terça-feira, 10 de abril de 2018

MESMO PRESO, PT MANTÉM CANDIDATURA DE LULA

Foto: O Globo

Na sua primeira reunião depois da prisão de Luiz Inácio Lula da Silva, a Executiva Nacional do PT reafirmou a candidatura ao Palácio do Planalto do ex-presidente, mesmo que, por ter sido enquadrado na lei da ficha limpa, Lula venha a ter sua candidatura impugnada.

Segundo a senadora Gleisi Hoffmann, presidente do PT, uma das resoluções da Executiva, que se reuniu em Curitiba, onde o ex-presidente está preso, é a reafirmação da candidatura de Lula à Presidência. “Ele é nosso candidato sob quaisquer circunstâncias. Aliás, entendemos que a liberdade de Lula é a candidatura efetiva à Presidência do Brasil. Vamos lutar muito pela candidatura do Lula”, disse Gleisi.

Em nota, a Executiva reafirmou a candidatura de Lula e que esta será registrada em 15 de agosto, data limite para isso. A rapidez do juiz federal Sérgio Moro em mandar prender o ex-presidente apenas um dia depois da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que negou um habeas corpus preventivo, surpreendeu o partido e desorganizou o planejamento interno. Nas quase 48 horas que passou no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, antes de se entregar à Polícia Federal, Lula conversou com seus apoiadores mais fiéis e tentou organizar o partido para o período em que estivesse preso.

Em conversas com um grupo muito reservado, Lula já admitiu que não terá como ser candidato e ungiu Haddad como seu sucessor no papel de presidenciável, mesmo que à revelia de boa parte do partido, mas também admitiu a possibilidade de negociar alianças. Essa decisão, no entanto, não saiu de um grupo muito restrito e, nesse momento, com o ex-presidente preso na Polícia Federal, o assunto foi tirado de cena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário