segunda-feira, 12 de junho de 2017

GOVERNO DE PERNAMBUCO PROPÕE REAJUSTE PARCELADO AOS PROFESSORES, QUE AMEAÇAM GREVE.

E após o conflito que gerou acalorados debates e repercussão na imprensa local, quando professores de Garanhuns e Vereadores acusaram-se mutuamente, chegando ao ápice das acusações com forte teor preconceituoso e racista contra os parlamentares nas redes sociais, tudo em virtude da aprovação de um Decreto - que se transformou posterioremente em lei, referendada pelo MPPE - reajustando o piso da categoria exigido por lei nacional, mas, de acordo com os profissionais da educação, reduzindo  horas/aula de alguns professores, agora o debate é entre os professores da rede estadual e o Governo Paulo Câmara.

O SINTEPE, Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco – emitiu uma nota na qual esclarece sua posição após proposta salarial do Governo do estado para aquela categoria. Leia a íntegra da nota abaixo:

Em assembleia realizada no último dia 8 de junho, para tratar de questões relativas à Pauta da Campanha Salarial Educacional 2017, os/as Trabalhadores/as em Educação da Rede Estadual decidiram rejeitar a proposta apresentada pelo Governo de Pernambuco de parcelamento no reajuste do Piso Salarial dos/as Professores/as.
A Lei do Piso determina, para este ano, a implementação de 7,64% de correção salarial, desde 1º de janeiro. Até agora, o Governo não cumpriu a lei e ainda propôs dividir o reajuste em duas parcelas: 3,63% para outubro e 3,87% para fevereiro de 2018, sem retroativo.
Os/as Funcionários/as do segmento Administrativo e Analistas em Gestão Educacional, não foram contemplados/as e ainda, neste caso, a proposta governamental é iniciar uma discussão sobre o reajuste somente no “próximo” mês de setembro. O Governo, mais uma vez, tentando dividir a categoria, apresentou proposta diferenciada para aqueles/as que desde janeiro/2017 estão abaixo do piso: em junho, 7,64% com direito a retroativo.
A nossa categoria EXIGE respeito e EXIGE o cumprimento da Lei do Piso, bem como, a repercussão do reajuste por dentro do Plano de Cargos e Carreira. Não existe carreira sem piso e não tem sentido piso sem carreira. Exigimos, também, negociação imediata das questões salariais relativas aos/às Funcionários e a Analistas em Gestão Educacionais.
Por deliberação da nossa Assembleia Geral estamos em ESTADO DE GREVE e com nova Assembleia marcada para o próximo dia 27 de junho, às 14h, em local a definir. Em 30 de junho, participaremos da Greve Geral contra as reformas propostas pelo Governo ilegítimo de Michel Temer.


Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco – SINTEPE


Nenhum comentário:

Postar um comentário