terça-feira, 31 de julho de 2018

JOHNNY HOOKER PODE SER PRESO POR DECLARAÇÕES DURANTE O FIG

Fotos: Blog do Carlos Eugênio

O cantor Johnny Hooker foi alvo de uma notícia-crime enviada pelo advogado Jethro Ferreira da Silva Júnior à Polícia Civil, após afirmar que Jesus é travesti, durante seu show no Festival de Inverno de Garanhuns. No documento, o advogado requer a instauração de um inquérito policial conduzido por um delegado especial para apurar o caso. De acordo com ele, Johnny Hooker praticou infrações contidas em duas normas. Uma delas está prevista no artigo 20 da Lei Federal nº 7.716, que prevê pena de reclusão de um a três anos e multa para quem praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

O segundo transcrito no documento é o artigo 208 do Código Penal, onde "escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso", resulta em detenção, de um mês a um ano, ou multa. Caso haja alguma resistência do noticiado em apresentar-se à autoridade policial , o advogado defende "que seja formulada representação pela decretação da prisão preventiva".

Jethro Ferreira ainda listou, como testemunhas, o Prefeito de Garanhuns; o arcebispo de Olinda e Recife; o Bispo Diocesano de Garanhuns; o presidente da Ordem dos Pastores Evangélicos de Garanhuns e Região (OPEGAR), além da cantora Daniela Mercury.

Confira a notícia crime:



Nenhum comentário:

Postar um comentário