quarta-feira, 31 de maio de 2017

MISTÉRIO : DOIS DELEGADOS DA PF SÃO ASSASSINADOS NESTA QUARTA, UM DELES ATUAVA NA INVESTIGAÇÃO DA MORTE DE TEORI ZAVASCKI

Local em que os crimes aconteceram - Foto Cristiano Estrela - Agência RBS
Dois delegados federais morreram e uma pessoa ficou ferida na madrugada desta quarta-feira em Florianópolis. De acordo com informações da Polícia Federal, Elias Escobar, 60 anos, e Adriano Antônio Soares, 47, estavam dentro de uma casa noturna no bairro Estreito, área continental da cidade, quando houve um desentendimento e os tiros foram disparados.
Um dos agentes morreu no local e o outro chegou a ser encaminhado ao Hospital Florianópolis, mas não resistiu aos ferimentos. A terceira vítima segue internada. Nilton Cesar Souza Junior, 36 anos, um comerciante da região, foi levado para a unidade por um amigo. O delegado que morreu no hospital foi conduzido para o hospital por um taxista.
Segundo a PM, a briga começou dentro da casa e os tiroteios ocorreram no corredor do terreno que dá acesso ao clube. No entanto, confusão terminou apenas no hospital. O comerciante, mesmo ferido, ainda teria dado um tiro contra o táxi onde estava o delegado que morreu instantes depois. Este disparo, no entanto, não atingiu o policial. 
De acordo com o Boletim de ocorrência, feito por um segurança da casa, no local funciona como uma casa de massagem. No terreno, que não possuí sinalização ou nome, há pelo menos cinco quartos. Neste manhã, nenhum funcionário foi encontrado para falar. 
A Polícia Federal (PF) informou que os dois delegados mortos atuam na cidade de Rio de Janeiro. Eles participavam de um curso da corporação em Florianópolis desde o início da semana passada. A organização do evento agora estuda suspender as atividades nesta manhã.
De acordo com o Delegado que assumiu a investigação, Ênio Mattos, ainda não se sabe o que teria provocado a briga e a testemunhas ainda estariam  sendo ouvidas. 
Os tiros disparados contra os policiais teriam sido de uma pistola 380. O local tem sistema interno de câmeras, mas elas não estariam funcionando no momento, por isso, a polícia procura imagens de estabelecimentos vizinhos. 
 Adriano Antônio Soares, 47 anos, Atuava como chefe da Polícia Federal de Angra dos Reis desde 2009. Em janeiro deste ano, abriu a investigação sobre o acidente aéreo que matou o ministro Teori Zavascki e mais quatro pessoas em Paraty (RJ). Na época, ele decretou o sigilo da investigação. Soares era delegado da PF desde 1999.

Nenhum comentário:

Postar um comentário