quarta-feira, 21 de junho de 2017

NA BUSCA DE SEGURANÇA PARA O MUNICÍPIO, PREFEITO DE JUPI BATE ATÉ À PORTA DA JUSTIÇA FEDERAL

A segurança pública vem sendo um dos principais problemas país afora. É talvez um dos maiores desafios para os governos e um verdadeiro teste diário de sobrevivência para o cidadão.  
Aqui no Nordeste os índices de violência são alarmantes e pela primeira vez em décadas a região vem batendo tristes  recordes com as suas populações assistindo inertes a disputa de quais cidades são as mais violentas, segundo relatórios de organizações internacionais. Nos presídios, o retrato da incapacidade dos governos estaduais para recuperar os internos, deu lugar a proliferação de facções que dominam e atemorizam dentro e fora das muralhas.

O diferencial é que o aumento da violência originária do tráfico e consumo de entorpecentes, uma característica quase que exclusiva das capitais, ficando o interior com a incidência de crimes contra a pessoa, normalmente ocasionado  por disputas de terras, crimes passionais e guerras entre famílias, tornou estopim também na região. 
Jovens de várias faixas hoje traficam e consomem drogas no interior com uma desenvoltura jamais vista, com a ajuda de tecnologias como as mensagens enviadas à comparsas via Whatsapp, onde se planeja o ilícito e  muitas vezes exibindo sem cerimônias armas e crimes em páginas do Facebook, Instagram e outras redes.

Os assaltos a bancos, com estouro de caixas eletrônicos também avançou no nordeste e no Agreste pernambucano o cenário tornou-se cotidiano.
O crime e a violência possuem causas complexas. Em alguns casos, o crescimento econômico rápido pode elevar crimes patrimoniais. Como crises econômicas também podem deflagrar violência. Mas na Colômbia, por exemplo, houve redução de homicídios em meio a uma crise econômica, pois havia uma política de segurança competente e prefeituras engajadas.

Preocupado com esse cenário, diversos prefeitos brasileiros estão se mobilizando na busca de minimizar os efeitos da criminalidade e dar um pouco de sensação de segurança aos seus munícipes.

O prefeito de Jupi, Marcos Patriota (DEM), por exemplo,  já teve uma agenda recente no Palácio do Campo das Princesas e conseguiu boas notícias do Governador Paulo Câmara (PSB), com medidas que devem ser anunciadas e adotadas em breve. 
O gestor também esteve em Brasília nessa terça (20) onde buscou apoio federal em uma reunião no Palácio da Justiça. 
Patriota diz em um vídeo divulgado em redes sociais que aquela instância prometeu respostas às demandas até a semana que vem. (veja vídeo abaixo:)


O gestor certamente está fazendo a sua parte e busca com isso conseguir reduzir os dados da violência que ameaçam a integridade e o patrimônio da sua população.

Se os gestores pernambucanos pudessem trabalhar de forma unificada, talvez as boas ideias, que hoje estão dispersas, poderiam gerar uma força maior para combater o crime, esse sim, organizado. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário