terça-feira, 19 de maio de 2015

COMISSÃO VOTARÁ RELATÓRIO FINAL DA REFORMA POLÍTICA SEGUNDA-FEIRA

O relatório final da PEC da Reforma Política será votado na próxima segunda-feira (25) pela comissão especial, às 14 horas. Depois, segue para a votação no plenário da Câmara dos Deputados, na terça-feira (26), conforme anunciou hoje (19) o presidente da comissão, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).
De acordo com o deputado Tadeu Alencar (PSB-PE), vice-presidente da Comissão Especial, a votação não exime Eduardo Cunha das críticas descabidas que fez ao relatório e ao seu autor, o deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), pela imprensa. Cunha ameaçou votar a reforma sem o relatório final, que classificou de “confuso”, e acusou o colega peemedebista de não agir com “perspicácia e inteligência política”.
“Lamentamos as declarações do presidente da Câmara. Não colocar o relatório em votação seria uma agressão à sociedade, com a qual debatemos pelo Brasil inteiro as propostas a serem incluídas no documento”, afirmou Tadeu Alencar, classificando a iniciativa de Cunha como um desrespeito às prerrogativas e responsabilidades dos parlamentares indicados pelos seus partidos para integrar a Comissão Especial.
O socialista aproveitou para elencar alguns avanços contidos no relatório, como a unificação do calendário eleitoral em 2022, o fim da reeleição para o Executivo e o mandato de cinco anos para todos os cargos, além da proibição das coligações proporcionais, o estabelecimento da cláusula de desempenho e das federações partidárias e o aprimoramento da iniciativa popular para apresentação de projetos ao Legislativo.
“Ainda vamos tentar modificar o sistema eleitoral, aprovando o destaque que apresentamos para suprimir o Distritão do relatório, mantendo o atual sistema proporcional, com melhorias. Também vamos tentar evitar a aprovação do financiamento empresarial de campanhas”, completou Tadeu Alencar.

Veja, em vídeo, o que disse o deputado Tadeu Alencar:


CONCURSO PUBLICO EM GARANHUNS FOI REGULAR, DIZ MP. PREFEITO QUER PUNIÇÃO PARA DENUNCIANTES.

Após denúncias de indicios de irregularidades na aplicação de provas para o Concurso Público de Garanhuns, Pernambuco, que levou o Ministério Público pedir a suspensáo da divulgação do certame, o próprio MP voltou atrás e decidiu liberar a divulgação, já que nas investigaçoes não foram encontradas as irregularidades publicadas nas redes sociais,

A Prefeitura de Garanhuns emitiu nessa terça feira (19) uma Nota de esclarecimento sobre o fato, a qual publicamos abaixo:

O Governo Municipal de Garanhuns que sempre teve a inteira convicção da lisura do processo coordenado pelo Instituto de Apoio à Universidade de Pernambuco – IAUPE, e acompanhado pela Comissão do Concurso Público de Garanhuns, vem a público informar que solicitou uma Auditoria Especial ao Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco – TCE/PE para que seja dirimida toda e qualquer dúvida em face da decisão anterior do Ministério Público de Garanhuns que pediu o adiamento do resultado do Concurso Público.
Essa decisão foi tomada em respeito a todos os envolvidos com o concurso, sejam os profissionais responsáveis pela elaboração do mesmo, que foram expostos à suspeição, bem como aos candidatos que acreditaram e se inscreveram almejando a inserção no serviço público municipal.

Após a publicação da Nota, o prefeito de Garanhuns, Izaías Régis (PTB) concedeu entrevista ao Programa "Falando com o Agreste" veiculado pela Rádio Marano FM , sobre o assunto.


Ouça a entrevista na íntegra, clicando no player abaixo: