terça-feira, 19 de setembro de 2017

SANTA CRUZ VAI VENDER ATÉ BOLO DE ROLO PARA AJUDAR A CONCLUIR SEU CENTRO DE TREINAMENTO


Tradição pernambucana: Bolo de Rolo vira "arma" do Santa - MárcioAlmeida/FPF
Os pernambucanos gostam tanto de comer bolo de rolo que o doce virou patrimônio imaterial do estado, na Lei 13.436, de 2008. E é apostando nesta tradição local que o Santa Cruz passará a vendê-lo com marca própria, como uma das formas de financiar a construção do CT Ninho das Cobras, cujas obras estão atrasadas. 

"Estamos lançando uma linha de produtos para apoio financeiro ao Centro de Treinamento. Vai ter o bolo de rolo com a marca do Santa Cruz,cadernos, agendas, calendários e uma série de produtos, como acessórios para motos e bicicletas, que vamos lançar para o torcedor. Até o fim do mês o torcedor poderá encontrar os produtos no Arruda", explicou João Caixero, diretor financeiro da Comissão Patrimonial do clube.

O Centro de Treinamento Presidente Rodolfo Aguiar Ninho das Cobras teve suas obras iniciadas no dia 2 de dezembro de 2016, com previsão de conclusão do primeiro campo para setembro deste ano. A ideia era que o time profissional já estivesse treinando no local, mas as fortes chuvas que castigaram Recife no inverno atrasaram as obras. Segundo Caixero, os dois primeiros campos devem ficar prontos até o fim do ano.

 CT Ninho das Cobras custará entre R$ 8 e 10 milhões -Divulgação/Comissão Patrimonial Santa Cruz
O CT Ninho das Cobras foi uma promessa de campanha do atual presidente Alírio Moraes e é visto internamente como passo fundamental no processo de modernização do clube. Até hoje, o time profissional treina no Arruda o que causa constantemente o desgaste do gramado do estádio.

Localizado na Estrada da Mumbeca, no bairro da Guabiraba, a 13 km do Arruda, o terreno do CT foi adquirido em 2011 por R$1 milhão e contará com instalações administrativa, médica, esportiva e de alojamento, sem contar os três campos com tamanho oficial.O UOL Esporte apurou que a estimativa atual é que serão gastos de R$ 8 a 10 milhões com o projeto. 

Segundo o presidente da Comissão Patrimonial, cerca de R$ 800 mil serão gastos com os três campos - primeira fase, e mais urgente, do projeto. Só depois virão as demais instalações, já que os recursos estão sendo angariados com doações e iniciativas do clube, além de uma parceria que está sob discussão com o Ministério do Esporte. Além dos itens personalizados, o Santa Cruz já lançou mão de outras iniciativas para financiar a construção do seu CT, a exemplo da publicação do livro "Santa Cruz de Corpo e Alma", lançado no ano passado, que conta a história centenária do clube.Até mesmo uma linha própria de sorvete, parceiro culinário ideal para o bolo de rolo, está sendo discutida.


Com informações de Roberto Oliveira do UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário