quarta-feira, 29 de agosto de 2018

PRISCILA AFIRMA QUE PAULO CÂMARA PRECISA CONTAR A VERDADE SOBRE SEU APOIO A TEMER


 

A deputada estadual Priscila Krause (DEM) afirmou, na tarde desta quarta-feira (29), por meio de sua conta no Twitter, que a tentativa de o governador Paulo Câmara (PSB) esconder o apoio que sempre conferiu ao presidente Michel Temer (MDB), inclusive no processo do impeachment, requer “"um chamamento aos fatos”. Ela repercutiu as entrevistas do presidente e do governador, mais cedo, na Rádio Jornal, quando o emedebista se referiu a Paulo como "gentilíssimo", lembrando inclusive que o governador liberou seus secretários para, como deputados federais, decidirem a votação pró-impeachment.

"Essa discussão também precisa ser justa com os fatos porque não foram poucas às vezes, já no governo Temer, que o governador tirou foto em Brasília com ministros que estavam liberando verba para Pernambuco. A própria Adutora recebeu vultosos recursos federais em dezesseis e dezessete, aumentando o ritmo da obra", acrescentou. A deputada, que é da Comissão de Finanças da Assembleia Legislativa, também acrescentou um fato novo à acusação, por parte do governador, da não liberação esse ano de mais recursos federais para a Adutora do Agreste. "Nós detectamos novamente que desde 29 de maio o CNPJ de Pernambuco está inscrito no CAUC e isso pode impedir, mesmo com a decisão política, da União repassar recursos voluntários, que são os não obrigatórios", acrescentou.

A parlamentar registra que atualmente duas pendências constam no sistema de inadimplência do governo federal: débitos perante a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), datadas de 16 de agosto , no âmbito do quesito “Regularidade perante o Poder público federal”, além de irregularidade (formalizada em 29 de maio) na execução física do objeto de um convênio realizado de 2008 a 2012 (Sistema Adutor de Limoeiro), cujos recursos foram repassados pelo Ministério da Integração Nacional, no quesito “Regularidade quanto à prestação de contas de recursos federais recebidos anteriormente”.
Priscila acrescenta que em maio o próprio governo de Pernambuco comemorou, com ampla cobertura da imprensa oficial, a liberação de R$ 70 milhões do governo federal para a Adutora, mas que possivelmente a inadimplência datada do dia 29 daquele mês impediu o repasse. Em 2016 e 2017 a maior parte das obras hídricas em Pernambuco contou com recursos federais. "Por trás do oportunismo de mudar de lado e esquecer que sempre esteve com Temer, o governador precisa admitir que andou devagar para tirar o estado da lista de inadimplentes. A inadimplência ocorreu em maio e a ação no STF só foi protocolada em julho, mesmo assim sem a juntada de alguns documentos. São fatos de responsabilidade da administração estadual", acrescentou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário