segunda-feira, 22 de maio de 2017

APÓS DENÚNCIAS, AÇÃO DA JBS CHEGA A CAIR QUASE 20%

Foto: Michel Hilton
A Bovespa opera em queda nesta segunda-feira (22), com as ações da JBS se destacando entre as maiores perdas do dia, ainda repercutindo a crise política desencadeada pelas delações de dirigentes da JBS que atingiram o presidente da República, Michel Temer. Por volta das 14h50, o Ibovespa, principal indicador da bolsa, caía 1,71%, aos 61.569 pontos.
Perto do mesmo horário, as ações da JBS lideravam as perdas, caindo 19,98%. Até agora, a empresa já perdeu cerca de R$ 4,7 bilhões em valor de mercado no pregão desta segunda. Desde a eclosão da crise política envolvendo o governo Temer e a empresa, na noite de quarta-feira, a perda foi de R$ 6,8 bilhões. No ano, marcado ainda pela Operação Carne Fraca, a empresa acumula perda de R$ 11,9 bilhões. Os dados são da Economatica.

Segundo a BMF&Bovespa, até as 12h42 desta segunda, o papel da JBS já tinha ido a leilão 6 vezes, como determinam as regras da bolsa em casos de forte oscilação. Entre as normas que fazem com que um papel entre em leilão operacional está variação de mais de 10% em relação ao preço de abertura ou de 1,5% entre um negócio e outro, entre outras regras.

A agência de risco Moody's decidiu nesta segunda cortar o rating da empresa e de sua subsidiária nos Estados Unidos. A nota da JBS foi reduzida para 'Ba3' ante 'Ba2', enquanto a dívida garantida da JBS USA teve a nota cortada para 'Ba2' ante 'Ba1.

Antes disso, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) já havia aberto cinco processos administrativos contra a empresa na semana para investigar supostas irregularidades como o uso de informações privilegiadas em negociações de dólar futuro e ações.


A ação da JBS é a 20ª na lista das maiores participações do Ibovespa, com peso de 1,3% na composição do índice.

Nenhum comentário:

Postar um comentário