quinta-feira, 15 de junho de 2017

CHUVA, NEBLINA E FRIO: GARANHUNS REVIVE INVERNOS HISTÓRICOS


Com as mudanças climáticas evidenciadas em todo o mundo, diversas localidades tiveram suas temperaturas e climas invertidos. De norte a sul e leste a oeste,  recantos do planeta conhecidos como de clima temperado e tropical ou gélidas paisagens deram espaço a inusitados e surreais fenômenos climáticos antes considerados raros ou no mínimo improváveis.  

Aqui no Brasil, terras áridas, solos rachados e ausência de água, imagens tipicamente comuns nos intensos verões nordestinos, começaram a ser observados com frequência  cada vez maior nos pampas gaúchos.  Enxurradas, alagamentos e quedas bruscas nas temperaturas, por sua vez, passaram a modificar a paisagem em diversos estados nordestinos.  

Quem viveu em Garanhuns, cidade pernambucana conhecida como ‘Suissa Pernambucana’ e ‘Terra da Garoa’  nas décadas de 1970 e 1980, certamente ainda guarda na memória as imagens de invernos rigorosos, uma densa neblina que se transformava em uma cortina encobrindo suas sete colinas nos finais de tarde e no início de cada manhã, revelando uma atmosfera nostálgica e elegante, o que confirmava os codinomes acima.
Acompanhando esse charme, um frio agradável deixava sua população ainda mais elegante nas idas aos cines Jardim, Eldorado (na sua primeira versão) ou, para os ainda mais antigos, o Cine Glória e os cafés da sua avenida central.

Pois bem: Após um período de intensa estiagem e temperaturas que chegaram nos últimos meses aos inéditos 39 graus no agreste – inclusive em Garanhuns – em poucas semanas de chuvas o cenário anterior deu lugar ao típico inverno garanhuense, que pôde ser recordado nesta cidade na tarde dessa quinta feira, feriado de Corpus Christi de 2017.

Os termômetros, é certo, nem de perto caem para os 8 ou 9 graus celsius, comuns às décadas citadas acima. Mas, os 15, 14 e até 13 graus registrados principalmente nas noites e madrugadas dessa temporada, permitem à população e visitantes vivenciarem uma sensação térmica ainda mais baixa e dão, até que enfim, uma pausa no ventilador e no ar condicionado, eletrodomésticos, há alguns anos, desnecessários ao garanhuense.

No mais, é se agasalhar bem, abrir o coração e o guarda roupa para aquecer o coração do próximo e reviver os bons invernos de Garanhuns.       

Um comentário:

  1. Anos 50 e 60 as temperaturas caiam a 5 ou 6°C, é o sol às vezes aparecia após 15 dias de garoa é neblina. Eu não sentia frio, sentia alegria.

    ResponderExcluir