.

.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

EM SALOÁ, PARLAMENTAR PODE ABANDONAR OPOSIÇÃO E AMPLIAR BASE DO PREFEITO RICARDO

E uma notícia ao menos inusitada vem surpreendendo os meios políticos no Agreste pernambucano e certamente também, se confirmada, pode surpreender o PTB no estado em um ano pré eleitoral e principalmente após uma visita de parlamentares de oposição ao Governo Paulo Câmara (PSB), nessa região.

É que após 20 anos como opositora à família do atual prefeito Ricardo Alves (PMDB) e ora integrando o Partido Trabalhista Brasileiro no município de Saloá, distante 262 quilômetros da capital Recife, a  vereadora Vilma Lúcia Ferreira de Barros (foto), popularmente conhecida por Vilma da Prata, pode anunciar na manhã desta quinta-feira (27) seu afastamento da base oposicionista ao citado prefeito.


Se essa notícia se confirmar, a parlamentar deve passar a integrar a base aliada, ampliando de 08 para 09 o números de vereadores que apoiam o citado gestor.
Concretizando-se o fato, o prefeito Ricardo Alves passará a ter nove vereadores na casa José Soares de Melo, mantendo dois nomes apenas na oposição: Zé Cabeleireiro (PP) e Valdir Lopes (PRTB).
Um detalhe que chama a atenção é que a vereadora Vilma da Prata foi escolhida já no início desse ano, líder da oposição e o seu filho Paulo de Barros, apesar de fazer parte do PTB há pouco mais de um ano, é o presidente do diretório local da legenda.
Com forte ligação ao Senador Armando Monteiro (PTB), Vilma da Prata vem o apoiando desde a sua campanha à Câmara Federal, em 1998.
Um dos supostos motivos para a nova posição de Vilma e que provavelmente deve fortalecer a decisão da parlamentar, seriam os constantes desgastes no relacionamento com seus (ainda) colegas oposicionistas.
Em contato com Vilma da Prata, nossa produção recebeu da vereadora a informação de que qualquer decisão a ser tomada só deverá ser divulgada na manhã dessa quinta (27). 

ABUSO DE AUTORIDADE TEM TEXTO APROVADO NO SENADO. PROPOSTA SEGUE PARA PLENÁRIO

© Edilson Rodrigues/Agência Senado
Por unanimidade, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou nesta quarta-feira (26) a proposta do senador Roberto Requião que trata dos crimes de abuso de autoridade. O texto segue para o Plenário em regime de urgência, segundo informa a Agência Senado. A proposição votada na CCJ é na verdade uma alternativa (substitutivo) a dois projetos que tramitavam no Senado sobre o tema: o PLS 85/2017, do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), e o PLS 280/2016, de Renan Calheiros (PMDB-AL).

O texto assinado por Randolfe é fruto de um conjunto de sugestões elaboradas por procuradores e entregue ao Congresso Nacional em março passado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A iniciativa de Renan, por sua vez, teve origem na Comissão da Consolidação da Legislação Federal e Regulamentação da Constituição (CECR), cujas atividades já foram encerradas.

DIVERGÊNCIAS

A votação foi feita depois de mais de três horas de discussão entre os senadores. Alguns parlamentares alegaram que a iniciativa poderia inibir a atuação do Ministério Público e de magistrados. Além disso, segundo eles, com a operação Lava Jato em curso, não é o momento adequado para se aprovar uma lei que pode inibir a atuação de policiais, procuradores e juízes. O argumento foi rejeitada pelo relator:


Não tem nada a ver com a Lava Jato, estamos disciplinando o abuso de autoridade. De qualquer autoridade. Esse projeto remonta aos princípios da Revolução Francesa, das garantias individuais de cidadãos, as quais não podem ser atropeladas pelo Estado. É a Revolução Francesa trazida para a Comissão de Constituição e Justiça do Senado”, afirmou Requião.

HOJE PODE SER O SEU DIA DE SORTE, MEGA PAGA 97 MILHÕES


O sorteio 1.924 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 97 milhões para quem acertar as seis dezenas. O sorteio ocorre às 20h (horário de Brasília) desta quarta (26), em Franco da Rocha (SP).
De acordo com a Caixa Econômica Federal, com o valor integral do prêmio, o ganhador poderá comprar nove prédios comerciais três andares em um bairro de luxo em São Paulo. Se quiser investir na poupança, receberá mensalmente R$ 650 mil em rendimentos.


PARA APOSTAR 
As apostas podem ser feitas até as 19h (de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país. A aposta mínima custa R$ 3,50.

PROBABILIDADES
A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.
Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

ATÉ QUE ENFIM UMA BOA NOTICIA : FIM DO FORO PRIVILEGIADO É APROVADO

Com o fim do foro, políticos não seriam julgados pelo STF
A Comissão de Constituição e Justiça do Senado aprovou, nesta quarta-feira (26), a proposta de emenda à Constituição (PEC 10/2013) que acaba com o foro privilegiado para todas as autoridades suspeitas de terem cometido de crime comum. Caso a mudança constitucional seja confirmada pelo plenário e pela Câmara, políticos, procuradores, juízes e outras figuras públicas que gozam atualmente da prerrogativa de serem julgados por tribunais específicos passarão a ter seus casos examinados pela primeira instância. A mudança não vale para qualquer tipo de crime, como os de responsabilidade e outros que só podem ser cometidos por funcionários públicos.
A votação foi solicitada pelos integrantes da CCJ logo após a aprovação do projeto que tornou mais rígidas as regras para os crimes de abuso de autoridade.  A sugestão foi feita pelo líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), um dos principais investigados na Operação Lava Jato. Relator da proposta, Randolfe Rodrigues (Rede-AP) aceitou manter o foro privilegiado apenas para os chefes dos poderes, os presidentes da República, da Câmara, do Senado e do Supremo Tribunal Federal (STF).

PRESIDENTE DO IPSG DIZ QUE ACUSAÇÕES DE JOHNY ALBINO SÃO LEVIANAS

Em matéria publicada em alguns blogs de Garanhuns durante essa semana, Johny Albino, irmão do ex vereador Sivaldo Albino (PPS), realizou denúncia tendo como alvo o IPSG, que é o Instituto de Previdência dos Servidores de Garanhuns. 

Na matéria, Jonhy, que dirigiu a FUNASE em Garanhuns e concorreu a uma vaga na câmara municipal, mas não obteve sucesso,  apontou supostas irregularidades no repasse de cerca   de 7 milhões de reais ao  município de Garanhuns, no mês de Dezembro de 2016 por parte do Instituto e também acusou o Governo de Izaías Régis (PTB) de não ser transparente, por não atender os pedidos de informações sobre essa pauta em tempo hábil. 

O oposicionista também acusou o governo de Régis de ter ‘faltado com a verdade’ ao anunciar que o IPSG é superavitário, isto é, que o órgão arrecada mais do que gasta.   

O Presidente do IPSG, Marcelo Marçal, esteve no Programa ‘Falando com o Agreste’, veiculado diariamente pela Rádio Marano FM de Garanhuns e em entrevista ao radiojornalista Marcelo Jorge, detalhou a real situação do Instituto e se disse entristecido com as acusações, de acordo com ele, levianas por parte do denunciante.

Clique no player abaixo e  ouça a entrevista na íntegra. 

REFORMA TRABALHISTA - SAIBA QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS PONTOS DO PARECER

A Câmara  teve o relatório sobre a reforma trabalhista  aprovado na comissão especial na terça-feira (25) por 27 votos a favor e 10 contra. O projeto foi encaminhado ao Legislativo pelo governo Temer e propõe uma reformulação nas regras trabalhistas.                                                           
O parecer apresentado pelo relator Rogério Marinho (PSDB-RN) teve 24 destaques - pedidos de alteração no texto - apresentados pelos membros do colegiado, mas que não foram analisados por causa do início da ordem do dia na Câmara. Os pedidos perderam o efeito e precisarão ser novamente apresentados no plenário, onde serão analisados após a votação do texto-base, se ele for aprovado.
Para ser aprovada no plenário da Câmara, a reforma trabalhista precisa dos votos favoráveis da maioria simples dos deputados, ou seja, respeitado o quórum mínimo de 257 parlamentares na sessão, o projeto é aprovado se o número de votos “sim” corresponder à maioria dos votos válidos.
.A expectativa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é concluir o processo de votação na Câmara até quinta-feira. Depois disso, a proposta segue para apreciação do Senado.
Principais pontos do parecer:
  • As férias poderão ser parceladas em três vezes ao longo do ano;
  • A contribuição sindical, hoje obrigatória, passa a ser opcional;
  • Patrões e empregados podem negociar, por exemplo jornada de trabalho e criação de banco de horas;
  • Haverá multa de R$ 3 mil por cada trabalhador não registrado. No caso de micro e pequenas empresas, o valor cai para R$ 800.
  • O trabalho em casa (home office) entra na legislação e terá regras específicas, como reembolso por despesas do empregado;
  • Juízes poderão dar multa a quem agir com má-fé em processos trabalhistas;
  • Gestante pode trabalhar em ambiente insalubre desde que apresente atestado médico comprovando que não há risco para ela ou o feto.
Fonte G1

CARRO VOADOR : DA FICÇÃO PARA REALIDADE

A Embraer vai entrar na corrida para desenvolver “carros voadores”, como estão sendo chamados os pequenos veículos elétricos que decolam e aterrissam verticalmente e fazem deslocamentos urbanos curtos. O projeto, anunciado ontem, nos Estados Unidos, será feito em parceria com o aplicativo de carona paga Uber. A meta é que os primeiros voos experimentais ocorram em 2020, com a operação comercial prevista para 2023. Entre as grandes fabricantes de aviões do mundo, a Airbus também trabalha em pesquisas na área.
Protótipo de carro voador
A empresa brasileira pretende criar todo o projeto da aeronave, fabricá-la e ficar responsável pela manutenção, além do controle aéreo. O Uber ficará responsável pelo sistema que receberá os pedidos de deslocamento dos passageiros. 
O modelo da aeronave ainda não foi definido. Enquanto algumas startups analisam construir veículos autônomos, com tecnologias semelhantes à empregada nos drones, a Embraer deve apostar em um sistema com piloto. O sistema deverá funcionar com vários hubs (terminais de conexão) na cidade, de onde será possível decolar. O veículo será elétrico e com baixa emissão de ruído e de gases poluentes.
PREÇO
O Uber anunciou a intenção de incluir aeronaves em seu serviço de carona paga em outubro do ano passado. Na época, a empresa estimou que, no longo prazo, uma viagem do gênero entre São Paulo e Campinas poderia custar US$ 24 (cerca de R$ 75), valor inferior ao cobrado pela empresa para realizar o mesmo deslocamento de carro. Batizado de Uber Elevate, o projeto, porém, deverá enfrentar entraves regulatórios e técnicos, como a duração da bateria das aeronaves.