sexta-feira, 14 de abril de 2017

EX PREFEITO DO CABO: DE PEQUENOS NEGÓCIOS A NEGOCIATA COM A ODEBRECHT

De marchante em um mercado a 
ajudante de pedreiro; de dono de boteco 
a vendedor de picolé; do nada para as 
manchetes dos principais meios de 
comunicações pelo Brasil afora. 
E ser notícia pelo lado ruim, não 
agrada a todo mundo. 
Dos sete políticos pernambucanos 
que serão investigados pela justiça, um 
se destaca como “ nanico” na lista do Supremo. 
Trata-se do ex-prefeito da cidade de Cabo de Santo Agostinho, José Ivaldo Gomes, 
o Vado da Farmácia. É bem verdade que muitos estranharam o nome do ex-prefeito na 
lista divulgada essa semana, pelo Ministro Fachin, por estar no meio de muito político 
da alta casta como senadores, ministros, governadores e deputados federais.
Antes de se aventurar no mundo da política e se eleger em 2002 como prefeito da cidade 
de Cabo de Santo Agostinho, Ivaldo Gomes, era dono de duas farmácias e com o codinome 
“ Vado da Farmácia” se registrou no TSE e administrou a cidade por quatro anos, quando 
derrotou um dos rivais, 
o hoje deputado federal Betinho Gomes (PSDB-PE), numa coligação formada por 14 
partidos. Por sinal os dois estão no inquérito 4.466, citados por dois executivos da Odebrecht. 
Betinho tem foro privilegiado por ser parlamentar, e Vado, mesmo sem cargo será investigado 
por figurar no mesmo caso.

INTERESSE DA ODEBRECHT NO CABO DE SANTO AGOSTINHO
A cidade de Cabo de Santo Agostinho não é uma cidade qualquer para a poderosa empreiteira 
baiana, pois é nessa cidade de 200 mil habitantes aproximadamente, que se encontra o 
Porto de Suape, alvo de aportes financeiros bilionários do governo federal.
Segundo os delatores, Vado teria recebido repasses de duas vezes. A primeira de R$150 
mil em 2012, e mais R$ 750 mil em 2014 e teria dado como contrapartida à Odebrecht “ 
desoneração fiscal “ e “benesses“ na Reserva do Paiva. Obra local da empreiteira, 
o complexo imobiliário de luxo tem “nascer e pôr do sol garantido na vista de todos os 
apartamentos”, diz o site do projeto.

Hoje sem partido e depois de ter passado por PSB e PTB, Vado nega a acusação 
e se diz “absolutamente tranquilo”.

TENSÃO MUNDIAL - CONFLITO PODE ECLODIR A QUALQUER MOMENTO ENTRE EUA E CORÉIA



Tensão  na península da Coréia
O Exército da Coréia do Norte informou  nesta sexta-feira (14) que "devastará impiedosamente" os Estados Unidos se Washington decidir atacar, num momento em que grupo de porta-aviões norte-americano se dirige à região em meio a temores de que os norte-coreanos possam conduzir um sexto teste de armas nucleares.
"Nossa ação mais dura contra os Estados Unidos e suas forças navais será tomada de forma tão impiedosa, de modo que os agressores não sobreviverão", disse em comunicado a agência de notícias oficial KCNA, citando o exército.
O comunicado da agência, citando o recente ataque aéreo americano contra a Síria, afirma que o governo do presidente Donald Trump "entrou em um caminho de ameaças abertas e chantagem" para a Coreia do Norte.
Em seu comunicado publicado pela KCNA, o exército norte-coreano assegura que as bases americanas na Coreia do Sul, "bem como todos os quartéis do Mal, incluindo (o palácio presidencial sul-coreano) a Casa Azul, serão pulverizados em alguns minutos".
Nesta sexta-feira, o ministro chinês das Relações Exteriores, Wang Yi, advertiu que um conflito pode eclodir "a qualquer momento" na Coreia do Norte depois das novas ameaças dos Estados Unidos contra o regime de Pyongyang.

Advertência de Trump


O presidente americano, Donald Trump, formulou na quinta-feira (13) uma advertência direta à Coreia do Norte, ao afirmar que o governo de Pyongyang é "um problema que será atendido. Trump disse em diversas ocasiões que evitará que Pyongyang desenvolva um míssil nuclear capaz de atingir os Estados Unidos.Washington ordenou recentemente o envio de um grupo naval à península da Coreia para fazer uma demonstração de força.Ele havia anunciado o envio à península coreana do porta-aviões Carl Vinson, escoltado por três navios lança-mísseis, e depois falou de uma "armada", incluindo submarinos.
Esse porta-aviões transporta entre 70 e 80 aviões ou helicópteros, incluindo cerca de 50 caças. Na quinta-feira, o Exército americano lançou sua bomba não nuclear mais poderosa sobre um alvo no Afeganistão. O presidente americano não deu importância àqueles que sugeriram que esse era aviso para Pyongyang.


“QUEM NASCEU EM GARANHUNS, NA ÉPOCA QUE EU NASCI E NÃO MORREU DE FOME ATÉ COMPLETAR CINCO ANOS DE IDADE NÃO TEM MEDO DE NENHUMA ADVERSIDADE” (Lula)

Um dia depois de ter sido levantado o sigilo das delações da Odebrecht, o ex-presidente Lula afirmou nesta quinta-feira (13) que a acusação contra ele é tão “inverossímil e irreal” que não vai rir nem chorar, apenas ler cada peça do processo para chegar com segurança “no dia certo”. Em entrevista à Rádio Metrópole, de Salvador, o ex-presidente classificou a delação do empresário Marcelo Odebrecht de “irreal e inverossímil” e disse que não pode ficar nervoso ou perder a cabeça “por uma coisa dessa” neste momento.

Mais um absurdo, a delação do Marcelo Odebrecht. Eu até compreendo que o Marcelo já tá preso há dois anos, que ele tem família fora, que ele tá comendo o pão que o diabo amassou e talvez esteja tentando criar condição para sair da cadeia. Agora, é tão inverossímil a acusação, é tão irreal, que eu não vou rir nem vou chorar. Vou analisar corretamente, vou conversar com os advogados, vou ler cada peça do processo, pra que a gente possa chegar no dia certo claramente e com segurança. A delação tem que ser provada, a pessoa tem que provar” afirmou ex-presidente Lula.

Lula disse que está tranquilo desafiou empresários a dizerem que pediu dinheiro a eles.
Eu tô muito tranquilo, porque eu continuo desafiando qualquer empresário brasileiro, qualquer empresário, a dizer que o Lula pediu R$ 10 pra ele. Se alguém pediu em meu nome, essa pessoa tem que ser presa, porque eu nunca autorizei ninguém a pedir dinheiro em meu nome. Eu não posso ficar nervoso, perder a cabeça por uma coisa dessa nesse momento. Hoje vou começar a ler as peças e me preparar para ao meu depoimento e a vida continua. Vou continuar fazendo política. O dia que alguém que provar um erro meu ou R$ 10 ilícitos na minha vida, eu paro com a política” disse Lula.

O ex-presidente falou também sobre seu primeiro depoimento ao juiz Sérgio Moro, marcado para o dia 3 de maio, em Curitiba.
Cada depoimento que eu vou prestar eu fico surpreso com a qualidade das perguntas que eles fazem, porque é uma coisa até sem nexo, ou seja, me parece que eles já estão com a tese pronta e querem só encontrar o conteúdo para colocar dentro da tese deles. Eu tô tranquilo, vou prestar depoimento no dia 3 de maio, e é a grande oportunidade que eu tenho de ouvir as perguntas e as acusações que eu sou vítima, para poder responder com muita tranquilidade.”

Lula disse que o mais grave do que a sua prisão, “mais escabroso”, é o “golpe” que o pais teve:
Uma parte da elite brasileira resolveu não conviver mais com qualquer política de distribuição social, foi dado um golpe nesse país. Você vê que quem está governando esse país está desmontando conquistas históricas da classe trabalhadora. A terceirização do jeito que foi feito nós vamos voltar ao tempo da escravidão, a tentava de extinguir a CLT, extinguir a Justiça do Trabalho, a tentativa de mexer com a aposentadoria, sobretudo a do povo mais pobre desse país. É quase que uma coisa criminosa” afirmou, acrescentando que precisam encontrar “uma pulga” para evitar que ele seja candidato em 2018.

Quero que alguém nesse país, com não sei quantos juízes, promotores, que prove contra mim alguma dessas acusações que eu vejo na imprensa todo santo dia” emendou Lula.
Lula disse que está triste com a situação econômica do país e disse que não tem medo de adversidades. Pode me bater, quem nasceu em Garanhuns na época que eu nasci e não morreu de fome até completar cinco anos de idade não tem medo de nenhuma adversidade, enfrentarei todas elas de cabeça erguida.”

OVOS DE CHOCOLATE,COELHINHO,BAUMAN,PLATÃO E PÁSCOA ( BELO TEXTO DE OSVALDO EPIFANIO


A Páscoa entre os judeus (recorda a libertação do povo de Israel do Egito) e a Páscoa entre os cristãos (representa a morte e a ressurreição de Jesus Cristo) reúnem, as duas, uma reflexiva força tectônica na história das civilizações: a passagem da escravidão para a liberdade. A primeira, do Egito para Canaã; a segunda, do pecado para o Reino de Deus.
As duas acenam uma verdade categórica naquilo que definiu seus enredos: A Terra Prometida.
Hoje nos juntamos às diferentes páscoas e deixamos na gaveta escura e estreita tudo aquilo que possa nos reportar à marca histórica da Pascae, Pesach, Paskha. Não sem um mínimo de interesse religioso, a turba direciona seus esforços, agora, para o advento de uma nova Terra Prometida. Sim, há uma profunda religiosidade nessa marcha que leva multidões inteiras ao novo mundo. Surge, num horizonte quimérico, a terra de leite e mel dos seus desejos incontroláveis.
São muitos os bezerros de ouro. O consumo, a ostentação, a empáfia, o exclusivismo, o personalismo estão na subida do Monte Sinai das sociedades modernas e são símbolos de novos deuses. Como na Via Crucis, a insolência tomou o fôlego das chicotadas, dos empurrões e das bofetadas em quem ousa brandir o menor sinal de decência, altruísmo e paixão. O seu prêmio é o calvário.
Não há mais simplicidade nos atos humanos, nem “vida explodida” e nem tempo para vê-la desfiar seu fio”. Agora, esmagada pelo status da abastança, a vida prosaica e brejeira é um pecado.  “Vida prosaica e brejeira”. Isso assusta por dois motivos: ou se atribui à cafonice ou é um monstro do atraso. Como se importar com o outro requer uma tarefa hercúlea no momento, os valores de distribuição, contribuição e de compartilhamento (esse só no Face) saíram de cena e soçobraram com a vida vizinha. Assim, tornou-se difícil associar-se com facilidade a quem está ao alcance dos olhos. Impossível formar multidões em busca de um sonho. (As recentes caravanas de protestos pontuais não são multidões atrás de uma Terra Prometida ou da Remissão dos próprios erros. São batalhas justas, sim, mas atordoadas, sem liderança em quem acreditar). Com tantos eventos tribais, em que as demandas estão isoladas, inevitavelmente perde-se o sonho maior: a libertação total da degradação social. Até nisso a modernidade sabiamente isola seus povos. Deixa-os na esteira dos episódios das necessidades. Estava certo o sociólogo polonês Zygmunt Bauman, falecido em janeiro de 2017, aos 91 anos: “Na sociedade contemporânea, emergem o individualismo, a fluidez e a efemeridade das relações.”
Isso remete à dificuldade de se fazer uma peregrinação à Terra Prometida. Sem rumo vertical, um povo não tem pernas para subir o Monte Sinai, nem muito menos ao Reino. Viverá sempre na incerteza, com olhar horizontal para os ovos de chocolate e para o coelhinho como única visão enegrecida de sombras prisioneiras de Platão. A crença se resume nessas imagens ilusórias da futilidade, como se o mundo fosse uma caverna.
Os tantos formatos dessa nova Terra Prometida têm nos tirado o sentido de ajuntamento. Surgem daí as mais instáveis relações sociais da vida moderna, sem a consistência da palavra dita e ouvida a poucos metros. Ora, como nos sentimos descomprometidos com quem nos cerca, não conhecemos outros desejos ou sonhos, não enxergamos defeitos e virtudes em estado puro. Isso, certamente, enterra de vez a possibilidade de se viver prosaicamente.
Os miúdos gestos são, agora, imperceptíveis; as vozes da emoção, inaudíveis; a versão dos abraços, apenas protocolar. Um cantinho à sombra e uma conversa despretensiosa só mesmo para os menos ambiciosos Tem-se caso maior para se lutar, para se debruçar. A vida exige novos horizontes: profissão, dinheiro, posição, sucesso, competição, ousadia, ambição, conforto, criatividade, soluções, apresentação, tarefas, narcisismo secundário. São, de fato, Terras Prometidas distantes e inatingíveis pelos povos atuais. Aliás, os povos deixaram de existir. São filas, agora, transformadas em massa de manobra ou, terrivelmente, alas jogadas ao mar em fugas dramáticas.
Teremos que amargar a dura realidade de uma vida que não sabe para onde ir. Pior, andamos em volta de nós mesmos. O fim? Não há fim. Apenas uma demão da cal no túmulo já construído e, inutilmente, procrastinado pela nossa arrogância. É o sonho de liberdade encerrado sob a lápide.
A Páscoa nos faz refletir, dolorosamente: O que fizeram com todos nós?
Osvaldo Epifanio (Pife

GRANDES SHOWS LEVARÃO SOLIDARIEDADE À ABRIGO DE GARANHUNS

Com as recentes matérias publicadas na imprensa, mostrando a realidade atual e precária situação atravessada pelo Abrigo de senhoras São Vicente de Paulo em Garanhuns, um grupo de amigos sensibilizados pela causa decidiu transformar a dificuldade e oportunidade em solidariedade.

Com a ajuda de bons contatos e parcerias, a equipe contactou diversos artistas do cenário musical regional e nacional e está construindo uma grade de programação para a realização de um grande evento festivo, cuja arrecadação servirá para minimizar as necessidades daquelas senhoras que um dia também construíram a história do municipio e foram a base de muitas famílias. Algumas delas, por caminhos traçados pelo destino e outras pela insensibilidade de familiares, foram colocadas à margem da sociedade e acolhidas naquela casa de apoio. 

Lá recebem de fato,  atenção, carinho e respeito, ausentes no período que deviam ser mais acalentadas. 

Em alguns dias, será realizada uma coletiva de imprensa , na qual serão convidados todos os veículos de comunicação locais e regionais, oportunidade que lhes serão repassados e destes para a sociedade,  a mecânica de funcionamento do evento "Minha vovó é show!"