domingo, 2 de abril de 2017

IPOJUCA TEM NOVA PREFEITA

Foto: Nando Chiapetta/DP
Doze cidades brasileiras voltaram as urnas ontem domingo (02), para escolherem em eleições suplementares seus prefeitos, entre elas a cidade pernambucana de Ipojuca que fica na grande Recife.

Os quase 67 mil eleitores do município elegeram a candidata do PTB, Célia Sales, quem tem 52 anos e é funcionária pública municipal. Célia teve 31.010 votos (55,20%). 

Os outros candidatos derrotados foram Carlos Santana (PSDB) e Olavo Agenor (PMN).

PREFEITO IMPUGNADO
A eleição suplementar foi realizada neste domingo porque o candidato  mais votado em outubro de 2016, Romero Sales (PTB), teve o registro indeferido por uma condenação de improbidade administrativa.

ESQUEMA DE SEGURANÇA
O esquema de segurança contou com 150 policias militares, 10 policiais federais, uma guarnição do choque e uma equipe dá rádio patrulha. Segundo informações da PM, a eleição aconteceu em clima de tranquilidade. 
A cidade de ipojuca estava sendo administrada nos últimos meses pelo presidente do legislativo municipal, vereador Ricardo José de Souza.

A CENA POLÍTICA HOJE EM PERNAMBUCO: 2018 GUERREOU?

Imagem: Blog Ponto de vIsta
As indicações da cena política em Pernambuco é de que um novo caminho começa a se desenhar no estado.
As notícias  de que o atual Ministro da Cidades, Bruno Araújo (PSDB) , o Ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM) e ainda o Senador Armando Monteiro (PTB) estão evoluindo conversas visando o pleito de 2018, já são comentários mais presentes na imprensa hoje bem como nas rodas políticas do estado.

Para o Deputado Federal e propenso pré candidato ao Senado, Silvio Costa (PT do B), o que vem acontecendo na verdade é um amplo diálogo desses atores com as demais forças políticas de Pernambuco, que já não estão mais alinhadas com a Frente Popular de Paulo Câmara. Na opinião de Costa, a “expulsão” dos dois ministros dessa frente, foi o pontapé, o ‘start’ que gerou a possibilidade dessa nova via, mais forte ser criada.

Em entrevista ao FALANDO COM O AGRESTE, o senador Humberto Costa (PT-PE) descartou a hipótese do Partido dos Trabalhadores acompanhar a candidatura de Armando Monteiro ao Governo do Estado caso ele decida se unir ao PSDB e DEM. Embora o senador não tenha falado em nomes, crescem as apostas de que a vereadora recifense Marília Arraes poderá ser o nome do partido para encarar o desafio.

E pelos números e repercussão das pesquisas da Uninassau, divulgadas nesse final de semana, que mostram uma ampla rejeição do Governo Paulo Câmara ao mesmo tempo que alçam o Senador Armando Monteiro a uma posição de liderança no caso de uma possível pré candidatura ao governo em 2018, o sentimento é de que o Palácio terá que trabalhar dobrado para repetir o feito das últimas eleições, porém com um ponto a menos, segundo os oposicionistas: O ex governador, Eduardo Campos, já não influenciaria o pleito em favor de Paulo.

Resumindo: O governador terá que iniciar um processo imediato de reversão dos números negativos da pesquisa, se quiser reocupar seu espaço e a credibilidade da sua gestão junto aos pernambucanos, já calejados de tanta corrupção política, em todos os níveis.

A questão é que, de acordo com a nota distribuída pelo PSB à imprensa através do seu presidente estadual, Sileno Guedes, a legenda não reconhece os números da pesquisa e mais que isso: Atribui as responsabilidades pelas mazelas e pela crise nacional e no estado unicamente ao Governo do PT e por tabela,  culpa Armando Monteiro de corresponsabilidade nesses episódios, taxando-o de “ministro do desemprego”.

Se não reconhece, para o Governo ‘tá tudo azul’ ou melhor, ‘continua tudo amarelo’...  

EM NOTA, PSB SAI EM DEFESA DE CÂMARA E CHAMA ARMANDO DE "MINISTRO DO DESEMPREGO"

Foto: Ísis Lima/Rádio Jornal
A repercussão da baixa popularidade e rejeição de 74% ao Governo Paulo Câmara, na sondagem realizada pelo Instituto Uninassau e divulgada ontem em vários blogs e também nesse espaço, mexeu com as hostes socialistas. 

O presidente estadual da legenda, Sileno Guedes correu para contestar o resultado da pesquisa e na nota, publicada na íntegra abaixo, chama o Senador Armando Monteiro, que ainda de acordo com a pesquisa lidera uma futura corrida ao governo do estado, de "o ministro do desemprego", atribuindo ao Governo do PT os altos índices de desocupação vivenciados hoje pelo trabalhador brasileiro. 

Na nota, Guedes também desqualificou o Instituto Uninassau, sem no entanto reconhecer que foi a mesma empresa que  apresentou à época das eleições, o maior índice de acertos e relação a campanha vitoriosa de Paulo Câmara.

Leia a Nota do partido  abaixo, na íntegra:

NOTA OFICIAL DO PSB

Lamentamos que se dê guarida a um instituto que nunca acertou nada em Pernambuco. Neste caso, faz barulho em torno de intenção de voto espontânea, conceito que não tem nenhum significado, especialmente quando ainda falta tanto tempo para eleição.
Não importa que os adversários façam campanha 24 horas por dia. O Governador Paulo Câmara vai continuar trabalhando 24 horas por dia para resolver os problemas dos pernambucanos.

Temos pesquisas que mostram o claro reconhecimento da população ao trabalho que vem sendo feito pelo governador Paulo Câmara para vencer a conjuntura adversa.
A este respeito, devemos dizer que Pernambuco inteiro sabe que as dificuldades que estamos passando foram criados pelas políticas equivocadas dos Governos do PT, do qual Armando participou e saiu consagrado como “o ministro do desemprego” responsável pelo sofrimento de milhões de brasileiros.

Temos a tranquilidade de saber que Pernambuco não quer voltar ao passado. A oposição representa setores ultrapassados que a sociedade já colocou em posição secundária.
As dificuldades do presente não podem apagar os grandes avanços que o atual ciclo político conseguiu. O trabalho e a verdade vencerão o oportunismo, a irresponsabilidade e a ganância dos que colocam seus próprios interesses econômicos acima do bem comum.


Sileno Guedes – Presidente do PSB – PE