quarta-feira, 29 de novembro de 2017

CONCURSO : GOVERNO AUTORIZA 16 MIL VAGAS NA EDUCAÇÃO

A Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) de Minas Gerais anunciou que está autorizada a abertura de um novo concurso público para o provimento de 16,7 mil vagas na Secretaria de Educação. Segundo a assessoria do órgão, serão 16.000 vagas ofertadas para Professor de Educação Básica Regente de Aula e 700 vagas como Especialista em Educação Básica. O edital do certame já está sendo elaborado pela Seplag, juntamente com o termo de referência que visa a contratação da banca responsável pelo certame.

As vagas serão distribuídas entre as 47 Superintendências Regionais de Ensino, que têm sede nas cidades de Almenara, Araçuai, Barbacena, Campo Belo, Carangola, Caratinga, Caxambu, Conselheiro Lafaiete, Coronel Fabriciano, Curvelo, Diamantina, Divinópolis, Governador Valadares, Guanhães, Itajubá, Ituiutaba, Janaúba, Januária, Juiz de Fora, Leopoldina, Manhuaçu, Monte Carmelo, Montes Claros, Muriaé, Nova Era, Ouro Preto, Pará de Minas, Paracatu, Passos, Patos de Minas, Patrocínio, Pirapora, Poços de Caldas, Ponte Nova, Pouso Alegre, São João Del Rei, São Sebastião do Paraíso, Sete Lagoas, Teófilo Otoni, Ubá, Uberaba, Uberlândia, Unaí e Varginha.

A secretária da Educação do estado, Macaé Evaristo, ressalta que o concurso é parte da política de valorização do servidor e beneficia a educação: "quando assumimos a gestão, em 2015, tínhamos um quadro de pessoal no qual menos de 1/3 era de servidores efetivos. Com grande esforço, chegamos agora em 2017 à marca de mais de 50 mil servidores nomeados. Em algumas carreiras, como a de professor, o índice de efetivos chega a 42%; mas em outras já ultrapassamos os 70% de efetivos. São dados que devem ser comemorados, porque não há dúvida que vão impactar positivamente no desenvolvimento de nossos estudantes".


A remuneração inicial das carreiras é fixada em R$ 2.135,64 por jornada de trabalho de 24 horas semanais.

Outras informações em : www.acheconcursos.com.br

PRIMEIRA PARCELA DO 13° SALÁRIO SAI ATÉ ESTA QUINTA; SAIBA SE TEM DIREITO E QUANTO VAI RECEBER


A primeira parcela do 13° salário dos trabalhadores deve ser paga até esta quinta (30), e a segunda parcela, conforme a lei, sai até 20 de dezembro.
Todos os trabalhadores sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), ou seja, quem tem carteira de trabalho assinada pelo empregador, tem direito ao pagamento. Isso vale para trabalhadores rurais, temporários e domésticos. Aposentados e pensionistas também recebem 13º salário, mas em outra data, definida pela Previdência.
Já aqueles que não são contratados pela CLT — autônomos, prestadores de serviços, diretores estatutários sem vínculo de emprego etc — ficam sem o benefício. Vale dizer, porém, que alguns profissionais autônomos instituem em seus contratos com empresas ou por meio de acordo prévio que vão emitir nota referente a um salário extra no ano. Cabe ao cliente aceitar ou não.
Quanto vou receber?
A cada mês trabalhado pelo funcionário no ano, ele ganha o direito a receber uma parte equivalente ao salário dividido por 12. Se ele trabalhou 12 meses do ano, recebe integralmente.
A conta começa a partir da data da contratação, que consta na carteira de trabalho. Digamos que ele tenha sido contratado em 1° de fevereiro, considerando o ano completo, o funcionário teria direito a 11/12 de um salário. Por exemplo: se o salário mensal é de R$ 2,4 mil, essa pessoa teria direito a R$ 2,2 mil como 13° salário, menos os descontos de INSS, imposto de renda e outras deduções.
Para funcionários admitidos até 17 de janeiro, o pagamento é feito integralmente.
Contam para o cálculo do 13º as horas extras, adicional noturno, adicional de periculosidade, adicional de insalubridade e outros.
Comecei a trabalhar no meio do mês, e agora?
Para que um mês seja considerado, o funcionário deve ter trabalhado no mínimo 15 dias. Assim, se a pessoa foi contratada no dia 14 de abril, o 13° será de 9/12 do salário mensal – incluindo o mês de abril, portanto, no cálculo. Mas se o trabalhador começou oficialmente no dia 16 de abril, para efeito de 13° salário serão contados 8/12.
Caso o profissional deixe a empresa ao longo do ano, ele deverá receber na rescisão o 13° proporcional ao período em que esteve empregado naquele ano. A regra só não vale para quem for demitido por justa causa.
Quem teve faltas não justificadas que somaram 15 dias ou mais num mesmo mês perde 1/12 do benefício. Portanto, sempre que faltar ao trabalho, além de avisar ao chefe imediato, vale levar o atestado médico no dia seguinte ou justificar a ausência e compensar as horas trabalhadas para evitar o desconto.
Funcionários afastados por doença ou licença maternidade têm direito integral ao 13º salário. A diferença é que no caso de afastamento por motivo de saúde, o pagamento tem fontes diferentes. O 13° salário proporcional é pago pela empresa e o restante, pela Previdência.
Trabalhadores que estejam cumprindo serviço militar obrigatório devem receber pelo período anterior e posterior ao afastamento - descontando-se o tempo de ausência.

Fonte: Com informações de Época

BANDIDOS EXPLODEM CAIXA ELETRÔNICO EM ANGELIM NA MADRUGADA DESTA QUARTA-FEIRA,29


Seis homens explodiram o único caixa eletrônico de um posto de atendimento do Bradesco na madrugada desta quarta-feira (29) em Angelim, no Agreste de Pernambuco. De acordo com o Comando do 9º Batalhão da Polícia Militar, os bandidos espalharam grampos na PE-177 dificultando a chegada da PM ao local da explosão, no Centro da cidade.

Ainda segundo a polícia, não há confirmação se os assaltantes conseguiram levar alguma quantia em dinheiro, mas a explosão destruiu todo posto de atendimento.


Os suspeitos conseguiram fugir e até o momento não foram localizados. Não houve confronto e ninguém saiu ferido da ação. A área foi isolada para realização da perícia e investigação da Polícia Civil.

G1