quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

AGORA GUARDAS MUNICIPAIS DE GARANHUNS PODEM USAR SPRAYS IMOBILIZANTES COMO FERRAMENTA DE TRABALHO

Fotos: Secom Garanhuns
A Autarquia Municipal de Segurança, Trânsito e Transportes (AMSTT) está realizando um treinamento em parte de seu efetivo para utilizar o spray imobilizante na atividade de segurança patrimonial e de trânsito, tudo isso no cumprimento do dever legal.
15 guardas municipais já receberam a capacitação, que ainda deverá ser repassada para outros 50 que fazem parte da corporação. Durante o treinamento, os servidores recebem informações teóricas e participam de simulações práticas. Os guardas municipais também puderam de ter a noção de como é gerenciar bem o material de menor potencial ofensivo, simulando serem praticantes de algum tipo de ocorrência policial.

A ferramenta de trabalho, já usada em outras cidades brasileiras e no exterior, começou a ser utilizada nesta quarta-feira (20), aqui no município.


O spray, autorizado e reconhecido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), por meio da Gerência Geral de Toxicologia, é composto por óleos vegetais de graduação alimentícia. Em sua nota técnica, datada em março do ano de 2015, é informado que a substância passou por análise junto ao Exército Brasileiro, que é a autoridade competente em regular o uso desse tipo de artefato, sendo verificado que o produto não é irritante, nem causa preocupações em relação à saúde.

PARABÉNS SALOÁ: 54 ANOS REVELANDO O AGRESTE E ORGULHANDO PERNAMBUCO!

Foto: Divulgação Internet/ Arte logomarca: Caio César
O pacato e progressista município de Saloá, localizado a 262 quilômetros da sua capital, Recife, está celebrando seus 54 anos de fundação.

A história cnta que a sesmaria que deu origem às terras do município de Saloá pertencia a Gerônimo Burgos de Souza e Eça. Estas foram posteriormente  vendidas a Manuel da Cruz Vilela em 23 de julho de 1712.  Inicialmente, o  distrito foi criado com a denominação de São Serafim, pela lei municipal nº 60, de 4 de março de 1921, no município de Bom Conselho. Em 1939, teve seu nome alterado para Barro.

Mas somente no ano de 1944, a localidade passou a chamar-se como a conhecemos atualmente: Saloá. Existem controvéroias entre os historiadores sobre a origem deste nome, mas provavelmente tem origem na língua macro-jê, dos povos Fulniôs, habitantes da região. Segundo Roberto Harrop Galvão, Saloá significaria areia ou Barro.

Na data que hoje se comemora os seus 54 aqnos, no ano de 1963, Saloá foi enfim elevada à categoria do município, através da Lei estadual nº 4946.

Independente das origens e suposições, o município hoje é berço de um povo acolhedor e guerreiro que já soma 15.722 habitantes. Suas tradições e religiosidade são mantidas e o seu atual governo, gerido pelo dinâmico Prefeito Ricardo Alves (PMDB), vem transformando gradativamente a  cidade em canteiro de obras.

Apesar de todas as dificuldades vivencidas atualmente pela maioria dos 5.570 municípios brasileiros, Saloá vem cumprindo junto à sua população sua vocação de cidade que trabalha e junto à região tem o respeito dos demais municípios do agreste meridiaonal onde se insere.

Nesta data tão importante , Pernambuco e o saloaenses tem muito do que se orgulhar: Do perfume das rosas que circundam o município e da força de trabalho e dignidade da sua população, forja-se as homenagens de todas as populações vizinhas. Salve Saloá!

Mais de meio século se impondo com destaque na paisagem agreste!

Marcelo Jorge, com informações dos arquivos municipais e ASCOM/Saloá.

PAULO MALUF SE ENTREGA Á POLÍCIA FEDERAL

Paulo Maluf se entrega na Polícia Federal em São Paulo (TV Globo/Reprodução)
O deputado federal Paulo Maluf chegou à superintendência da Polícia Federal na manhã desta quarta (20) para se entregar. Decisão da 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal confirmada pelo ministro Edson Fachin nesta terça (19) determinou que Maluf cumpra imediatamente a pena de sete anos, nove meses e dez dias de prisão em regime inicial fechado, por lavagem de dinheiro.
O ministro rejeitou o recurso da defesa por considerá-lo meramente protelatório e determinou o imediato cumprimento da decisão.  No julgamento na turma, em maio, também foi determinada a perda do mandato, o impedimento para o exercício de qualquer função pública e o pagamento de cerca de 248 dias-multa, aumentados em três vezes.