quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

LEI QUE PROÍBE DEBATE DE IDEOLOGIA DE GÊNERO NAS ESCOLAS É SANCIONADA PELO PREFEITO

Foto: Secom Garanhuns
Depois de audiência, votação e muitos comentários nas redes sociais sobre o assunto, o prefeito Izaías Régis sancionou a lei que veda a adoção da ideologia de gênero nas práticas pedagógicas das escolas municipais da cidade, do vereador Audálio Ramos.

De acordo com o documento que foi assinado na presença de representantes da sociedade civil, do Instituto Histórico Geográfico e Cultural de Garanhuns e das igrejas católica e evangélica. Agora “não se pode abordar de forma direta ou indireta, bem como a prática de atividades pedagógicas, inclusive extraclasse, sobre temática referente a teoria, questões, identidade ou ideologia de gênero”.


Agora o documento assinado pelo prefeito será enviado para publicação no Diário Oficial do Município e passa a valer na data de publicação.

MÉDICOS DA UPAE VOLTAM AO ATENDIMENTO

Foto: O Argonauta
Por meio de nota, a UPAE de Garanhuns informou que os atendimentos médicos voltaram ao normal nesta quinta-feira (14), em todos os setores da unidade de saúde.

Os pacientes que não foram atendidos nos dias 12 e 13, sendo retorno de consulta, devem ir à UPAE no dia 20 de dezembro, para reagendar o atendimento. Já aqueles que iriam para a primeira consulta devem retornar às secretarias de Saúde de seus municípios e reagendar uma nova data.


Hoje, serão atendidos apenas os pacientes que estavam previamente marcados para este dia.

EXTRA: OPERAÇÃO COMBATE FRAUDE E DESVIO DE ATÉ R$ 18 MILHÕES EM PREFEITURA PERNAMBUCANA

Prefeitura de Quipaá, na Mata Sul, é alvo da investigação
Foto: Divulgação Polícia Civil
O Ministério Público de Pernambuco (MPPE), o Ministério da Transparência, a Controladoria Geral da União (CGU) e a Polícia Civil realizam, hoje quinta-feira (14), uma ação para investigar fraudes em licitações públicas na Prefeitura de Quipapá, na Zona da Mata Sul de Pernambuco. A Operação Gênesis cumpre 15 mandados de busca e apreensão. Dados preliminares apontam que a quantia desviada pelo esquema chega a R$ 18 milhões.

As investigações mostram, ainda, que R$ 3,5 milhões que teriam sido desviados foram repassados pelo governo federal. Segundo informações da Polícia Civil de Pernambuco, empresas atuavam de forma coordenada com os agentes públicos para direcionar as licitações. Assim, asseguravam assinaturas de contratos com firmas fantasmas.

Além de Quipapá, os agentes cumpriram mandados de busca e apreensão no Recife e nas cidades de Garanhuns, Correntes, Terezinha, Caruaru, no Agreste. Participaram da operação 70 policiais civis, 12 integrantes do Grupo de Apoio Especializado ao Combate às Organizações Criminosas do MPPE (Gaeco) e oito servidores da CGU.

Os detalhes da ação serão apresentados na manhã desta quinta (14), na sede do Ministério Público, no Centro do Recife.

Com informações do G1