sábado, 24 de fevereiro de 2018

APONTADO PELA POLÍCIA COMO O MAIOR FORNECEDOR DE FUZIS PARA O BRASIL É PRESO NOS ESTADOS UNIDOS

Maior traficante de armas do Brasil, foi preso na Flórida. Foto: Reprodução TV
E um duro golpe foi dado no tráfico internacional de armas para o Brasil, uma das principais causas do aumento na ampliação da violência, segundo os analistas. Apontado pela Polícia Civil como o maior traficante de armas do Brasil, o brasileiro radicado nos Estados Unidos Frederik Barbieri foi preso na madrugada deste sábado (24) em sua casa, na Flórida. 

Ele foi preso por agentes do Serviço de Imigração e Alfândegas dos Estados Unidos (ICE). Além da prisão, a polícia americana conseguiu barrar o envio de 40 fuzis para o Brasil.

“A prisão foi muito importante para acabar com um esquema sofisticado de envio de armas de guerra dos Estados Unidos para o Brasil. Acreditamos que com a prisão de Barbieri a organização criminosa está desmantelada”, afirmou o delegado Fabricio Oliveira, da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme).

Barbieri é acusado de ter enviado ao Brasil, em maio do ano passado, uma carga de aquecedores de piscina recheada de fuzis. Foi a maior apreensão de armas feita no Brasil em 10 anos, o que levou investigadores a considerarem Barbieri o maior traficante de armamentos do país.

Uma investigação da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC) interceptou o material e apreendeu as 60 armas, dentro do terminal de cargas do Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. Foi a maior apreensão de armas já ocorrida em terminal aéreo do país - eram fuzis AK-47, AR-10 e G3 que só poderiam ser usados por tropas de elite.
De acordo com as investigações, parte desses fuzis seria entregue a traficantes da Favela da Rocinha, que desde setembro está em guerra. A polícia acredita que favelas de São Gonçalo também seriam abastecidas com aquele arsenal.

Frederik Barbieri, conhecido como Senhor das Armas, tinha dois mandados de prisão no Brasil - um da Justiça Federal da Bahia, por tráfico de munição anos atrás, e outro pela Justiça Federal do Rio de Janeiro, justamente pelo envio deste carregamento de fuzis apreendido no Galeão.

A investigação da Polícia Civil depois foi enviada para a Polícia Federal, que deu sequência e prendeu 11 pessoas envolvidas na quadrilha, entre eles o filho de Fred, João Felipe e Edson da Silva Ornelas, apontado como seu contador.


Segundo apuração, além da prisão de Fred, a polícia americana conseguiu interceptar um carregamento de mais 40 fuzis que estava sendo preparado para ser enviado para o Brasil novamente.

Com informações do G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário