quinta-feira, 1 de junho de 2017

MARCHA DOS PREFEITOS X CRISE POLÍTICA EM BRASÍLIA: AS CONQUISTAS PERMANECEM?

Em meados de Maio último, promovido pela CNM – Confederação Nacional dos Municípios - , milhares de prefeitos brasileiros ‘marcharam’ até Brasília no tradicional evento que em sua vigésima edição prometia ser o mais grandioso e produtivo dessa década. E foi.

Representando quase a totalidade dos  5.570 gestores do país, muitos dos quais recém eleitos e já ‘filhos da crise’, além de legisladores municipais, os presentes à capital Federal se mostravam pessimistas quanto às possibilidades de uma retomada do desenvolvimento em um país que mais uma vez tentava lidar com o segundo impeachment de um presidente em um prazo de apenas duas décadas e meia.

No entanto em meio a essa grande desconfiança nacional, alimentada principalmente pela imensa rejeição popular ao governo e às medidas e reformas propostas, a Marcha dos Prefeitos foi sacudida pelas informações transmitidas pelo próprio Michel Temer , que utilizando um painel onde se desenhava uma queda da inflação e recuperação da economia, o peemedebista literalmente levantou a plateia após defender uma reforma tributária e ainda assinar uma medida provisória que previu o parcelamento da dívida previdenciária dos municípios.

Essa MP prevê o parcelamento dos débitos dos municípios em até 200 meses, a redução de 25% dos encargos, 25% da multa e 80% dos juros incidentes. Ao anunciar a normativa, Temer reiterou a necessidade de serem feitas as reformas para o desenvolvimento dos Entes. Após sua fala, Temer foi aplaudido efusivamente pelos presentes em um raro momento de deleite do seu conturbado governo.

Após o pronunciamento presidencial, considerado como positivo pelos presentes e depois de alguns painéis otimistas expostos pelo seu ministério, veio a ‘bomba política’ da quarta feira 17 de Maio, que detonou Brasília e se alastrou pelo país. A delação da JBS sem dúvidas mudou o foco do final da Marcha e deu um tom de dúvidas aos esperançosos prefeitos que já não tinham certeza do implemento e conquistas anunciados há apenas algumas horas.   

Recentemente conversando com o presidente da AMUPE – Associação Municipalista de Pernambuco -  e Prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota (PSB), durante o lançamento do livro do jornalista Magno Martins no Recife, o mesmo garantiu que tudo que foi proposto na Marcha será mantido. Já para o  prefeito de Garanhuns, Izaías Régis (PTB), o prejuízo do Município com a crise chega a 30 milhões, valores a serem liberados pela União e que hoje dentro desse cenário instável, se encontram ameaçados de não aportarem por aqui.

Agora é ver para crer, se por parte dos gestores municipais há de fato o que temer...

Nenhum comentário:

Postar um comentário