segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

POLÍCIA FEDERAL AFIRMA QUE ODEBRECHT ENTREGOU PROPINA NA CASA DA MÃE DE EX GOVERNADOR DA BAHIA

O ex-governador da Bahia Jaques Wagner (PT), investigado na Operação 
Cartão Vermelho (Elza Fiúsa/Agência Brasil)
A delegada da Polícia Federal Luciana Matutino Caires, responsável pela Operação Cartão Vermelho, deflagrada nesta segunda-feira (26), relatou que a empreiteira Odebrecht entregou dinheiro na casa da mãe do ex-governador da Bahia Jaques Wagner, no Rio de Janeiro.

O petista foi alvo de mandado de busca e apreensão da operação e teve sua residência e seu gabinete na Secretaria de Desenvolvimento Econômico do governo do estado, em Salvador, vasculhados. A PF suspeita que Jaques Wagner tenha levado 82 milhões de reais desviados das obras do estádio Arena Fonte Nova. A Cartão Vermelho cumpriu sete mandados de busca e apreensão na capital da Bahia.

“A maioria das vezes em espécie, entregues através de um representante da empresa da Odebrecht, o senhor Claudio Mello Filho. Através de prepostos, não era o senhor Jaques Wagner que recebia de forma direta. À exceção da entrega que foi feita na casa da mãe do senhor Jaques Wagner, no Rio de Janeiro”, afirmou a delegada sobre como seria o repasse do dinheiro. “Um empresário da Odebrecht entregou dinheiro, segundo as delações, na casa da mãe dele [Jaques Wagner], por indicação dele. Ele deu o endereço da mãe para que fosse entregue lá.”


De acordo com o superintendente Daniel Justo Madruga, da PF na Bahia, o repasse do dinheiro na casa da mãe do ex-governador ocorreu porque “os doleiros aqui em Salvador não teriam capacidade de entregar tal quantia e por isso teria sido feito um pagamento no Rio de Janeiro”. “Os demais pagamentos foram feitos através desses intermediários e a maior parte através de doações de campanha. Isso conforme as delações e alguns outros elementos de prova que temos nos autos”, afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário