domingo, 27 de maio de 2018

PREFEITA DE SÃO BENTO DO UNA DISCUTE CRISE DOS COMBUSTÍVEIS COM GOVERNADOR

Reunião no Palácio do Governo de Pernambuco avaliou a
intensidade na crise no estado e apresentou ações.

Tentando apresentar soluções para a sua população, a Prefeita de São Bento do Una (PE), Débora Almeida (PSB), esteve na manhã deste domingo (27) participando de uma reunião no Palácio do Campos das Princesas, convocada pelo Governador, o também socialista Paulo Câmara.

Na oportunidade, a gestora saobentense representou a AMUPE – Associação Municipalista de Pernambuco -, entidade na qual ocupa o cargo de Secretária da Mulher. A pauta da reunião, como adiantamos aqui no blog, logo no início da manhã, são as ações que estão sendo implementadas e outras que serão realizadas para minimizar  os efeitos negativos da paralisação dos caminhoneiros.
Após reunião, Governador Paulo Câmara concedeu entrevista
tendo ao lado (de vermelho) Secretaria da Mulher da AMUPE
e Prefeita de São Bento do Una, Débora Almeida.

Nesta reunião, além da prefeita Débora, também participaram diversas outras entidades públicas e privadas, prefeitos, veículos de comunicação, associações e deputados estaduais. Após o encontro, Débora seguiu para o Gabinete de Crise onde tenta junto ao governo a possibilidade de escolta policial para acompanhamento de um comboio que possa transportar combustível para o seu e outros municípios em situação mais crítica, nos quais há risco de desabastecimento principalmente para a frota da saúde. 


Marcos Patriota falou com
o agreste na manhã deste
domingo (27).

PREFEITO DE JUPI PREOCUPADO COM DESTINO DOS MUNICÍPIOS EM MEIO À CRISE

Em conversa com o Prefeito de Jupi, Marcos Patriota (DEM), o mesmo lamentou a situação que o país vive e em especial as condições nas quais os municípios pernambucanos se encontram, com o desabastecimento em vários setores.

Patriota garantiu que o combustível para utilização pela frota da saúde no seu município ainda está sob controle, mas que a educação está paralisada e que até alguma mudança ser sinalizada por parte do governo ou dos manifestantes, as aulas estarão suspensas em virtude da ausência de merenda e da impossibilidade de funcionários da educação estarem nos seus postos de trabalho, dentro das atuais condições.

Nenhum comentário:

Postar um comentário