.

.

domingo, 13 de março de 2016

MANIFESTAÇÃO EM GARANHUNS PEDE DESCULPAS POR REGIÃO TER SIDO BERÇO DE LULA

Destaque no G1, matéria que mostra as manifestações Pró impeachment da Presidente Dilma e pela efetivação da prisão do Ex Presidente Lula, acusado pelo Ministério Público de São Paulo, entre outras irregularidades, na ocultação de patrimônio e envolvimento em corrupção investigada pela Operação  Lavajato da Polícia Federal. "Em Garanhuns, município a 27 quilômetros distante de Caetés, cidade natal do ex-presidente Lula, o protesto em nome dos moradores da região no Agreste de Pernambuco "pediu desculpas ao Brasil pelo filho corrupto", neste domingo (13). Segundo a Polícia Militar, 250 a 300 pessoas participaram da manifestação, que também pediu o impeachment da presidente Dilma Rousseff, a prisão de Lula e apoiou as ações do juiz Sérgio Moro. Os organizadores não informaram o número de pessoas presentes.
Ainda conforme a PM, a concentração da população aconteceu no Relógio de Flores, às 10h, e por volta das 11h30 saiu em caminhada até a prefeitura de Garanhuns. O protesto foi encerrado pouco depois das 13h.
Os manifestantes estavam a pé, em carros, motos e bicicletas. Vestidos de verde e amarelo, alguns com rostos pintados nas mesmas cores, crianças, adultos e idosos levaram às ruas de Garanhuns cartazes que continham dizeres como "Lula na cadeia", "Fora corruPTos", "Viva o juiz Sérgio Moro", "Acorda Brasil! Vem pra rua!", "Bem aventurada é a nação cujo Deus é o senhor", "Golpe é uma quadrilha travestida de partido político quebrar o Brasil", "Fora Dilma: Lula nunca mais", "A justiça engrandece a nação" e "Verás que um filho teu não foge à luta", entre outros.
Com informações do G1.

DELAÇÃO DA ANDRADE GUTIERREZ APROFUNDA CRISE NO GOVERNO DILMA

A situação do governo Dilma, não é nada confortável. E com o acordo de delação premiada da construtora Andrade Gutierrez revelado pela imprensa, que fez doações legais para campanhas do PT em 2014 como pagamento de comissões de contratos firmados com empresas estatais, a situação piora um pouco mais.
Segundo apuração da  "Folha", a segunda maior empreiteira do país contou ao Ministério Público que ganhava contratos na Petrobras e Eletronuclear e, em troca, pagava comissões ao PT na forma de doações legais.
Os recursos, segundo os depoimentos feitos por executivos da Andrade na delação, eram repassados para o tesoureiro do PT João Vacari, que nega ter recebido este tipo de recursos. Ele está preso pela Operação Lava Jato.
Como reportagem da Folha revelou, a Andrade Gutierrez já havia informado na delação que, no caso da campanha de 2010, bancou pagamentos de fornecedores da eleição da presidente Dilma Rousseff. Um exemplo foi a agência Pepper, que recebeu R$ 6,1 milhões.