sexta-feira, 7 de abril de 2017

EM QUEM MAIS SERVE A ‘CAMISA BRANCA’ NO GOVERNO PAULO CAMARA?

Foto: Gabrielle Sadi /Falando com o Agreste
A presença de diversos prefeitos, vereadores e outros políticos da região do Agreste Meridional acompanhando a comitiva do Governador Paulo Câmara (PSB) nessa quinta feira (06), no seminário ‘Pernambuco em Ação’, promovido pelo Governo do Estado aqui em Garanhuns, um evento que teve o objetivo, de dar maior visibilidade às ações realizadas por esta gestão na região e apresentar a resolução de outras demandas municipais, também serviu como um ‘termômetro’ para avaliar a popularidade do gestor maior do estado por essas, hoje secas, terras agresteiras.

Anotamos a presença de muitos ex prefeitos, prefeitos reeleitos  e recém eleitos, estes últimos no comando de seus municípios há pouco mais de 90 dias, mas que já começaram a aprender o “dever de casa” na política partidária, que é exatamente a fidelidade ao palácio e ao governo que os apoiou.

Mas nem sempre vestir a camisa branca, peça de roupa emblemática adotada à época pelo ex governador, já falecido, Eduardo Campos como ‘uniforme de batalha’ dos seus soldados, atribui ao usuário a fidelidade que o palácio espera do mesmo. Vestir-se de branco, apenas para sair bem na selfie posando ao lado do Governador, ilude alguns incautos que supõem ser apenas esse apelo visual que vai transformar-se em um canal de identificação da sua fidelidade ao chefe do Palácio e às suas ideologias politico partidárias.

No entanto alguns outros, mais precavidos, já divagam que com as eleições ainda a um ano e meio de distância, as sondagens e pesquisas que começam a ser realizadas e uma 'Operação Lavajato' no meio, talvez não seja a hora de tomar partido. O certo é aguardar e assistir ao desdobramento das voltas que a política ainda vai dar até 2018, no grande palco de uma nova batalha eleitoral no estado.

Só para ilustrar: Alguns dos que discursaram pró governo na tribuna no seminário em Garanhuns, na eleição anterior quando engrossavam as fileiras adversárias, chegaram a recomendar ironicamente que Paulo Câmara deveria usar um  GPS para percorrer o Estado, aludindo que o então candidato não conhecia Pernambuco.
    
Certamente, até o ano que vem, muitas lojas de confecções ainda poderão faturar bem vendendo o uniforme branco das  caminhadas governistas em Pernambuco. Mas os fiéis observadores, partidários de Câmara, certamente saberão nos tempos de colheita, separar o trigo e o joio...

Marcelo Jorge - Consultor Político/radiojornalista/ Graduando em Ciência Política

Nenhum comentário:

Postar um comentário