sexta-feira, 20 de julho de 2018

EM PERNAMBUCO, PT APOSTA TODAS AS FICHAS EM ALIANÇA COM PSB

A reunião do Governador Paulo Câmara com a presidente do PT, Senadora
Gleisi Hofmann,amarrou pontos pendentes. Foto: Divulgação
Na reta final das articulações visando às eleições presidenciais, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) orientou, ontem, petistas a juntarem esforços na formação de alianças para a sua candidatura à Presidência. Após visitar o ex-presidente Lula, em Curitiba, o vice-presidente nacional do PT, Márcio Macedo, afirmou que o partido vai para cima do PSB, do governador Paulo Câmara. Na próxima semana, haverá um novo encontro entre dirigentes petistas e socialistas, antes da reunião do Diretório nacional do PSB, que será em 30 de julho.

Na ocasião, os petistas devem tentar um diálogo diferente para obter o apoio formal dos socialistas. Algumas das condições estudadas pelo PT não são novas, mas serão recolocadas na mesa, como a retirada da candidatura do ex-prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), em prol do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT); um espaço para o PT na chapa majoritária do ex-secretário João Azevedo (PSB), nome do governador Ricardo Coutinho (PSB), na Paraíba; e a retirada da candidatura da vereadora do Recife, Marília Arraes (PT), em prol de Paulo Câmara em Pernambuco. Estas, inclusive, teriam sido contrapropostas do PSB.

Duas semanas atrás, o coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), João Pedro Stédile, e o ex-presidente nacional do PT, Rui Falcão, disseram que o ex-presidente Lula declarou apoio à vereadora do Recife, Marília Arraes (PT), pré-candidata ao Governo de Pernambuco. O Estado é peça-chave nas negociações com o PSB. 

O vice-presidente nacional do PT destacou que a candidatura do ex-presidente Lula é a prioridade do partido e que os petistas em todos os estados estão cientes disso. “(Lula) Pediu que nós cuidássemos das alianças, então vamos intensificar nossas conversas com PCdoB, PROS, PSB e PCO”, declarou Macedo. “O PT de todos os estados, que tem algum tipo de conflito com PSB, sabem (das articulações). É claro que tem divergência na tática - em relação se candidatura própria ou aliança -, mas tem convergência na estratégia: todos sabem que a prioridade é a candidatura Lula”, acrescentou.

Macedo, contudo, frisou, em relação a Marília Arraes, que as candidaturas estão postas, têm que continuar postas e o processo de diálogo e conciliação vai continuar sendo feito, com os partidos de centro-esquerda. Ele, inclusive, é um dos membros do Grupo de Tática Eleitoral (GTE) nacional, com foco em estados nordestinos, e já esteve em Pernambuco, ao menos três vezes desde o início do ano. Marília trabalha com o senso de oportunidade, mas já está ciente do interesse do partido. O plano b dela seria disputar a Câmara dos Deputados, embora ainda não esteja convencida desta alternativa.


Com informações da Folhape 

Nenhum comentário:

Postar um comentário