segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

APÓS DIVULGAÇÃO OFICIAL DE NÚMEROS DA VIOLÊNCIA EM PERNAMBUCO, OPOSIÇÃO CRITICA GOVERNO POR AUMENTO DA CRIMINALIDADE EM 2017

Imagem: Reprodução Internet
Foi divulgado pela Secretaria de Defesa Social de Pernambuco nesta segunda-feira (15) os números da violência no estado no ano de 2017.  Segundo o informe, houve um aumento de 16% nos assassinatos em relação a 2016. Ao todo, foram registrados 5.427 homicídios, o maior número da série histórica.
O Secretário de Defesa Social  Antônio de Pádua, no entanto,  minimizou o fato alegando que  a violência não é algo exclusivo de Pernambuco. Ainda segundo Pádua, a violência aumentou em todos os estados, especialmente da região Nordeste, em consequência da crise econômica e do aumento do desemprego.
Ele ainda disse que no caso específico de Pernambuco, 60% dessas mortes têm relação com o tráfico de drogas, terreno em que o Governo do Estado tem atuado com rigor.
Após a divulgação dos números oficiais, a bancada da oposição na Assembleia Legislativa divulgou a seguinte NOTA À IMPRENSA:
I- O número de assassinatos em Pernambuco cresceu 58% durante os três primeiros anos do Governo Paulo Câmara, saindo de um total de 3.434 homicídios em 2014 para 5.427 no ano passado.
II- Infelizmente, o Governo de Pernambuco tem se mostrado incapaz de reduzir esses índices, diferente de outros estados nordestinos, como a Paraíba, Alagoas e Piauí. Ao todo, nesses últimos 36 meses, 13.795 pernambucanos foram mortos de maneira violenta, segundo dados da própria Secretaria de Defesa Social divulgados nesta segunda-feira (15).
III- Além do recorde de assassinatos, tivemos o maior volume de crimes violentos contra o patrimônio, com o registro de 119,7 mil roubos e assaltos, cinco mil ocorrências a mais que o total registrado em 2016. Foram registrados ainda 2.134 casos de estupro e 33.188 casos de violência doméstica contra a mulher.
IV- A crescente violência em Pernambuco é reflexo, entre outros aspectos, do elevado déficit de homens nas Polícias Civil e Militar, baixo investimento em inteligência e em prevenção, além da falta de integração com os municípios e com o Governo Federal no combate à criminalidade.
V- Falta de transparência, de diálogo e de planejamento são algumas das críticas feitas por especialistas em segurança, como o sociólogo José Luiz Ratton, um dos idealizadores do Pacto pela Vida.
VI- A bancada de Oposição apresentou ao longo de 2017 uma série de sugestões para o Governo do Estado no sentido de ajudar a combater à criminalidade. No entanto, até hoje, obteve apenas o silêncio como resposta.

VII- A Oposição reafirma o seu compromisso com Pernambuco e se coloca, mais uma vez, à disposição do governador Paulo Câmara para ajudar a construir uma alternativa que reduza os índices de violência em nosso Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário