quarta-feira, 20 de setembro de 2017

LULA CAI EM PESQUISA APÓS DEPOIMENTO DE PALOCCI; BOLSONARO LIDERA COM FOLGA EM CENÁRIO SEM PETISTA

Bolsonaro mantém liderança em cenário sem Lula
Neste domingo o jornal FOLHA DE S. PAULO publicou pesquisa "relâmpago" feita pelo Instituto DATAFOLHA (2.781 entrevistas, em 172 municípios, feitas na quarta (26) e na quinta (27), antes da greve geral de sexta). Além de resultados óbvios (liderança de Lula, mas também o mais rejeitado), esse levantamento coloca o deputado Jair Bolsonaro (PSC) em segundo lugar, mostrando sua ascenção consistente e firme.
Bolsonaro é o candidato mais forte, no momento, para suplantar Lula e vencer a eleição presidencial de 2018.

A pesquisa Datafolha não destaca, porém, a resiliência do nome de Marina no atual cenário. Juntamente com o juiz Sérgio Moro (sem partido e que nunca se disse candidato), Marina Silva, ex-ministra do meio ambiente (Governo Lula), tem procurado manter-se à distância do embate político. Enquanto consegue ficar alheia às críticas, suas avaliações no atual cenário a colocam como alternativa forte da centro-esquerda para a disputa eleitoral de 2018.

A Folha não aborda esta possibilidade. Mas analistas ouvidos pelo NA entendem a estratégia de Marina como a de um candidato "tersius", que se preserva no embate e transforma-se em alternativa até a corrida final, como uma "terceira via".
No quesito rejeição de Lula, quando comparados com outra pesquisa feita também em abril pelo PODER360 (site político comandado pelo respeitado jornalista FERNANDO RODRIGUES), os números do Datafolha aparecem defasados. (Especialistas entendem que, ao superar o patamar de  50% esse índice torna-se "mortal" para qualquer concorrente numa eleição). No Datafolha a rejeição de Lula "sobe" para 48%. Na do Poder360, ele já aparece com 59%. (Ambos os números foram coletados antes das manifestações violentas da última sexta-feira).

Há,outras diferenças fortes nas duas pesquisas (as mais recentes no atual cenário político). Ambas mostram Lula na frente, mas com rejeição maior ao nome do ex-presidente no levantamento da PODER360. Ambas confirmam a ascenção meteórica de Jair Bolsonaro, e mostram também o crescimento de João Dória (o de menor rejeição, mas o mais desconhecido). Porém, o que fica evidenciado é a força do eleitorado de Marina Silva (sempre aparecendo em 2.o lugar, mesmo não se colocando no debate político).
Para onde pender o eleitorado de Marina se confirmará o nome do novo presidente da República.


Em resumo, este é o cenário atual: Forte rejeição às medidas de Temer (que favorece Lula), crescimento da rejeição ao candidato petista, ascenção de Bolsonaro e Dória, e a preservação do nome de Marina, a "tersius". 

Nenhum comentário:

Postar um comentário