segunda-feira, 31 de agosto de 2015

OPERAÇÃO LAVA JATO TEM SEU PRIMEIRO POLÍTICO DELATOR

O advogado Michel Saliba deixa nesta segunda (31) a defesa do ex-deputado federal e ex-presidente do PP (Partido Progressista) Pedro Corrêa, preso pela Operação Lava Jato. Com isso, Corrêa deve ser o primeiro político a fechar delação premiada com o Ministério Público, assumindo participação em crimes e revelando detalhes do esquema de corrupção da Petrobras em troca de benefícios, como eventual redução de pena.
A defesa do ex-deputado deve ficar sob os cuidados do advogado Adriano Bretas, além de Alexandre Loper, que já atuava no caso. Saliba e Corrêa devem se encontrar nesta segunda no Paraná, onde o ex-deputado está preso. Saliba descartou trabalhar com delação premiada porque considera incompatível uma vez que tem outros seis clientes investigados na Lava Jato pelo STF (Supremo Tribunal Federal).
Corrêa disse a pessoas próximas que pode oferecer aos procuradores da Lava Jato detalhes sobre as indicações políticas para cargos em órgãos do governo federal e a distribuição da propina do esquema a congressistas.
Quando foi preso na Lava Jato, Corrêa já cumpria pena pela condenação no STF por seu envolvimento com o mensalão em 2012. Na quarta-feira (26), Corrêa prestou depoimento à Justiça Federal em um dos processos da Lava Jato e disse que seus familiares não têm qualquer envolvimento com os fatos investigados no caso. Segundo o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, delatores da Lava Jato, Corrêa recebia pagamentos mensais do esquema e era um dos líderes do PP que decidiam como distribuir os recursos destinados ao partido. Segundo Costa, ele recebeu R$ 5,3 milhões só na campanha eleitoral de 2010. Sua filha, a ex-deputada Aline Corrêa (PP-SP), também recebia pagamentos mensais do esquema, de acordo com Youssef. 

Um comentário:

  1. Uma coisa é certa:quase todos os 513 deputados federais e 81 senadores ao lado dos milhares de deputados estaduais, dos prefeitos e governadores por tabela uma parte dos vereadores também estão envolvidos na operação lavajato que vem mostrando ao Brasil inteiro como se davam os grandes esquemas de compra de votos dos eleitores,cabos eleitorais,etc.

    Se não existem financiamento público de campanhas políticas e todas as doações dos empresários,empreiteiras,bancos , indústrias aos políticos e partidos, de onde vem esses recursos para favorecer uma centena de milhares deles que somente aparecem de 4 em 4 anos abastecendo suas bases com dinheiro ao vivo e a cores?

    De onde vem o dinheiro para o abastecimento dos candidatos a reeleição dos prefeitos e vereadores e deputados estaduais e federais? Vem dos esquemas montados por eles mesmos.A corrupção é tão grande que nem os que já se foram estão escapando delas,meus senhores. Ricardo Fiúza, Antônio Farias, Sergio Guerra e Eduardo Campos. Fora é claro os vivos, Sarney,Roseana, Maluf, Geraldo Alckmin, José Serra,Aécio Neves, Lula, Dirceu, Delúbio,Genoino, Vacari, Eduardo Azeredo, Pedro Correia, Jáder Barbalho, Fernando Collor, Fernando Henrique,etc.

    Mas tudo foi constitucionalizado graças a esse presidente pequeno e de uma incompetência fora do comum EDUARDO CUNHA que está envolvido até o eixo no baixo clero da Câmara Federal na operação lavajato com os seus esquemas para reelegê-lo e todos aqueles que seguem sua seita mentirosa e corrupta.

    ResponderExcluir