quinta-feira, 7 de setembro de 2017

DOR, COMOÇÃO E REVOLTA MARCAM SEPULTAMENTO DE BOMBEIRO ASSASSINADO EM GARANHUNS

Colegas do militar assassinado estavam comovidos e revoltados com a perda. 
E a onda de violência que vem assolando o estado e a região agreste, fez mais uma vítima, arrancando do convívio familiar e social mais um esforçado pai e marido; um dedicado e bem quisto profissional e um amigo que fará falta.

Sob um feriado chuvoso em Garanhuns, com a presença de familiares, amigos, representantes da sociedade e militares, colegas de farda, foi sepultado na manhã dessa quinta feira (07) no cemitério São Cristóvão, o corpo do sargento José Armando Rodrigues, 48 anos.

O militar foi assassinado da manhã dessa quarta feira, quando chegada em frente à sua residência, na Rua Francisco Branco, localizada no bairro da Brasília. Segundo a PM, dois homens teriam chegado em uma moto e baleado o bombeiro, sem anunciar assalto.

O Sargento Armando era militar exemplar
e muito querido dentro do CB. 
A vítima servia no 6º Grupamento de Bombeiros em Garanhuns. A corporação emitiu uma nota de pesar sobre o caso. "O Corpo de Bombeiros Militar de Pernambuco manifesta seu pesar e solidariedade a todos familiares e amigos do sargento Armando, que tanto honrou a farda e companheiros de profissão nesses 23 anos de serviço, testemunhando sua dedicação, determinação, zelo e disposição em suas atitudes e valores, certamente uma perda irreparável para esta Corporação e para todos que tiveram o prazer de participar de sua história".


Durante o velório, realizado no prédio da corporação na qual servia e no trajeto, para o cemitério, utilizou-se uma das viaturas do Corpo de bombeiros no qual o féretro com a bandeira nacional era conduzido, de modo solene. O cortejo foi saudado pela população nas ruas onde passava. O clima de tristeza se misturava com a revolta dos colegas e amigos em razão da brutalidade com a qual Armando foi assassinado e das circunstâncias do ocorrido.


Tido como militar exemplar, o sargento Armando era um dos primeiros militares a compor o grupamento local do CB e segundo amigos e familiares não tinha desafetos. 

O bombeiro era casado e tinha duas filhas, uma delas menor

A motivação do crime deverá ser investigada pela delegacia de Garanhuns, mas, pelas informações iniciais, acredita-se que foi uma caso de execução.



*Matéria com colaboração do jornalista Marcos Antonio/ Fotos: Blog Falando com o Agreste


Um comentário:

  1. Que Deus o receba de braços abertos, e que sua família receba o conforto da misericórdia do Senhor para enfrentar tamanha dor... Meus sentimentos para todos os familiares, e que seja quem for que tenha feito tamanha desgraça seja punido com todo fervor...

    ResponderExcluir