segunda-feira, 8 de outubro de 2018

ARMANDO AFIRMA ESTAR SE SENTINDO BEM, MESMO COM DERROTA

Foto: Veja

Em um discurso breve na noite deste domingo (7), no comitê central da campanha, o candidato a governador de Pernambuco derrotado Armando Monteiro (PTB) falou sobre o resultado da eleição. O petebista disse que não era o momento que sonhava, mas garantiu que não estava triste. “Eu me sinto bem porque lutei. Eu fiz o bom combate”, ressaltou.

Armando falou que derrotas não devem abater e afirmou que não vai deixar a política. “Não vou deixar de fazer oposição em Pernambuco. Eu saiO dessa luta com a convicção maior ainda de que esse grupo que está aí no poder precisa ser fiscalizado por uma oposição altiva, independente, para que Pernambuco não venha a ser tutelado por interesse que nem sempre corresponde ao interesse maior do povo de Pernambuco”.

O petebista também afirmou que a campanha foi marcada por belos momentos, mas também difíceis. “Eu fui vítima, em muitos momentos, da mentira, de baixarias, de um debate que foi falseado durante muito tempo. Foi uma campanha marcada por muitos momentos de baixaria que não corresponde ao nível de um debate que os pernambucanos mereciam fazer, mas vejam fizemos o combate e vamos continuar juntos no interesse por Pernambuco”, lamentou.

“Vamos encontrar força para continuar. Pernambuco precisa de uma oposição firme e altiva e fiscalizadora. A vida é assim, há momentos de vitorias e há momentos de adversidades e de derrotas episódicas. O que não podemos perder é a nossa força”, continuou explanando.

O maior rival do governador Paulo Câmara (PSB) na disputa ressaltou que Pernambuco precisa de uma oposição firme. “Nós não podemos nos submeter ao domínio e hegemonia de uma única força. Não nos abatemos com esse resultado, pelo contrário vamos seguir firme, vamos seguir juntos Mendonça, Bruno, Fred e tantos e tantas companheiros e companheiras que acreditaram em nossa causa”.

“Nós representamos uma expressiva corrente da opinião pública em Pernambuco e, sobretudo afirmando uma posição porque Pernambuco, volto a dizer, não é propriedade de grupos e de famílias, Pernambuco sempre foi a expressão da pluralidade”.

Armando Monteiro ainda salientou que teve o “privilégio” de poder percorrer todas as regiões de Pernambuco sentindo as manifestações de carinho. “Então, meus amigos, nós cumprimos nosso papel e vejam que ao final desse processo a diferença que favoreceu o atual governador é de pouco mais de 40 mil votos”.
(Com informações do portal Leia Já)

Nenhum comentário:

Postar um comentário