quarta-feira, 12 de julho de 2017

LAJEDO REALIZA CONFERÊNCIA NA ÁREA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL

A importância da Assistência Social em um país assolado por uma série de crise vem sendo visibilizada pelo Governo de Lajedo.  Para chamar a atenção da sociedade para esta importante pauta, o município realizou  através da Secretaria Municipal de Assistência Social um debate público com esferas como governo, eixos, serviços, poder legislativo e sociedade. A 9ª Conferência Municipal da Assistência Social foi realizada nesta quarta (12) no CCI com a presença do prefeito Rossine Blesmany (PSD). Na oportunidade, o gestor lajedense aproveitou para destacar a importância da participação e informação da população para conscientização e mudança da realidade.

Prefeito Rossine Blésmany abriu o evento
Blésmany abriu o evento alertando a população presente acerca da Reforma Trabalhista e sobre a participação da comunidade através da informação. “Vamos cada um de nós melhorar como trabalhamos pelo povo”, salientou o prefeito e complementou: “Nesse prisma, a Conferência é garantidora de direitos promovendo a Assistência Social como uma política pública e desenvolve propostas a serem cumpridas nos próximos 10 anos”.

Todas as propostas apresentadas na Conferência são relacionadas aos 04 eixos: 
1- A proteção social não contributiva e o princípio da equidade como paradigma para a gestão dos direitos socioassistenciais; 
2- Gestão democrática e controle social; 
3 - Acesso às seguranças socioassistenciais e a circulação entre os serviços, benefícios e transferências de renda como garantias de direitos; 
4 - A legislação como instrumento para uma gestão de compromissos e envolvimento dos entes federativos.

Secretária Marconeide falou da sua paixão pela Educação e
Assistëncia
Já para a Secretária de Assistência, Sra. Marconeide Cordeiro, sua paixão pela educação e assistência social resumem seu compromisso com a pasta e complementou: “Não podemos parar só com o que já temos. Precisamos lutar para fazer mais”.

Entre as propostas aprovadas estão também a inclusão de usuários LGBT em fóruns de discussão, conquistando direitos condizentes com a realidade, fortalecer as estratégias do BPC nas escolas e fortalecer a erradicação do trabalho infantil.

AGORA É COM A SEGUNDA INSTÂNCIA : SAIBA QUEM SÃO OS 3 DESEMBARGADORES FEDERAIS QUE PODEM PÔR LULA NA CADEIA,E ELES SÃO LINHA DURA


Agora é com eles - Começa a pressão
As decisões do juiz federal Sergio Moro, que conduz a Operação Lava Jato em primeira instância em Curitiba e acabou de condenar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e meio de prisão, passam pelo crivo de três desembargadores federais do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) em segunda instância. São eles que vão decidir que ratificam a condenação do petista e, em consequência, determinam sua prisão e sua inelegibilidade para 2018.
João Pedro Gebran Neto, relator da Lava Jato no TRF4, Leandro Paulsen e Victor Luiz dos Santos Laus, membros da 8ª Turma da Corte sediada em Porto Alegre, mantiveram condenados até agora 34 dos 39 réus considerados culpados por Moro. Apenas cinco foram absolvidos no tribunal. Conhecidos pelo perfil “linha dura” e a mão pesada quando aumentam as penas estipuladas pelo magistrado, os desembargadores elevaram a soma de 398 anos de prisão decretados por Moro nestas sentenças a 487 anos.
Com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de fixar o cumprimento de pena a partir de condenações em segunda instância e a Lei da Ficha Limpa, que impede candidaturas em eleições de condenados nesta jurisdição, as decisões de Gebran, Poulsen e Laus na Lava Jato ganham ainda mais peso.
Publicado por

EM BRASÍLIA PREFEITOS MARCOS PATRIOTA E GENALDI ZUMBA TEM REUNIÃO COM MINISTRO DA DEFESA E PRESIDENTE DA CÂMARA

Prefeito de Jupi, Marcos Patriota (DEM), Ministro da Defesa Raul Jungmann, Presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM) e Prefeito de São João, Genaldi Zumba (PSD) em Brasília.
Prefeitos sentados em gabinetes não resolvem problemas. A partir desse princípio, Marcos Patriota (DEM), prefeito de Jupi e Genaldi Zumba (PSD), prefeito de São João estiveram na tarde dessa Quarta feira (12) em reunião com o Ministro da Defesa, o pernambucano Raul Jungmann e com o deputado federal, atual Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM).

Na agenda, que durou cerca de uma hora e quinze minutos, Marcos Patriota solicitou a colaboração da União através do Ministro e do seu correligionário democrata, hoje maior autoridade no parlamento federal, para resolução de demandas do município de Jupi, principalmente na área da segurança, um dos problemas pontuais que mais afetam a nossa região e que apesar dos esforços do governo do estado, ainda não foram minimizados.
Na pauta também esteve presente a problemática da água, quando o gestor jupiense solicitou a continuidade de abastecimento por carros pipa  do Exército, pois de acordo com Patriota, apesar das chuvas intensas que vem colaborando com a agricultura, em algumas localidades, a água ainda não conseguiu ser acumulada e existe a necessidade de direcionar o líquido já tratado para reservatórios nas residências.   

Segundo Marcos Patriota e Genaldi, tanto o Ministro, representando o Poder Executivo Federal, quanto o Presidente da Câmara, representando o Poder Legislativo, foram muito cordiais e salientaram que as portas dessas instituições nacionais estarão sempre abertas para as solicitações dos municípios que os buscarem com demandas legítimas.


Na opinião do Prefeito Patriota, “Fazer política é estar sintonizado com os anseios populares e não apenas abrir críticas contra os que vem produzindo resultados, com pouco mais de 180 dias de Governo. A nossa presença perante um Ministro e um Presidente da Câmara, significa a presença de Jupi, a qual legitimamente represento.” E complementou:  “Minha atuação agrada a maioria do jupiense, mas certamente incomoda a alguns que não conseguiram mostrar nada de concreto para o município que não sejam críticas. Esses terão certamente, mandato curto, pois só enxergam a política partidária e não a Política de SOLUÇÕES!”.   

LULA É CONDENADO A NOVE ANOS E SEIS MESES DE PRISÃO POR CORRUPÇÃO E LAVAGEM DE DINHEIRO

A sentença é do Juiz Sérgio Moro. É a primeira vez na história do Brasil que um ex-presidente é condenado por receber propina. O processo é relacionado apenas à reforma do tríplex do Guarujá.

Aos 71 anos de idade, Luiz Inácio Lula da Silva foi condenado a 9 anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A condenação do juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal, em Curitiba, é a primeira do ex-presidente na Operação Lava Jato.


“Entre os crimes de corrupção e de lavagem, há concurso material, motivo pelo qual as penas somadas chegam a nove anos e seis meses de reclusão, que reputo definitivas para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”, condenou Moro.

ARMANDO REAGE DURAMENTE À AFIRMAÇÃO DE MAIA CONTRA MP QUE MUDARÁ REFORMA TRABALHISTA

“Infeliz”, “arrogante”, “precipitada”, reagiu o senador Armando Monteiro (PTB-PE), nesta manhã desta quarta-feira (12), à declaração do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de que irá barrar a medida provisória que alterará o projeto da reforma trabalhista aprovado nesta terça-feira (11) à noite pelo Senado. O petebista foi um dos mais duros entre os senadores que rebateram energicamente a posição de Maia.
"Foi uma manifestação infeliz de quem parece agir já como presidente da República, a quem cabe única e exclusivamente a prerrogativa de editar medidas provisórias. Revela a imaturidade do presidente da Câmara dos Deputados. Participei, não como integrante da base do governo, porque tenho posição política totalmente independente, das negociações que resultaram no conteúdo da futura medida provisória, de modo a dar maiores garantias ao trabalhador. Repudio, por isso, a forma precipitada e arrogante com que se manifestou o deputado Rodrigo Maia”, reagiu Armando.

Assim como o senador pernambucano, outros senadores aproveitaram a abertura da sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) que sabatina a futura procuradora-geral da República Raquel Dodge, para rebater Maia. Segundo Ronaldo Caiado (DEM-GO), a atitude de Maia contra mudanças no texto aprovado na Câmara e referendado ontem pelo plenário do Senado foi “grosseira, inoportuna e deselegante”.
Mesmo senadores radicalmente contrários à reforma trabalhista condenaram as declarações do presidente da Câmara. Para Jorge Viana (PT-AC), “o Senado não pode ser avacalhado como está sendo por Rodrigo Maia”. Já Lindbergh Farias (PT-RJ) classificou como “desastrada” a posição do presidente da Câmara.
COSTURA – Armando  participou ativamente da costura do acordo que modificará, por medida provisória, a reforma trabalhista aprovada no Senado. Ele, Ricardo Ferraço (PSDB-ES), Marta Suplicy (PMDB-SP), presidente da Comissão de Assuntos Sociais (CAS); Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo, tiveram duas longas reuniões, na véspera da votação da reforma na CCJ. Concluíram as modificações por telefone, enquanto transcorria a sessão da Comissão na qual a reforma foi aprovada, às 23h55 do dia 28 passado.

Entre as oito mudanças na reforma trabalhista, a medida provisória estabelecerá que, em vez de individualmente, como consta do projeto aprovado ontem, será permitida apenas por convenção coletiva (entre categorias) ou acordo coletivo (entre empresas e sindicatos) a jornada de trabalho de 12 horas por 36 horas de descanso, alterando-se dispositivo do PLC 38/2017.
“A nova legislação acompanha a evolução das relações de trabalho. Prevê um maior protagonismo da negociação, ao mesmo tempo em que mantém os direitos do trabalhador. Será reduzida a insegurança jurídica e, com isso, a informalidade, que atinge 40 milhões de brasileiros. Além de todas estas virtudes, a reforma trabalhista abriga ao amparo da lei modalidades de trabalho que atualmente não dispõem de proteção previdenciária ou trabalhista”, assinala o senador pernambucano.


(Informações da Assessoria do Senador AM)

RODRIGO MAIA DIZ QUE CÂMARA NÃO ACEITARÁ MUDANÇA NA REFORMA TRABALHISTA

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM)
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse hoje (12) que os deputados não aceitarão mudanças na reforma trabalhista aprovada ontem (11) pelo Senado. Por meio do Twitter, Maia afirmou que caso o presidente Michel Temer envie uma medida provisória sobre o assunto, a proposta “não será reconhecida” pela Câmara.
“A Câmara não aceitará nenhuma mudança na lei. Qualquer MP não será reconhecida pela Casa”, escreveu Maia, às 0h08 desta quarta-feira. A mensagem foi publicada na rede social, mencionando uma reportagem sobre o assunto, cerca de duas horas após a votação.
No final de junho, em carta enviada aos senadores, o presidente Michel Temer se comprometeu a cumprir um acordo para vetar alguns trechos da matéria e enviar uma medida provisória regulamentando as lacunas deixadas pelos eventuais vetos. Caso uma MP seja editada por Temer, ela passa a vigorar com força de lei, mas precisa ser aprovada pelo senado e pela Câmara.
VOTAÇÃO
Aprovada no plenário do Senado após uma sessão tumultuada que durou o dia inteiro, a reforma trabalhista modifica mais de cem pontos da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), permitindo, dentre as mudanças, que o acordado entre patrões e empregados prevaleça sobre o legislado nas negociações trabalhistas. Como já havia sido apreciada pelos deputados, o projeto agora segue para sanção presidencial.
Para que a proposta não voltasse a ser analisada pela Câmara dos Deputados, os senadores governistas não aceitaram nenhuma mudança de mérito no texto e rejeitaram as emendas e destaques para que pontos específicos do projeto fossem alterados.

GARANHUNS RECEBE 32ª EDIÇÃO DA BIENAL DE SÃO PAULO

Foto: Blog do Carlos Eugênio
Garanhuns será a única cidade de Pernambuco a receber obras de artistas nacionais e internacionais para explorar o tema “Incerteza Viva”, durante a 32ª bienal de SP – Itinerâncias. O evento acontece a partir do dia 20 de julho, na Galeria de Artes Ronaldo White e no Centro de Produção Cultural do Sesc.

Além de Garanhuns, outras cidades também estão recebendo recortes da mostra, como Belo Horizonte (MG), Cuiabá (MT), Palmas (TO), Fortaleza (CE), Bogotá (Colombia) e Porto (Portugal).

A exposição foi construída especialmente para Garanhuns e conta novamente com a curadoria geral de Jochen Volz. O tema “Incerteza Viva”, vai reunir trabalhos de nove artistas nacionais e mundiais. Bárbara Wagner, Cristiano Lenhardt – que estará presente na abertura da mostra – Ebony G. Patterson, Gilvan Samico, Jonathas de Andrade, José Bento, Leon Hirszman, Rosa Barba e Wilma Martins serão os responsáveis por propor, por meio de seus trabalhos, o exercício de reflexão aos visitantes.

As escolas que tiverem interesse em levar estudantes à Bienal podem agendar um horário através do telefone: (87) 3761-2658.

A 32ª Bienal de São Paulo – Itinerâncias acontece até o dia 22 de setembro

O QUE MUDA PARA O TRABALHADOR COM REFORMA TRABALHISTA APROVADA ONTEM?

A resistência da oposição não foi suficiente para conter o "trator" do governo e evitar a aprovação expressa da reforma trabalhista no plenário do Senado. Numa longa e tumultuada sessão, marcada pelo protesto de quase sete horas - quatro delas no escuro - de senadoras da oposição, o governo conquistou mais esta vitória. A votação mesmo, no entanto, foi feita em menos de quatro horas.

No texto principal, foram 50 votos a favor, 26 contra e uma abstenção. Em dois meses de debates, foram propostas 864 emendas, mas todas rejeitadas, assim como os destaques. Agora, o texto segue para a sanção presidencial. 

O QUE MUDA PARA O TRABALHADOR?

Um dos principais pontos da reforma abre a possibilidade para que negociações entre trabalhadores e empresas se sobreponham à legislação trabalhista, o chamado "acordado sobre o legislado". Poderão ser negociados à revelia da lei o parcelamento de férias, a jornada de trabalho, a redução de salário e o banco de horas. Por outro lado, as empresas não poderão discutir o fundo de garantia, o salário mínimo, o 13º e as férias proporcionais.

Para a jornada de trabalho, o texto prevê que empregador e trabalhador possam negociar a carga horária num limite de até 12 horas por dia e 48 horas por semana. A jornada de 12 horas, entretanto, só poderá ser realizada desde que seguida por 36 horas de descanso.

Já as férias poderão ser divididas em até três períodos, mas nenhum deles poderá ser menor que cinco dias corridos ou maior que 14 dias corridos. Além disso, para que não haja prejuízos aos empregados, fica proibido que as férias comecem dois dias antes de um feriado ou fim de semana. Hoje, a CLT prevê jornada máxima de 44 horas semanais e as férias podem ser divididas apenas em dois períodos, nenhum deles inferior a dez dias. Ainda sobre férias, o texto da reforma passa a permitir que trabalhadores com mais de 50 anos dividam suas férias, o que atualmente é proibido.

Outro ponto sugerido é a determinação que, se o banco de horas do trabalhador não for compensado em no máximo seis meses, essas horas terão que ser pagas como extras, ou seja, com um adicional de 50%, como prevê a Constituição. O texto também atualiza a CLT, que previa um adicional de 20% para o pagamento das horas extras, para 50%, como está previsto na Constituição.

A reforma cria ainda duas modalidades de contratação: o trabalho intermitente, por jornada ou hora de serviço, e o teletrabalho, que regulamenta o chamado home office, ou trabalho de casa.

Atualmente a legislação trabalhista não contempla o trabalho em casa e o texto apresentado nesta terça inclui o home office, estabelecendo regras para a sua prestação. Ele define, por exemplo, que o comparecimento às dependências do empregador para a realização de atividades específicas que exijam a presença do empregado não descaracteriza o regime de trabalho remoto.

Haverá a necessidade de um contrato individual de trabalho especificando as atividades que serão realizadas pelo empregado e esse documento deverá fixar a responsabilidade sobre aquisição, manutenção ou fornecimento dos equipamentos, além da infraestrutura necessária para o exercício de cada atividade. As despesas ficam por conta do empregador, que não poderão integrar a remuneração do empregado.

A outra modalidade de contratação criada, o trabalho intermitente, permite que o trabalhador seja pago somente pelas horas de serviço de fato prestadas. Neste caso, segundo a versão final do relatório, a empresa terá que avisar o trabalhador que precisará dos seus serviços com cinco dias de antecedência.

A modalidade, geralmente praticada por bares, restaurantes, eventos e casas noturnas, permite a contratação de funcionários sem horários fixos de trabalho. Atualmente a CLT prevê apenas a contratação parcial.

A CLT em vigor considera trabalho em regime de tempo parcial aquele cuja duração não passe de 25 horas semanais. Pela legislação atual, é proibida a realização de hora extra no regime parcial. O parecer do relator aumenta essa carga para 30 horas semanais, sem a possibilidade de horas suplementares por semana. Também passa a considerar trabalho em regime parcial aquele que não passa de 26 horas por semana, com a possibilidade de 6 horas extras semanais. As horas extras serão pagas com o acréscimo de 50% sobre o salário-hora normal. As horas extras poderão ser compensadas diretamente até a semana seguinte. Caso isso não aconteça, deverão ser pagas.

Para o regime normal de trabalho, o parecer mantém a previsão de, no máximo, duas horas extras diárias, mas estabelece que as regras poderão ser fixadas por “acordo individual, convenção coletiva ou acordo coletivo de trabalho”. Hoje, a CLT diz que isso só poderá ser estabelecido “mediante acordo escrito entre empregador e empregado, ou mediante contrato coletivo de trabalho”. Pela regra atual, a remuneração da hora extra deverá ser, pelo menos, 20% superior à da hora normal. O relator aumenta esse percentual para 50%.

Sobre a terceirização, lei sancionada em março pelo presidente Michel Temer, o texto da reforma propõe salvaguardas. O parecer cria uma quarentena que impede que o empregador demita um trabalhador efetivo para recontratá-lo como terceirizado em menos de 18 meses.

Além disso, um trabalhador terceirizado deverá ter as mesmas condições de trabalho dos efetivos de uma mesma empresa. Essa equidade vale para itens como de ambulatório, alimentação, segurança, transporte, capacitação e qualidade de equipamentos.

Há ainda mudanças na contribuição sindical. Atualmente, o pagamento é obrigatório e vale para empregados sindicalizados ou não. Uma vez ao ano, é descontado o equivalente a um dia de salário do trabalhador. Se a mudança for aprovada, a contribuição passará a ser opcional. Na prática, o fim da contribuição obrigatória enfraquece a discussão e pleitos coletivos por categoria de trabalhadores.

Além disso, o texto da reforma trabalhista viola três convenções da Organização Internacional do Trabalho (OIT). As mudanças, tratadas como prioridade pelo governo e pelo mercado, podem resultar em consequências nefastas para os trabalhadores brasileiros, como detalha o dossiê preparado pelo Centro de Estudos Sindicais e de Economia do Trabalho (Cesit), vinculado ao Instituto de Economia da Unicamp.

Ainda que a maior parte da grande imprensa não aborde o impacto negativo das mudanças, como mostrou levantamento da ONG Repórter Brasil, inúmeros especialistas são contrários ao texto. "Com a reforma trabalhista, o poder do empregado fica reduzido a pó", disse a CartaCapital Maria Aparecida da Cruz Bridi, professora de Sociologia da Universidade Federal do Paraná. Ricardo Antunes, da Unicamp, referência na sociologia do trabalho, fez duras críticas ao texto em entrevista a CartaCapital. "Na escravidão o trabalhador era vendido. Na terceirização, é alugado", afirmou ele.

Na terça-feira 27, o Conselho Pleno da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) aprovou duas preliminares sobre a reforma nas quais repudia o regime de urgência com que a proposta tramita no Congresso Nacional e denuncia inconstitucionalidades encontradas no projeto de lei.

DOR DE CABEÇA ? SAIBA QUANDO TOMAR IBUPROFENO E PARACETAMOL

Dois dos analgésicos mais comuns do mundo, o paracetamol e o ibuprofeno são comumente usados contra dores de cabeça, cólicas ou febre, por exemplo.
Ambos em geral são seguros se tomados na dose correta e sob recomendação médica, mas como saber qual dos dois tomar?
Os analgésicos até podem ser usado em conjunto, desde que seguindo as orientações da bula e de médicos - e dentro de doses limitadas. Mas esse uso combinado não é recomendado para crianças menores de 16 anos.
Paracetamol
Segundo o NHS, o paracetamol reduz a dor ao afetar os químicos nas chamadas prostaglandinas, substâncias liberadas pelo corpo em resposta a doenças ou lesões. O paracetamol bloqueia a produção de prostaglandinas, fazendo o corpo menos ciente da dor ou da lesão.
É indicado para aliviar dores moderadas e leves, como dores de cabeça, torções e dente. O analgésico também reduz a temperatura do corpo.
A não ser que o médico assim oriente, nunca tome mais do que quatro doses em 24 horas e sempre siga as orientações da bula.
E, se as dores persistirem por mais de três dias, consulte seu médico. Por conta dos efeitos colaterais, nunca é indicado que o paciente aumente ele próprio sua dosagem caso a dor seja severa.
Virtudes
- A droga age diretamente nos nervos e receptores do cérebro para aliviar a dor, e por isso costuma ser mais eficaz contra dores de cabeça.
- É seguro para crianças e adultos se tomado corretamente, e os efeitos colaterais são mínimos.
- Segundo artigo publicado na rede médica AskDrSears.com, seria necessário tomar ao menos sete vezes a dose normal de paracetamol para que a droga se tornasse danosa ao paciente. É seguro tomá-la com outros antibióticos ou medicamentos de resfriado.
- Pode ser ministrado a bebês, para tratar febres ou dores, desde que eles tenham mais de dois meses de idade.
Defeitos
- Enquanto o ibuprofeno age em 30 minutos, o paracetamol não tem efeito antes de 45 a 60 minutos desde a ingestão da primeira dose. E a dor e a febre são reduzidas por quatro horas, em vez de seis.
- O paracetamol não tem as mesmas propriedades anti-inflamatórias que o ibuprofeno, portanto é menos eficaz para reduzir a dor associada à inflamação e à lesão corporal.
- Ainda que não ataque o estômago, seu consumo excessivo pode ser prejudicial para o fígado e o rim. Portanto, não deve ser usado por pessoas com problemas hepáticos.
- Em casos mais raros, pode causar reação alérgica (coceira ou inchaço).
- Quando ministrado de forma intravenosa, pode baixar a pressão.
Ibuprofeno
O ibuprofeno também age nas prostaglandinas e também é usado para conter dores moderadas e leves (de dente, cabeça, lesões esportivas, cólicas, febre e inflações). Mas medicamentos chamados de anti-inflamatórios não esteroides, como o ibuprofeno, parecem funcionar melhor se a causa da dor for inflamatória, como artrite ou lesão, explica o NHS.
Ele não deve ser usado por período prolongado a não ser que haja uma inflamação e que o médico o recomende. O uso prolongado pode causar irritações no estômago, problemas nos rins e cardíacos. Não tome além das doses recomendadas, para não elevar os riscos de efeitos colaterais.
Deve ser tomado com cautela por idosos ou pessoas com problemas estomacais, cardíacos, hepáticos e renais.
O remédio age contra a dor pouco depois de ser ingerido, ainda que o efeito anti-inflamatório seja mais fraco e leve mais tempo para começar a ser sentido.
Deve ser tomado na menor dose possível e pelo menor período de tempo possível.
Virtudes
- Age contra a febre alta, diminui a dor e a inflamação.
- Reduz a inflamação no ponto lesionado, portanto é mais eficaz contra a dor dos músculos e contra lesões corporais onde a inflamação é um fator.
- Segundo o AskDrSears.com, também funciona mais rápido e por mais tempo que o paracetamol, tendo efeito em 30 minutos e podendo durar até seis horas.
Defeitos
- O ibuprofeno pode agir mais rapidamente que o paracetamol, mas tem alguns efeitos secundários negativos, como o mal-estar estomacal. Se ingerido diariamente durante mais de duas semanas, seus produtos químicos ácidos que podem agravar úlceras estomacais e queimaduras na mucosa do estômago.
- Convém ingeri-lo com a comida e, se seu uso for contante, com protetores estomacais. Não é comum que ele provoque hemorragia interna ou úlceras, mas é um fator de risco.
- Ele também pode reduzir a capacidade do corpo em formar coágulos sanguíneos. Por isso, o medicamento será menos eficaz para os pacientes com feridas grandes ou hemorragias consideráveis. O paracetamol não está associado a esses riscos.
- Em altas doses ingeridas por um período prolongado, pode elevar os riscos de derrame ou problemas cardíacos. Em mulheres, o uso prolongado pode estar associado à redução na fertilidade, mas esse quadro é reversível.
Veredicto final
Ambas as substâncias são analgésicos eficazes e redutores da febre. O ibuprofeno funciona um pouco mais rápido e tem efeito mais duradouro, além de reduzir inflamações.
O paracetamol é comparável em alguns aspectos, mas não tem as mesmas propriedades anti-inflamatórias. No entanto, tem menos efeitos colaterais, como problemas estomacais.
Nunca é demais lembrar que devem ser respeitadas as orientações da bula e que o uso jamais deve ser excessivo ou prolongado sem o devido acompanhamento médico.
Fonte: BBC Brasil

ALERTA: ADOLESCENTE MORRE ELETROCUTADA ENQUANTO USAVA CELULAR NO BANHO

(Crédito: Reprodução)
O caso aconteceu em Lovington, no Novo México, e foram levantadas duas possibilidades: ou ela conectou o carregador na tomada ao entrar na banheira ou tentou pegar o smarpthone enquanto ainda estava na água. Para Donna O’Guinn, avó da garota, a segunda opção é a mais provável para esse caso.
“Essa é uma tragédia que não precisa acontecer com mais ninguém. Queremos que algo de bom seja extraído dessa história como uma forma de alertar para não usar o celular no banheiro enquanto está conectado e recarregando. É reconfortante saber que há pessoas por aí que nós não conhecemos e que provavelmente nunca encontraremos que receberam essa mensagem e a compartilharam para proteger outra criança ou mesmo um adulto. Não queremos perder mais ninguém”, comentou Donna ao canal KCBD-TV.
Como ficou claro a partir do comentário da avó de Madison, a família quer usar o caso para alertar outras pessoas dos perigos de utilizar aparelhos eletrônicos enquanto está no banho, especialmente quando isso é feito por crianças. Aliás, sempre é válido alertá-las de que a combinação de água e eletricidade pode ser extremamente perigosa.
Fonte: TecMundo