quinta-feira, 31 de maio de 2018

CAMINHÕES EM MARCHA À RÉ

Insistência de alguns caminhoneiros em politizar a greve sugere uma
imitação barata do movimento de 2013
 (Foto: Roberto Parizotto/Públicas)

*Por Sérgio Montenegro

Se os remanescentes da greve dos caminhoneiros planejavam reprisar os efeitos do movimento de junho de 2013 nas ruas, usando o desprezo à atual classe política como combustível para incendiar os ânimos e angariar a simpatia da sociedade, engataram uma gigantesca marcha à ré. Para começo de conversa, defender intervenção militar é de uma cegueira histórica, sobretudo com tantos documentos hoje à disposição para comprovar o quão nocivos são os regimes de exceção. Além disso, os grevistas interferiram diretamente no cotidiano da população, com seus bloqueios nas estradas. Ao contrário deles, os manifestantes de 2013 ocuparam as ruas pacificamente – à exceção de uma minoria de anarquistas, os black blocs – sem impedir o livre trânsito nem atrapalhar o trabalho de ninguém.

Não se ouviu, naquela época, qualquer voz se erguer em favor da restrição de direitos individuais, que é, resumidamente, a base de uma intervenção militar. Os defensores da continuidade da greve – cujas reivindicações já foram atendidas – insistem que não se trata de prejudicar ninguém, e que não defendem uma nova ditadura. Do alto da sua estupidez, explicam que desejam “apenas” uma ação militar a título de “limpeza ética”, que permita, logo em seguida, se realizar uma eleição direta à qual somente políticos honestos teriam permissão de concorrer.

Para além desse delírio febril, a proposta expõe uma absoluta falta de conhecimento histórico por parte dos grevistas mais novos, e de memória, para os mais velhos. Esse foi o mesmíssimo argumento utilizado pela caserna para justificar o golpe de 1964. Ao depor o presidente João Goulart e assumir o poder, as Forças Armadas justificaram estar combatendo o “avanço comunista”, e prometeram “apenas” limpar o terreno para uma nova eleição direta. O resultado foram 21 anos de espera, em meio à censura, perseguições, torturas, desaparecimentos e mortes. Insensatez pode até ter limites. Estupidez, parece que não.

Há outras diferenças sensíveis entre os dois movimentos. Em 2013, as manifestações eram apartidárias e não contavam com lideranças personificadas. Sem falar que jamais ficou comprovada – ao contrário do que ocorreu na era dos “caras-pintadas” do início dos anos 90 – a participação de empresários nos bastidores, estimulando as passeatas. Nas ações de agora, as suspeitas de locaute agigantaram-se ao ponto de suscitarem investigações da Polícia Federal.

Indo mais adiante, nas mobilizações de 2013 – cujo estopim foi um reajuste de vinte centavos nas tarifas de ônibus – os pleitos agregados eram todos justos. Ninguém foi às ruas pedir intervenção militar, fechamento do Congresso ou cassação de direitos. Na verdade, o país esbanjava um dinheiro que não tinha em obras para receber uma megalômana Copa do Mundo, relegando a segundo plano deveres essenciais, como a construção de hospitais, escolas e outras obras sociais necessárias.

Por último, é bom lembrar que em 2013 as manifestações não ocorreram irresponsavelmente – como acontece agora – às vésperas de uma eleição, que já se previa delicada por conta do atual clima de ódio político vivido no país. Pedir intervenção militar faltando cinco meses para as urnas é fazer pouco caso da racionalidade do eleitor, dos seus direitos e da sua capacidade de promover mudanças.

Mas há, sim, uma relação subjacente entre os dois movimentos. Os alertas de extrema insatisfação disparados nas ruas em 2013, direcionados aos donos do poder, foram solenemente ignorados, a exemplo das reformas. Eles nada fizeram para amenizar a descrença da sociedade, turbinada pelas crises econômica, política e institucional. É claro que haveria um rebote em algum momento. Só não se imaginava que viria sobre rodas, de forma tão inconsequente e recheado de efeitos colaterais perigosos e irresponsáveis.

*Sérgio Montenegro é Jornalista Político, editor do blog Ordem do Dia e comentarista da CBN Recife. Pós-graduado em História da Política e MBA em Marketing Político e Estratégias Eleitorais. 

É autor ou coautor dos seguintes livros e trabalhos editados: “Na Trilha do Golpe: 1964 Revisitado”; “A Nova República: Visões da Redemocratização”; e “União por Pernambuco: Entre o desenvolvimentismo econômico e o pragmatismo eleitoral”.

terça-feira, 29 de maio de 2018

ARMANDO CULPA GOVERNO PELA GREVE E DIZ QUE “CRISE ESTAVA CONTRATADA”

Armando: "Esta crise já estava contratada".
O senador Armando Monteiro (PTB-PE) culpou, nesta terça-feira (29), o governo pela alta de preços do óleo diesel que provocou a crise da greve dos caminhoneiros. Em debate com o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, durante audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), o petebista disse que o governo adotou uma política de choque de preços dos combustíveis num momento absolutamente inoportuno, de desaceleração da economia.

“Esta crise já estava contratada. Para resolver o problema do endividamento da Petrobras, que era dramático, o governo endereçou à sociedade uma política de preços maluca do reajuste dos combustíveis, absolutamente imprevisível, numa conjuntura econômica de baixa demanda. Houve imprudência e insensibilidade, que desaguaram na crise aguda pela qual está passando o país inteiro”, declarou.

Segundo Armando, colaborou para a prática de reajustes constantes dos combustíveis num cenário de baixa atividade econômica o fato do governo federal e dos governos estaduais serem “sócios” dessas altas de preços, pela elevada tributação dos combustíveis. O petebista informou que, no primeiro quadrimestre do ano, a receita da União com os impostos sobre derivados de petróleo cresceu 57,8% em relação a igual período de 2017, atingindo cerca de R$ 22 bilhões. “O governo federal e os governos estaduais estavam numa situação confortável e espetaram a conta na sociedade”, assinalou.

*REGULAÇÃO FORTE -* O senador pernambucano enfatizou que o monopólio da Petrobras permite a prática de reajustes abusivos de preços. Defendeu, por isso, “uma regulação mais forte nos preços da Petrobras, de modo a buscar tarifas próximas dos custos médios de produção e que ao mesmo tempo incentivem a busca de eficiência”.


O ministro da Fazenda não respondeu a duas das cinco indagações que lhe fez Armando Monteiro na audiência pública da CAE. Alegando que os dois temas estavam afetos diretamente ao Ministério dos Transportes e que, por isso, não dispunha de dados, Eduardo Guardia não soube dizer se a isenção do pedágio para eixo suspenso dos caminhões será compensada pelo aumento do pedágio para todos os outros motoristas e se a tabela mínima dos fretes, ao não levar em conta os efeitos sazonais, não terá impacto inflacionário. Ambas as medidas estão contidas em medidas provisórias baixadas pelo governo para acabar com a greve.

PRESIDENTE DA OAB GARANHUNS DEFENDE CAMINHONEIROS E CRITICA OMISSÃO DE POLÍTICOS NA CAUSA

Dr. Jorge Wellington, Advogado que preside a OAB Subseccional
Garanhuns, em entrevista ao  'Falando com o Agreste', defendeu
de forma enfática a causa dos caminhoneiros. Foto: FCA
Em meio de manifestações de apoio e críticas à greve dos caminhoneiros, que chega no seu 9º dia em várias rodovias do país e após negociações de diversos sindocatos da categoria que aceitaram um acordo com o governo federal, que segundo eles, supre a maioria das demandas da categoria, o Agreste pernambucano também se manifestou sobre o movimento paredista.

Alguns prefeitos, como o de Garanhuns, Izaías Régis (PTB), o de Correntes, Edmilson da Bahia (PSB) e o de Lajedo, Rossine Blésmany (PSD), demonstraram apoio ao movimento, este último inclusive, liderando uma manifestação na rodovia que corta seu município e lá, ao microfone, exaltando a luta dos caminhoneiros e colocando-se coimo um dos defensores da causa.

Em Garanhuns, o programa radiofônico ‘Falando com o Agreste’ dessa segunda feira (28) recebeu nos estúdios da Rádio Marano FM o Presidente da OAB Subseccional Garanhuns, Dr. Jorge Wellington. Segundo o renomado jurista, sua posição também de apoio aos ‘profissionais da estrada’ era estritamente pessoal e não representava a entidade que preside nem a totalidade dos profissionais de advocacia.

De forma bastante enfática, o criminalista  foi firme na defesa dos grevistas e criticou duramente os políticos que não tomaram posição sobre esta causa.  

Abaixo, nosso ouvinte/internauta, ouve na íntegra a entrevista do Dr. Jorge Wellington.  

segunda-feira, 28 de maio de 2018

BOLSONARO PASSA NUMERICAMENTE ALCKMIN EM SÃO PAULO

Deputado Federal pelo Rio de Janeiro, Jair
 Bolsonaro (PSL), lidera pre campanha à
presidencia em Sâo Paulo / Foto: Marcelo Jorge
O pré-candidato do PSDB à Presidência e ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, aparece numericamente atrás do pré-candidato do PSL, Jair Bolsonaro, no Estado, mas em empate técnico, apontou pesquisa Ibope encomendada pela TV Bandeirantes e divulgada nesta segunda-feira (28).

De acordo com a pesquisa, no cenário em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aparece como candidato, Bolsonaro fica numericamente atrás do petista, mas também em empate técnico.

Em todos os três cenários para a Presidência pesquisados, a soma dos que se declararam indecisos e dos que disseram ter intenção de votar branco ou nulo supera o percentual do líder.

No cenário com Lula, o petista lidera com 23 por cento das intenções de voto, seguido por Bolsonaro com 19 por cento, e Alckmin com 13 por cento. Em seguida vêm Marina Silva (Rede) com 9 por cento, Ciro Gomes (PDT) com 3 por cento, e Alvaro Dias (Podemos) com 2 por cento. Neste cenário, quatro candidatos chegam a 1 por cento cada. Outros sete candidatos não chegam a 1 por cento. A soma de brancos, nulos e indecisos é de 26 por cento.

Quando Lula é substituído pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad como candidato do PT, Bolsonaro lidera com 19 por cento, seguido por Alckmin com 15 por cento, Marina com 11 por cento, Ciro com 7 por cento, Dias e Haddad com 3 por cento cada, e Henrique Meirelles (MDB) com 2 por cento. Neste caso, nove candidatos chegam a 1 por cento e um não atinge este patamar. Brancos, nulos e indecisos somam 31 por cento.

No cenário em que o ex-governador da Bahia Jaques Wagner aparece como candidato petista, Bolsonaro aparece à frente com 20 por cento, seguido de Alckmin com 15 por cento, Marina com 12 por cento, Ciro com 7 por cento, Dias com 3 por cento e Meirelles com 2 por cento. Nove candidatos chegam a 1 por cento e dois deles, entre eles Wagner, não atingem este patamar. Brancos e nulos somam 31 por cento.

ATIVIDADES ACADÊMICAS E ADMINISTRATIVAS DA UPE VOLTAM AO NORMAL NESTA TERÇA (29)


E esta terça-feira (29) continuará sem expediente de universidades em Pernambuco. Devido à crise causada pela falta de abastecimento, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a Universidade Rural Federal de Pernambuco (UFRPE) e o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) não terão expediente.

COM AULA

Já a Universidade de Pernambuco (UPE) informou que as atividades acadêmicas e administrativas dos seus campi do Recife e Região Metropolitana serão retomadas nesta terça. A decisão é válida para os turnos da manhã, tarde e noite. No interior, as atividades serão retomadas a medida em que for restabelecido o abastecimento de combustível.

No fim da tarde, o Governo de Pernambuco informou que haverá aula na rede estadual de ensino. Nas esacolas municipais, o critério também está senod definido pelos governos locais e o critério principal para normaização das aulas é o reabastecimento de combustíveis, o que possibilitará o retorno dos funcionários da educação às escolas, bem como o fornecimento das merendas aos educandos.

AVICULTORES DO AGRESTE FAZEM APELO A CAMINHONEIROS E DIZEM QUE AVES PODEM MORRER POR FALTA DE RAÇÃO

Imagem: Reprodução Youtube/Divulgação
Em meio a uma paralisação que desabasteceu não apenas os postos de combustíveis em todo o país, mas também as prateleiras de supermercados, as despensas das escolas e os estoques de insumos em alguns hospitais, o setor avícola do nordeste vem sentindo a grave crise dentro da sua granja.

De acordo com uma nota da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), que representa boa parte dos exploradores de animais para consumo no Brasil, pelo menos 64 milhões de aves entre galinhas e frangos adultos e pintinhos já morreram. A falta de ração por conta da greve dos caminhoneiros deverá fazer com que milhões de animais morram nas próximas horas e dias. Em risco, segundo a ABPA, estão 1 bilhão de aves e 20 milhões de suínos.

Por conta da mortandade dos animais, um problema ambiental sem precedentes também se desenha no Brasil.

De forma desesperada, avicultores do município pernambucano de São Bento do Una, situada no Agreste do estado, produziram um vídeo que vem sendo publicado nas redes sociais denunciando os impactos da greve dos caminhoneiros sobre sua produção. Na gravação, os produtores fazem um apelo a categoria, que está no oitavo dia de greve, no sentido que que haja uma maior sensibilidade com a causa. Segundo o avicultor Fernando Vilela, que parece falar pelos colegas que também se expõem no vídeo, as aves correm o risco de morrer por falta de ração. Ele complementa a gravação, lembrando que a dependência comercial é mútua pois os profissionais caminhoneiros também dependem dos avicultores, pois no dia a dia estes criadores adquirem a ração de várias partes do país, que chegam ao estado e à região, via terrestre.

Assista o vídeo dos avicultores abaixo, na íntegra:

domingo, 27 de maio de 2018

EM PRONUNCIAMENTO AO VIVO, TEMER ATENDE REINVINDICAÇÕES DE CAMINHONEIROS

Visivelmente contrariado, Presidente Temer fez seu primeiro pronunciamento à
Nação, mas direcionado à categoria dos caminhoneiros em greve.

O presidente Michel Temer fez na noite deste domingo (27) uma declaração à nação, com direcionamento específico à categoria dos caminhoneiros que a sete dias estão paralisados nas rodovias nacionais, reivindicando uma série de ações do governo em prol da categoria, dentre elas a redução do preço dos combustíveis, demanda esta que também beneficiaria os demais consumidores, proprietários de veículos.

No seu pronunciamento, que interrompeu a programação normal das principais emissoras de TV do país e suas afiliadas, Temer detalhou a resposta, segundo ele, positiva para as reivindicações dos profissionais da estrada, começando com a redução em 46 centavos por litro no preço do óleo diesel por 60 dias, principal combustível propulsor da frota de caminhões pelo país. O chefe do executivo federal também.

A primeira reivindicação dos caminhoneiros, o preço do diesel, terá um desconto de 46 centavos por litro. Essa redução corresponde aos valores do PIS/Cofins e do CIDE somados”, afirmou Temer. Depois desse prazo, o reajuste dos preços do diesel acontecerá mensalmente. Segundo o presidente, a redução será arcada pelo Tesouro Nacional e não afetará a Petrobras.

Temer também anunciou que vai editar uma medida provisória isentando de pagamento de pedágio os eixos suspensos de caminhões vazios em rodovias federais e estaduais. O governo também vai estabelecer uma tabela mínima de frete.


EXCLUSIVO: PREFEITA CONSEGUE LIMINAR PARA LEVAR COMBUSTÍVEL À SÃO BENTO DO UNA

Após reunião com Governador Paulo Câmara Na manhã deste domingo (27), a Prefeita Débora Almeida conseguiu uma liminar da justiça que irá permitir que o município des São Bento do Una (PE), consiga combustível para o abastecimento da frota Municipal garantindo, dessa forma, que os serviços essenciais sejam regularizados. 


A captação desse combustível terá escolta da polícia militar e será entregue ao município assim que for decidido um forma viável e tranquila para o translado. Outros municípios estarão procedendo da mesma forma.

UPE SUSPENDE ATIVIDADES NESTA SEGUNDA-FEIRA (28/05)


A Universidade de Pernambuco (UPE), de forma preventiva e considerando a continuidade da greve dos caminhoneiros, suspende as atividades acadêmicas e administrativas de todos os seus 15 campi esta segunda-feira (28/05). A decisão é válida para os turnos da manhã, tarde e noite a fim de minimizar os transtornos à comunidade acadêmica.

A gestão da Universidade realiza, amanhã (28/05), reunião com todos os diretores das unidades da instituição para avaliar e traçar estratégias de reposição das aulas perdidas durante o período de paralização. Ao longo do dia, a UPE, que está acompanhando os acontecimentos, emitirá novo posicionamento sobre o expediente da instituição na próxima terça-feira (29/05).

No entanto, as atividades assistenciais das unidades do Complexo Hospitalar da UPE, composto pelo Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), Pronto-Socorro Cardiológico Universitário de Pernambuco (Procape) e Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (Cisam), estão mantidas em seu máximo, em respeito aos pacientes que compareçam às unidade de saúde.

Caso haja redução do número de servidores disponíveis nos atendimentos, serão priorizados os casos com gravidade clínica e situações emergenciais.

Portal da UPE

PREFEITA DE SÃO BENTO DO UNA DISCUTE CRISE DOS COMBUSTÍVEIS COM GOVERNADOR

Reunião no Palácio do Governo de Pernambuco avaliou a
intensidade na crise no estado e apresentou ações.

Tentando apresentar soluções para a sua população, a Prefeita de São Bento do Una (PE), Débora Almeida (PSB), esteve na manhã deste domingo (27) participando de uma reunião no Palácio do Campos das Princesas, convocada pelo Governador, o também socialista Paulo Câmara.

Na oportunidade, a gestora saobentense representou a AMUPE – Associação Municipalista de Pernambuco -, entidade na qual ocupa o cargo de Secretária da Mulher. A pauta da reunião, como adiantamos aqui no blog, logo no início da manhã, são as ações que estão sendo implementadas e outras que serão realizadas para minimizar  os efeitos negativos da paralisação dos caminhoneiros.
Após reunião, Governador Paulo Câmara concedeu entrevista
tendo ao lado (de vermelho) Secretaria da Mulher da AMUPE
e Prefeita de São Bento do Una, Débora Almeida.

Nesta reunião, além da prefeita Débora, também participaram diversas outras entidades públicas e privadas, prefeitos, veículos de comunicação, associações e deputados estaduais. Após o encontro, Débora seguiu para o Gabinete de Crise onde tenta junto ao governo a possibilidade de escolta policial para acompanhamento de um comboio que possa transportar combustível para o seu e outros municípios em situação mais crítica, nos quais há risco de desabastecimento principalmente para a frota da saúde. 


Marcos Patriota falou com
o agreste na manhã deste
domingo (27).

PREFEITO DE JUPI PREOCUPADO COM DESTINO DOS MUNICÍPIOS EM MEIO À CRISE

Em conversa com o Prefeito de Jupi, Marcos Patriota (DEM), o mesmo lamentou a situação que o país vive e em especial as condições nas quais os municípios pernambucanos se encontram, com o desabastecimento em vários setores.

Patriota garantiu que o combustível para utilização pela frota da saúde no seu município ainda está sob controle, mas que a educação está paralisada e que até alguma mudança ser sinalizada por parte do governo ou dos manifestantes, as aulas estarão suspensas em virtude da ausência de merenda e da impossibilidade de funcionários da educação estarem nos seus postos de trabalho, dentro das atuais condições.

GOVERNO DE SÃO BENTO DO UNA PROPÕE UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS DE TRAÇÃO ANIMAL PARA RECOLHIMENTO DE LIXO DURANTE GREVE

Governo de São Bento do Una propõe a utilização de veículos de tração animal
para a coleta de lixo no municipio até a regularização 
Quando os primeiros caminhões começaram a estacionar às margens das rodovias de todo o país, nem de longe a população imaginaria a dimensão – e consequências - da manifestação que ali se iniciava. Nem o Governo: Na terça feira, por exemplo, o Presidente Temer encontrava-se em evento do MDB, no qual se apresentou a pré candidatura do  ex Ministro da Fazenda Henrique Meirelles à presidência da República. Alheio a tudo o que se passava no país.

De lá para cá, a manifestação dos caminhoneiros, que reivindica, entre outras pautas, a redução do preço dos combustíveis nas bombas, tomou vulto no país e vem ocupando as capas dos principais jornais e as manchetes de todas as mídias. De uma hora para outra, o que parecia sólido se desmanchou e o país sofre um desabastecimento que começou com os combustíveis e agora chega aos mercados e feiras, comprometendo a alimentação, água e sobrevivência da população. Nas barricadas, instaladas ao longo das principais rodovias federais e estaduais, apenas veículos de passeio, ambulâncias  e  transportes de insumos para a saúde, além das viaturas dos órgãos de segurança tem permissão dos manifestantes para seguirem seus rumos.

SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA NO AGRESTE DE PERNAMBUCO

De São Bento do Una, município com pouco mais de 57 mil habitantes localizado há 202 quilômetros da Capital Recife, algumas ideias do poder público municipal podem, se colocadas em prática, reduzir os efeitos da falta de combustível e desta forma viabilizar o abastecimento de emergência de unidades de saúde locais. 

Uma destas ideias, nascidas de reuniões com secretariado municipal segundo a Prefeita Débora Almeida (PSB), é a utilização de veículos de tração animal (carroças de burro), que fazem parte da paisagem agresteira e no dia a dia servem para o transporte de mudanças e produtos da safra local. Esse transporte, livre da utilização de combustíveis, faria o transporte do lixo nas ruas da cidade, mais um problema que todos os municípios vem enfrentando desde o início da greve.

Clique no link e veja o vídeo do pronunciamento da Prefeita Débora Almeida no seu Facebookhttps://www.facebook.com/PrefeituraSBU/videos/1691283050947562/

PREFEITA APELA PARA A JUSTIÇA NA BUSCA DE COMBUSTÍVEL


Foto: Fernando Oliveira/PRF/ Divulgação
Débora Almeida está na manhã deste Domingo (27) em reunião de emergência com o Governador do Estado Paulo Câmara (PSB), objetivando outras medidas que possam minimizar o efeito da crise que está no seu 7º dia. 
O governo de São Bento do Una também está tomando medidas judiciais: Uma liminar pede à justiça a permissão para que alguns veículos possam, devidamente escoltados, realizarem o transporte de combustíveis a partir do Porto de Suape para abastecer a frota da saúde que, se não atendida, pode gerar um colapso nos atendimentos médicos de centenas de pacientes que utilizam o TFD  - Tratamento Fora do Domícilio -, e quem tem a necessidade de estarem em Recife e outros centros distantes da sede, para realização de exames, cirurgias e tratamentos de doenças entre elas o câncer, ações que não podem esperar pelo final de uma greve.



GOVERNO NEGOCIA NOVAS PROPOSTAS PARA TENTAR ENCERRAR GREVE DOS CAMINHONEIROS


O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse na noite deste sábado (26) que vai levar para o presidente Michel Temer (MDB) novas propostas para por fim ao movimento dos caminhoneiros depois de reunir com lideranças do movimento em São Paulo.

Marun se reuniu no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, com o governador Márcio França (PSB) e lideranças do movimento dos caminhoneiros.

Entre as propostas que serão levadas para Brasília, Marun destacou a garantia de que o desconto de 10% no valor do diesel vai chegar na bomba de forma efetiva, a possibilidade de que a manutenção do preço seja ampliada de 30 para 60 dias e o fim da suspensão da cobrança de tarifa de pedágio para eixo elevado dos caminhões. Esse último ponto já foi acertado pelo governo de São Paulo com os caminhoneiros.

"Essa é a tarefa que eu levo que Brasília. Nesse tempo, eles (líderes do movimento) vão perguntar, consultar as suas bases", afirmou Marun.

O governo e as lideranças do movimento dos caminhoneiros devem chegar a uma posição final sobre essas três propostas até as 15 horas deste domingo (27).

"O movimento dos caminhoneiros já é vitorioso e o que queremos é que agora ele possa amenizar o sofrimento dos brasileiros. Amanhã (domingo) queremos celebrar um acordo", afirmou Marun.

Segundo o último boletim divulgado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), havia 586 pontos de bloqueio nas estradas do país até as 19h deste sábado.

sexta-feira, 25 de maio de 2018

A GREVE, A FALTA DE COMBUSTÍVEL E AS POSIÇÕES DOS PREFEITOS DO AGRESTE.

Foto: Nilton Cardin/Estadão Conteúdo
Mesmo após o acordo anunciado nesta quinta-feira (24) pelo governo federal, as manifestações dos caminhoneiros continuam hoje sexta (25). Há paralisação das rodovias em pelo menos 15 estados e no Distrito Federal.

Em diversas cidades pernambucanas o caos está instalado com o comprometimento de serviços públicos e prejuízos e também na iniciativa privada. Em Garanhuns, agreste do estado, os postos já estão com seus tanques totalmente vazios e os que ainda mantinham um mínimo de estoque, não deram conta do grande número de consumidores que faziam filas para abastecer. O governo municipal de Garanhuns, inclusive, emitiu boletim com novas regras de funcionamento e condições da frota municipal. Serviços como o recolhimento de lixo e atendimento por ambulâncias, também sofrem com o impasse.

Izaías Régis, de Garanhuns, demonstrou apoio à greve dos caminhoneiros
OS MUNICÍPIOS E A FALTA DE COMBUSTÍVEL

Em uma rede social, o Prefeito de Garanhuns Izaías Régis (PTB), que voltou nesta quinta feira da Marcha dos prefeitos em Brasília,  demonstrou solidariedade aos caminhoneiros grevistas e criticou o Governo Federal, atribuindo ao mesmo a responsabilidade sobre o problema. O Governo local através da sua Autarquia de Trânsito (AMSTT) , informou ainda que as duas empresas que atuam no segmento de Transporte Público em Garanhuns reduzirão o funcionamento de sua frota, a partir desta sexta-feira (25). As empresas divulgaram novos horários que valem de sexta até o domingo (27/05).
  
De São Bento do Una, Débora Almeida reuniu assessores
e declarou situação de alerta para a frota municipal.
A prefeita de São Bento do Una, Débora Almeida (PSB), também voltando de Brasilia, reuniu sua equipe e tomou medidas restritivas em relação ao gasto de combustível por parte da municipalidade. 
Também utilizando as redes socias, Débora falou que contingenciariam alguns serviços.
Serviços dos PSFs da Zona Rural foram suspensos por não haver disponibilidade de veiculos que cheguem aos locais.
As escolas da área rural e urbana foram suspensas por não haver condições de deslocamento dos professores e alunos. 
O hospital municipal estará funcionando para o deslocamentio emergencial de ambulâncias. O TFD (Transporte Fora de Domicílio) só viaja até esta sexta. Demais veículos utilizados para o serviço administrativo estarão inativos, dentre outras medidas. 

De Lajedo, Prefeito de Lajedo
Rossine Blésmany convocou a
sua população para um manifesto
Já o Prefeito de Lajedo, Rossine Blésmany (PSD) foi mais além e convocou a população a participar de uma manifestação de apoio ao estado de greve. O protesto está acontecendo sob a chuva nesta manhã de sexta feira (25), no trecho de BR que corta a cidade.     
Em Lajedo, os serviços públicos, semelhantemente aos demais municípios também sofrem com a contenção de combustíveis e só voltarão a ser normalizados após as negociações que encerrem o movimento grevista no país.
  
Além da continuidade da greve, as cidades sofrem com escassez de alguns serviços, como alimentação, combustível, frotas de transporte público, abastecimento e segurança. Algumas escolas suspenderam as aulas e hospitais sofrem com falta de materiais e medicamentos.

O acordo feito entre caminhoneiros e o governo nesta quinta deveria suspender as manifestações durante 15 dias. No momento da assinatura do documento, a União Nacional dos Caminhoneiros, uma das representantes da categoria, não aderiu.

quarta-feira, 23 de maio de 2018

'FALANDO COM O AGRESTE ITINERANTE ' LEVA BRASÍLIA A PERNAMBUCO E FALA PARA O MUNDO


Dentro da 21ª edição das ‘Marcha à Brasília em defesa dos Municípios’ a tradicional ‘Marcha dos Prefeitos’ que vai até esta quinta feira (24), um dos pontos que mais chamaram a atenção dos mais de 5 mil gestores municipais conclamados pela CNM – Condeferação Nacional de Municipios -, foi sem dúvida o encontro com os presidenciáveis.

Na oportunidade, o prefeitos tiveram possibilidade de fazer uma avaliação das posições defendidas por alguns dos pré candidatos à presidência em relação ao municipalismo. Perguntas elaboradas pela CNM levantavam pontos como FUNDEB, educação infantil e outras pautas municipalistas. Estiveram presentes no evento os pré candidatos Álvaro Dias, Ciro Gomes, Marina Silva, Guilherme Afif, Jair Bolsonaro e Geraldo Alckmin.

Dep. Fed. Jorge Corte Real (PTB) fala sobre suas emendas
para o agreste.


Dep. Fed. Silvio Costa (Avante) comenta sobre crise nos
combustíveis.
No programa ‘Falando com o Agreste’ desta quarta feira (23) veiculado pela Rádio Marano FM a partir do meio dia, foram levadas ao ar entrevistas exclusivas com os pre candidatos Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (REDE). Nessa quinta feira, o entrevistado é o deputado federal pelo PSL, Jair Bolsonaro.

Estão programadas ainda conversas com gestores do agreste acerca da Marcha: falam o prefeito de Jucati, Ednaldo Peixoto e a Prefeita de São Bento do Una, Débora Almeida, está ultima que teve seu município premiado com uma terceira colocação entre 300 práticas de gestão, no concurso Multiciencia da CNM. No ar também, pauta com os Deputados Federais Jorge Corte Real (PTB) e Silvio Costa (Avante) e dos socialistas Danilo Cabral e Tadeu Alencar.

Prefeita de São Bento do Una 
comemora premiação nacional.
O programa ‘Falando com o Agreste’ vai ao ar nesta Quinta feira (24)  pela Rádio Marano FM a partir do meio dia, no prefixo 102,3 mhz e ou pelo aplicativo da emissora e ainda pelo blog www.falandocomoagreste.com.br

terça-feira, 22 de maio de 2018

EM DISCURSO NA ‘MARCHA DOS PREFEITOS’ TEMER DEFENDE FLEXIBILIDADE NA LEI DE LICITAÇÕES .


Marcelo Jorge, Especial de Brasília - Gestores presentes na XXI Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios acompanharam com atenção as palavras do Presidente Michel Temer (MDB) que chegou as 8 horas e 30 da manhã e informou que, por ter outro compromisso as 10, seria breve na sua passagem.

Por cerca de 15 minutos, Temer falou para uma plateia de prefeitos ávida por alguma noticia bombástica, o que não aconteceu.

De forma didática, o presidente prendeu a atenção dos gestores com uma aula de história sobre o municipalismo no Brasil.  

No seu discurso, Temer defendeu uma flexibilização na Lei de Licitações. “Se a todo momento for fazer licitação em coisa de R$ 15 mil reais, vai demorar mais para comprar do que para executar”, disse Temer, ressaltando a promessa de criar um comitê formado por Casa Civil e Receita Federal para debater o assunto.
O chefe do executivo nacional reforçou ainda a importância de os municípios estarem integrados com os estados e com a União. “É preciso legislar e executar de acordo com as necessidades locais. É com isso que podemos fortalecer o Brasil”. O discurso de Temer foi breve, pois, na sequência, se dirigiu para o Palácio do Planalto.


segunda-feira, 21 de maio de 2018

PORQUE CANDIDATOS QUEREM TANTO O APOIO DOS PREFEITOS?

Imagem: Political Chess

*Por Marcelo Jorge

Ter um prefeito aliado é muito vantajoso em uma campanha eleitoral para o Governo. Uma das primeiras vantagens é que os candidatos já iniciam a disputa com uma quantidade de votos previamente definida pela capacidade de transferências de voto dos gestores municipais. Mas é claro que apenas isto não significa eleição ganha.

Na verdade, os prefeitos quando aliados, se valem da sua própria rede de lideranças para se aproximar do eleitorado e transferir os votos para o candidato. Desta forma, o candidato à governador ou mesmo a deputado que consegue montar essa estrutura, passando por prefeitos e vereadores vinculados, tem muito mais possibilidades de conseguir uma definição mais precisa da quantidade de votos que obterá.

Desta forma, o candidato que busca apoio dos gestores municipais, tem uma maior chance de conseguir uma boa quantidade de votos para iniciar a campanha, mas sem a certeza absoluta de sucesso na disputa. A verdade é que, nesse período de ‘vacas magras’ da politica partidária, existe uma clara indefinição e até mesmo uma apatia por parte da maioria dos eleitores a nomes e a legendas políticas.

Em relação aos prefeitos e vereadores, estes mantém redes de lideranças próprias e por isso também conseguem oferecer maior visibilidade para os candidatos em locais onde estes não podem estar presentes com maior frequencia. Essa é uma das principais vantagens em ter um prefeito como aliado.

Do ponto de vista de Pernambuco, existe uma tendência histórica de eleições nas quais o apoio maciço dos prefeitos tem influenciado diretamente na eleição de governadores.

Mas dentro do atual contexto, de avaliações negativas das pesquisas em alguns setores da administração pública estadual e municipal, além do desgaste de muitos prefeitos que, em virtude de uma conjuntura cruel que vem prejudicando até os bons administradores, não os permitindo apesar do seu esforço, quem produzam os resultados que a municipalidade espera e, além disso, com a ausência de novos líderes que possam conduzir as decisões no Estado, o resultado das urnas será uma incógnita para os pretensos candidatos à governador. 

Com ou sem prefeitos.

*Marcelo Jorge é Consultor Político filiado à ABCOP - Associação Brasileira de Consultores Políticos -, radiojornalista, âncora do Programa 'Falando com o Agreste', Publicitário e graduando em Ciência Política pela Uninter | PR 

TAXA DE INSCRIÇÃO NO ENEM DEVE SER PAGA ATÉ QUARTA (23)

Foto: InfoEnem

Os candidatos que se inscreveram no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) têm até a próxima quarta-feira (23) para fazer o pagamento da taxa de inscrição, de R$ 82, para quem não for isento. O pagamento deve ser feito por meio da Guia de Recolhimento da União (GRU Cobrança), que é gerada ao fim da inscrição. A guia pode ser paga em qualquer agência bancária, casa lotérica ou agência dos Correios, respeitados os horários de compensação bancária.

A inscrição só será confirmada após o processamento do pagamento. Segundo o Inep, a inscrição cujo pagamento não tenha sido efetuado até 23 de maio não será confirmada. É responsabilidade exclusiva do participante acompanhar a situação de sua inscrição e a divulgação do seu local de prova no site do Inep.

MESMO COM CRISE MUNICIPALISTA, CÂMARA DISCUTE ESTA SEMANA, CRIAÇÃO DE NOVOS MUNICÍPIOS

A redução do Fundo de Participação dos Municipios (FPM), que é
ajuda a compor o orçamento dos 5.570 municipios país afora, vem
sendo sentida pelos gestores em todo o Brasil.
Coincidentemente ou não com a realização da ‘21ª Marcha dos Prefeitos à Brasilia’ que acontece a partir desta segunda feira até a quinta (24/05), passará a tramitar o Projeto de Lei Complementar (PLP) 137/15, que regulamenta a criação de municípios no Brasil. Esse é o destaque do Plenário da Câmara dos Deputados a partir de amanhã, terça-feira (22). A matéria teve o regime de urgência aprovado na última quarta-feira (16) e precisa do apoio de um mínimo de 257 deputados. Hoje, o Brasil tem 5.570 municípios.

Segundo o texto, originário do Senado, os plebiscitos realizados até 31 de dezembro de 2013 e os atos legislativos que autorizam sua realização serão validados para dar prosseguimento aos casos pendentes.

Além de plebiscito, o projeto prevê a realização de estudos de viabilidade com vários critérios financeiros, um número mínimo de habitantes no novo município e uma quantidade mínima de imóveis.

O texto é igual ao do PLP 397/14, um dos dois projetos vetados anteriormente pela então presidente Dilma Rousseff.

NOSSA ANÁLISE

Com a crise municipalista vivenciada pelo país, quedas sucessivas se repasses do FPM, hiper responsabilidade dos municípios na condução das políticas públicas de saúde, segurança e educação, é praticamente inviável a criação de mais custos para a União, com a criação de novos municípios. A carga quase que insuportável de custos com duodécimos de Câmaras Municipais e a criação de milhares de cargos pelo país afora em nada ajudaria o país  em uma hora como estas.

domingo, 20 de maio de 2018

PRÉ CANDIDATO, JOÃO PAULO COSTA DEVE RECEBER APOIO DO PREFEITO DE CACHOEIRINHA

João Paulo Costa (de camisa listrada) , pré candidato à deputado estadual pelo
AVANTE, receberá apoio do Prefeito de Cachoerinha.
Segundo o Blog do Edmar Lyra, com a expectativa de renovação das bancadas da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), o gestor público e candidato a deputado estadual, João Paulo Costa (Avante), 26 anos, recebe o apoio do prefeito de Cachoeirinha, no Agreste,  Ivaldo Almeida (PSB), e do vice-prefeito Eduardo de Delino (PP).

Em sua primeira disputa eleitoral, João Paulo Costa  é filho do deputado federal e pré-candidato ao Senado, Sílvio Costa (Avante), vice-líder da oposição ao governo Michel Temer (MDB).

Eleito em 2016 com 68% dos votos válidos do município de Cachoeirinha, o socialista Ivaldo Almeida ganhou o pleito pela coligação É pra Frente que se Anda e administra a prefeitura com o apoio de uma maioria folgada na Câmara.

Em seu primeiro mandato, o prefeito Ivaldo Almeida faz uma gestão dinâmica, séria, competente e articulada com os órgãos estaduais e federais, sendo uma grande  revelação como gestor público municipal no Estado.