputado Ademir Camilo Prates Rodrigues (MDB-MG); e os senadores Dalírio Beber (PSDB-SC) e Cidinho Santos (PR-MT), atualmente licenciado do mandato.

O SUPOSTO ESQUEMA

Segundo as investigações da Polícia Federal,
  • ·  Os registros de entidades sindicais no ministério eram obtidos mediante pagamento de vantagens indevidas;
  • ·         Não era respeitada a ordem de chegada dos pedidos ao ministério;
  • ·        A prioridade era dada a pedidos intermediados por políticos;
  • ·        A operação apontou um "loteamento" de cargos do Ministério do Trabalho entre os partidos PTB e Solidariedade.

A apuração começou há um ano, informou a PF, para investigação de crimes de formação de organização criminosa, corrupção passiva e ativa e lavagem de dinheiro.