quinta-feira, 25 de junho de 2015

HABEAS CORPUS PREVENTIVO PEDE QUE LULA NÃO SEJA PRESO NA LAVA JATO

Um habeas corpus preventivo impetrado na Justiça Federal no Paraná, nesta quarta-feira, pede que o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, não seja preso. O pedido foi para evitar que o petista seja detido por conta das investigações da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, que deflagrou um esquema de corrupção dentro da Petrobras. O pedido é para evitar que o juiz federal Sergio Moro tome uma decisão de prender o ex-presidente.

O Instituto Lula nega que o ex-presidente tenha entrado com esse pedido. Segundo a entidade, qualquer cidadão pode entrar com este tipo de ação. De fato, o pedido para a “não prisão de Lula”, num movimento antecipado, aconteceu nesta quarta-feira, às 16h20. O assunto foi confirmado pela assessoria de imprensa do Tribunal Regional Federal da 4º Região, TRF-4. A assessoria de Lula trabalha com duas hipóteses: a primeira de “alguém preocupado” com o ex-presidente ou “uma provocação”.

“O Instituto Lula estranha que sua divulgação parta do senador Ronaldo Caiado (DEM-GO)”, afirmou o instituto em nota enviada ao jornal Folha de S. Paulo. O senador de Goiás Ronaldo Caiado (DEM), um dos principais nomes da oposição, divulgou em seu Twitter nesta quinta que Lula teria entrado com o pedido por receio de ser preso. “O ex-presidente não é investigado na operação Lava-jato”, conclui o instituto.

Um dos presos recentemente pela Operação Lava-Jato é Alexandrino Alencar, diretor da Odebrecht, que acompanha o ex-presidente em viagens internacionais patrocinadas pela construtora. Em 2011, por exemplo, numa viagem à Guiné Equatorial, Lula, como representante do governo da presidente Dilma Rousseff, também do PT, colocou Alencar como um dos integrantes de sua delegação oficial. Outras viagens aconteceram. Lula e as construtoras negam, no entanto, relações políticas.

Com Informaçoes do DP