segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

ATINGIDO POR BALA PERDIDA, JORNALISTA ALEXANDRE FARIAS É APOSENTADO POR INVALIDEZ

Foto: Reprodução Facebook
Quatro meses após ser atingido por uma bala perdida durante uma troca de tiros no Bairro Alto do Moura, em Caruaru-PE, o apresentador e jornalista ALEXANDRE FARIAS foi aposentado por invalidez. A perícia foi realizada por médicos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

O apresentador da TV Asa Branca, afiliada da Rede Globo, foi avaliado por médicos do INSS. Apesar de apresentar significativas melhoras e estar recuperando parte dos movimentos, Alexandre ainda não tem previsão de alta. Familiares e amigos acompanham a evolução do jornalista, que está internado no Hospital Esperança, no Recife.
Relembre o caso

ALEXANDRE FARIAS foi atingido na cabeça por uma bala perdida, no dia 16 de setembro de 2017, durante uma troca de tiros no Alto do Moura, em Caruaru, entre policiais e suspeitos de cometer crimes na região. 

Ele foi socorrido no Hospital Regional do Agreste e depois transferido, em estado grave, para o Hospital da Unimed de Caruaru. No dia 28 de outubro, o jornalista foi transferido para o Hospital Esperança, no Recife.

Por volta das 20h00, o jornalista voltava no seu carro para casa, no Loteamento Sete Luas, também no Alto do Moura, quando se viu no meio do fogo cruzado e foi atingido.


Por: JC ONLINE

APÓS DIVULGAÇÃO OFICIAL DE NÚMEROS DA VIOLÊNCIA EM PERNAMBUCO, OPOSIÇÃO CRITICA GOVERNO POR AUMENTO DA CRIMINALIDADE EM 2017

Imagem: Reprodução Internet
Foi divulgado pela Secretaria de Defesa Social de Pernambuco nesta segunda-feira (15) os números da violência no estado no ano de 2017.  Segundo o informe, houve um aumento de 16% nos assassinatos em relação a 2016. Ao todo, foram registrados 5.427 homicídios, o maior número da série histórica.
O Secretário de Defesa Social  Antônio de Pádua, no entanto,  minimizou o fato alegando que  a violência não é algo exclusivo de Pernambuco. Ainda segundo Pádua, a violência aumentou em todos os estados, especialmente da região Nordeste, em consequência da crise econômica e do aumento do desemprego.
Ele ainda disse que no caso específico de Pernambuco, 60% dessas mortes têm relação com o tráfico de drogas, terreno em que o Governo do Estado tem atuado com rigor.
Após a divulgação dos números oficiais, a bancada da oposição na Assembleia Legislativa divulgou a seguinte NOTA À IMPRENSA:
I- O número de assassinatos em Pernambuco cresceu 58% durante os três primeiros anos do Governo Paulo Câmara, saindo de um total de 3.434 homicídios em 2014 para 5.427 no ano passado.
II- Infelizmente, o Governo de Pernambuco tem se mostrado incapaz de reduzir esses índices, diferente de outros estados nordestinos, como a Paraíba, Alagoas e Piauí. Ao todo, nesses últimos 36 meses, 13.795 pernambucanos foram mortos de maneira violenta, segundo dados da própria Secretaria de Defesa Social divulgados nesta segunda-feira (15).
III- Além do recorde de assassinatos, tivemos o maior volume de crimes violentos contra o patrimônio, com o registro de 119,7 mil roubos e assaltos, cinco mil ocorrências a mais que o total registrado em 2016. Foram registrados ainda 2.134 casos de estupro e 33.188 casos de violência doméstica contra a mulher.
IV- A crescente violência em Pernambuco é reflexo, entre outros aspectos, do elevado déficit de homens nas Polícias Civil e Militar, baixo investimento em inteligência e em prevenção, além da falta de integração com os municípios e com o Governo Federal no combate à criminalidade.
V- Falta de transparência, de diálogo e de planejamento são algumas das críticas feitas por especialistas em segurança, como o sociólogo José Luiz Ratton, um dos idealizadores do Pacto pela Vida.
VI- A bancada de Oposição apresentou ao longo de 2017 uma série de sugestões para o Governo do Estado no sentido de ajudar a combater à criminalidade. No entanto, até hoje, obteve apenas o silêncio como resposta.

VII- A Oposição reafirma o seu compromisso com Pernambuco e se coloca, mais uma vez, à disposição do governador Paulo Câmara para ajudar a construir uma alternativa que reduza os índices de violência em nosso Estado.

RESPONSÁVEIS POR AMEAÇAS A DESEMBARGADORES SÃO IDENTIFICADOS PELO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

Desembargadores sofreram ameaças, conforme TRF4 |
Foto: Sylvio Sirangelo / TRF4 / CP
A Associação dos Juízes Federais (Ajufe) informou nesta segunda-feira que o Ministério da Justiça assegurou já ter identificado os responsáveis por ameaças aos desembargadores que vão julgar o recurso do ex-presidente Lula no próximo dia 24. A Polícia Federal realizou um trabalho de inteligência para investigar se as ameaças contra os juízes da 8ª turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) são reais, mas não divulgou detalhes das conclusões.
Inicialmente, foi informado que o caso seguiria para o Ministério Público Federal, o que foi desmentido pelo ministro da Justiça Torquato Jardim à noite.
Conforme o presidente da Ajufe, Roberto Veloso, o ministro Torquato Jardim repassou a informação em reunião realizada hoje para debater o tema da segurança no entorno e edifício do TRF4 na próxima semana, quando ocorre o julgamento. A entidade protocolou um pedido de segurança reforçada para os desembargadores junto ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
CANDIDATURA NÃO ESTÁ EM JULGAMENTO
Já em relação à preocupação dos apoiadores acerca da candidatura do ex-presidente, Veloso disse que há um alarde desnecessário entorno do tema, o que somente alimenta o clima de beligerância. “O alarde está sendo feito pelas pessoas que acham que ele será preso ou não será mais candidato. Porém, não é isso que vai acontecer. O tribunal vai decidir a causa, mas haverá enorme possibilidade de recursos. A questão da candidatura dele será decidida somente lá em agosto. Assim, se faz um alarde a respeito do julgamento, mas a candidatura dele não está em julgamento”, explicou.

Também nesta segunda, o presidente do TRF4, desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, esteve reunido com a presidente do Supremo Tribunal Federal e do CNJ, ministra Carmem Lúcia, para debater o reforço da segurança na semana do julgamento. O desembargador Thompson Flores não conversou com a imprensa.

CONFIRA A LISTA DE CURSOS MAIS CONCORRIDOS NO SISU


Foto: NE10
Fizemos uma análise dos cursos mais procurados do Sisu em 2017 e as regiões que receberam maior quantidade de inscritos e as maiores concorrências.
Com quase 270 mil inscritos, Administração foi o curso mais procurado. A graduação manteve a posição alcançada no ranking de 2016, quando registrou um número ainda mais alto: 294 mil inscritos.
Nesta edição, a média do curso mais procurado foi de 29,7 candidatos disputando uma vaga.
Os demais cursos mais procurados também estavam presentes na lista de 2016:
Administração: 269,18 mil inscritos
Pedagogia: 240,5 mil
Direito: 238 mil
Medicina: 220,2 mil
Educação Física: 177 mil

A lista acima mostra os mais procurados em um contexto geral. Especificando, e identificando as graduações individuais, um curso de técnico ocupou o primeiro lugar.

Análise de Desenvolvimento de Sistemas – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP): 21,7 mil inscritos
Direito – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG): 17,1 mil inscritos
Medicina – Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG): 13 mil inscritos
Ciência Tecnológica – Fundação Universidade Federal do ABC (UFABC): 12,7 mil inscritos
Pedagogia – Universidade Estadual do Piauí (UEPI): 12,1 mil inscritos

Apesar do primeiro lugar entre as universidades mais procuradas do Sisu 2017 tenha ido para a UFMG, a maioria dos participantes quis estudar no Nordeste. UFPE, UFC, UFMA, UFPB e UFBA ocupam cinco posições na lista, totalizando 650 mil inscrições. Confira a lista abaixo:

Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG): 171, 8 mil inscritos
Universidade Federal de Pernambuco (UFPE): 144, 3 mil inscritos
Universidade Federal do Ceará (UFC): 140,8 mil inscritos
Universidade Federal do Maranhão (UFMA): 131,8 mil inscritos
Universidade Federal de Goiás (UFG): 130 mil inscritos
Universidade Federal da Bahia (UFBA): 118,9 mil inscritos
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ): 117,3 mil inscritos
Universidade Federal da Paraíba (UFPB): 117,2 mil inscritos

Universidade Federal Fluminense (UFF): 112,8 mil inscritos

PREÇO DA GASOLINA TEM MAIS UM AUMENTO

Foto: JC Online
Pela 11ª semana seguida, o preço médio da gasolina para o consumidor final subiu e chegou a R$ 4,18 centavos. A informação é da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Esta semana o aumento foi de 0,77%. Na mesma semana, a Petrobras subiu o preço da gasolina das refinarias em 0,74%, afirmando seguir sua política de preços que reajusta os valores quase todo dia, com o objetivo de acompanhar as cotações internacionais. O repasse ou não para o consumidor final depende dos postos de gasolina.


Só este ano, o preço da gasolina já acumula alta de 2%. Desde a adoção da política de preços da Petrobras e do aumento dos impostos sobre os combustíveis, em julho de 2017, o preço do combustível acumulou uma alta de 19% nas bombas, ainda considerando a média calculada pela ANP.