terça-feira, 9 de maio de 2017

COMISSÃO FAZ VISTORIA E COBRA PLANEJAMENTO PARA LEGADO DOS JOGOS OLÍMPICOS

Foto: Pinterest
Após quatro vistorias a instalações olímpicas na cidade, a Comissão de Esporte e Lazer da Câmara Municipal do Rio de Janeiro constatou que o que há, no momento, é um “largado olímpico”, e não um legado, como o prometido à época da candidatura como sede dos Jogos Olímpicos 2016. O tema foi discutido nesta terça-feira (9) em audiência pública na Câmara.

O presidente da comissão, vereador Felipe Michel (PSDB), afirmou que não foi feito um planejamento para o uso dos equipamentos olímpicos. Para ele, a pior situação é a do Parque Radical de Deodoro.

Já o deputado estadual Carlos Roberto Osório (PSDB), que colaborou com a campanha de candidatura do Rio como sede dos jogos, disse que o trabalho foi baseado no sonho de que a olimpíada poderia deixar ao esporte brasileiro e ao Rio de Janeiro um novo patamar de desenvolvimento.


Osório afirmou que o problema está "sem dono” e que a prefeitura tem que assumir isso. “Se os equipamentos ficarem mais seis meses fechados, podemos ter danos irreversíveis. O problema foi herdado por essa gestão, mas tem que resolver”, declarou. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário