domingo, 18 de fevereiro de 2018

TRISTEZA: EX PREFEITO DE TEREZINHA PERDE SEU ÚNICO FILHO, DE 16 ANOS

Garoto Andrey, com seus pais, Alexandre e Valkiria.
O município de Terezinha, há 268,5 quilômetros de Recife, está de luto. É que o menor Andrey Martins, de 16 anos de idade, filho do casal, Valquiria e Alexandre Martins, ex-prefeito daquela cidade, veio a óbito por volta das 21 horas e 40 minutos desse domingo (18), no Hospital Unimed da cidade de Caruaru.

O motivo da morte do garoto ainda não foi revelado pelos médicos. Andrey Martins, estava internado desde o sábado de carnaval, após sentir-se mal em casa. Ele foi aluno da Escola Abílio Alves de Miranda e estava estudando na Escola Monsenhor Alfredo Dâmaso, em Bom Conselho, onde iria fazer o segundo ano do Ensino Médio.

Detalhes de velório e sepultamento ainda não foram divulgados pelos pais. Mas ambos devem ocorrer na cidade de Terezinha. O corpo do garoto Andrey deverá passar por autópsia para descobrir o que motivo do falecimento.

Toda a cidade de Terezinha está de luto com esse lamentável e trágico acontecimento. Andrey era filho único de Alexandre e Valquíria. À família, os sentimentos dos que fazem o programa e este blog ‘Falando com o Agreste’.

Com informações do 'Blog do Poeta'

FEIRA DA AGRICULTURA FAMILIAR E PISTA DE CORRIDA EM JUPI, RECEBEM VISITA DO PREFEITO MARCOS PATRIOTA

Na manhã deste domingo (18) o prefeito de Jupi, Marcos Patriota (DEM), visitou o Arena Show, Local de Comercialização da Agricultura Familiar, por trás da antiga prefeitura local. Durante a visita, o prefeito conversou com os agricultores, consumidores e fez algumas compras.

Um espaço como este, com produtos saudáveis a preços acessíveis, é muito importante para a população e é prova de que a nossa gestão também se preocupa em gerar melhor qualidade de vida para todos, além de fortalecer a economia agrícola e gerar renda para agricultores de nosso município”, ressaltou o prefeito.

A visita do prefeito foi marcada pela inauguração da Pista de Corrida de 100 metros, pelo gestor à convite do empresário Arnóbio.

A FEIRA – Mais de 50 agricultores familiares de cooperativas e associações do município se reúnem semanalmente, todos os domingos no Arena para vender frutas, verduras, raízes e frios, além de produtos artesanais, bolos, doces e lanches regionais. Todos os produtos são oriundos da agricultura familiar e livres de agrotóxicos. Outros produtos também são encontrados para comercialização no local. 

REALIZAÇÃO – A Feira da Agricultura Familiar é realizada pela Prefeitura de Jupi, por meio da Diretoria de Agricultura Familiar, em parceria com as associações rurais do município e o Arena Show.


Com Fotos e informações de Guilherme JG

FALANDO COM O AGRESTE ITINERANTE EM BRASÍLIA ACOMPANHARÁ NO CONGRESSO VOTAÇÃO DO AUXÍLIO FINANCEIRO AOS MUNICÍPIOS (AFM), NESTA TERÇA (20)

Cumprindo sua missão de informar, sendo testemunha ocular da recente - e conturbada - história política nacional, o Programa de Rádio veiculado pela Rádio Marano FM de Garanhuns e este Blog 'Falando com o Agreste' estarão mais uma vez na Capital Federal, Brasília, acompanhando alguns trâmites que estão na pauta do Congresso Nacional e também na agenda da Confederação Nacional de Municípios, CNM.

A cobertura do FCA em Brasília já tem início nesta segunda feira (19), com o levantamento das pautas mais importantes junto à parlamentares da bancada pernambucana e à gestores do Agreste e de outras regiões de Pernambuco, encerrando-se na quinta (22).

Na terça feira feira (20), a partir das 13 horas, nossa reportagem acompanhará o movimento municipalista que estará reunido na sede da Confederação Nacional de Municípios (CNM), para Reunião do Conselho Político Ampliado. A entidade reforça a importância de os gestores municipais estarem unidos e mobilizados para conseguir a aprovação da matéria. Será apresentada ainda, a agenda de atividades da CNM para 2018 (clique para ver ampliado no quadro ao lado).

Alguns prefeitos do agreste, sertão e zona da mata sul e norte do estado, já confirmaram suas presenças nesta mobilização, à exemplo dos gestores de Garanhuns, Izaías Régis (PTB); de Palmeirina, Marcelo Neves (PSB); de Jupi, Marcos Patriota (DEM);  de Calçado, Expedito Nogueira (PP); de Jucati, Ednaldo Peixoto (PSB); de São João, Genaldi Zumba (PSD); de Angelim, Douglas Duarte (PSB), entre outros.

Ainda na terça feira, só que a partir das 15 horas,estaremos no Senado, acompanhando a votação do Projeto de Lei do Congresso Nacional (PLN) 01/2018. A matéria – que trata do repasse de Auxílio Financeiro aos Municípios (AFM) no valor de R$ 2 bilhões – foi inserida na Ordem do Dia pelo presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira (PMDB-CE). A sessão está marcada para as 15 horas. 

A votação do PLN – que tem parecer pendente da Comissão Mista de Orçamento (CMO) – deve ocorrer em sessão conjunta do Congresso após a análise de três vetos. O texto foi enviado ao Congresso no dia 9, tendo sido imediatamente inserido na pauta de votações, cumprindo compromisso assumido por Eunício e pelo governo federal durante reuniões realizadas neste ano.

O crédito tem por objetivo viabilizar o determinado na Medida Provisória (MP) 815/2017, que autoriza a União a transferir aos Entes que recebem o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), no exercício de 2018, recursos destinados à superação de dificuldades financeiras emergenciais. O texto do projeto aponta que fica aberto crédito especial em favor dos Ministérios da Educação, da Saúde e do Desenvolvimento Social. O projeto de lei estabelece, ainda, que os recursos necessários à abertura do crédito decorrem de anulação de dotações orçamentárias.

COMPARATIVO APRESENTADO PELA DEPUTADA PRISCILA KRAUSE APONTA PERNAMBUCO COM O PIOR RESULTADO FISCAL DO NORDESTE

Foto: Mariana Carvalho
Em um comparativo apresentado na semana passada pela deputada estadual Priscila Krause (DEM), na reunião da Comissão de Finanças, Orçamento e Tributação da Assembleia Legislativa de Pernambuco, Pernambuco teve os piores resultados orçamentários e fiscais entre os nove estados nordestinos, em relação ao ano de 2017. 

Estes dados, que basearam questionamentos ao secretário estadual da Fazenda, Marcelo Barros, presente na Casa para apresentar o relatório fiscal do exercício anterior, revelam que a condição das contas públicas estaduais não segue a tendência dos outros entes federados da região, se distanciando das condições mais sólidas apresentadas por unidades com economia similar à pernambucana, como Bahia e Ceará. Na ponta oposta, Pernambuco duela com o Maranhão entre as piores situações.

Os dados refletem os resultados amplo (orçamentário), primário, nominal, o quantitativo de restos a pagar e o índice de despesas com pessoal do Executivo em relação à Receita Corrente Líquida do período (janeiro a dezembro de 2017).. Enquanto no resultado orçamentário Pernambuco teve déficit de R$ 972,97 milhões, o Ceará (R$ 1,45 bi), a Paraíba (R$ 345,54 mi) e Alagoas (R$ 229,13 mi) tiveram superávit, por exemplo. O resultado primário estadual, que inclusive ultrapassou a meta estabelecida na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), de R$ 292,21 milhões negativos, só ficou à frente do Maranhão, que alcançou déficit primário de R$ 1,126 bilhão. Os restos a pagar de R$ 1,463 bilhão, por sua vez, é bem superior à média dos estados vizinhos, a exemplo de Bahia (R$ 318,18 milhões) e Paraíba (R$ 250,83 milhões).

Decidimos fazer um comparativo com os outros estados nordestinos, buscar essa pesquisa nos relatórios dos entes vizinhos, porque sempre há um discurso de que a situação fiscal de Pernambuco é muito mais sólida e tranquila do que a maioria dos estados brasileiros, mas é um discurso que infelizmente não cola com a realidade. Ficamos no final da fila, brigando com o Maranhão para ver quem tem a situação mais desconfortável. E isso confirma estimativas de estudiosos, como Raul Velloso, que chamou atenção para o risco de insolvência num curto ou médio prazo e o governo negou, vendendo que fecharíamos as contas no azul. É um trabalho que objetiva trazer luz a esse debate e, claro, corrigir rumos”, registrou Priscila Krause.


Na reunião, Priscila também lembrou que, por ser o último ano da atual administração, o governo não poderá, conforme o artigo 42 da Lei de Responsabilidade Fiscal, deixar restos a pagar sem a devida disponibilidade de caixa. “A gente se preocupa porque a situação de 2017 é pior do que a de 2016 e a de 2015, mesmo com o início da retomada da economia desde o semestre passado. Acontece que esse ano não pode deteriorar mais por conta da mudança de gestão, independente de quem seja escolhido para governar a partir de dezenove”, registrou. A parlamentar também adiantou que pretende realizar estudos mais aprofundados a respeito das contas relativas a pessoal e encargos sociais, resultado que Pernambuco também ficou na última posição, a 0,03% do limite máximo. “A gente precisa ter o detalhamento dessa conta, da forma mais transparente e didática até para que a população, os servidores e todos os interessados tenham a condição de saber qual o patamar está no horizonte”, finalizou.

Com informações da Assessoria de Imprensa da Parlamentar/ Manoel Medeiros Neto