domingo, 4 de janeiro de 2015

CURSO DE MEDICINA AGORA SERÁ UMA LUTA DA AESGA, DIZ PREFEITO

Contrariando seus constantes pronunciamentos polêmicos, fechamos o ano ouvindo um governante “light”, atento às perguntas do entrevistador e que, apesar de falar com empolgação dos investimentos  e enaltecer suas primeiras obras,  reconheceu falhas administrativas dos seus subordinados, garantindo punição para os funcionários públicos “fora da linha” e se mostrou até insatisfeito com o lento caminhar de algumas áreas do seu governo. Pelo fato, culpou a burocracia das licitações e reclamou dos parcos investimentos federais – apesar de ter sido um dos mais fervorosos militantes da campanha para reeleição da presidenta Dilma Rousseff nessa região do Estado de Pernambuco -.  

Foi assim que o Programa “Falando com o Agreste” recebeu no último dia do ano de 2014, o Prefeito de Garanhuns, eleito pelo PTB, Izaías Régis.
No meio da entrevista, Régis revelou sua vontade de trazer um Curso particular de Medicina para a Autarquia do Ensino Superio de Garanhuns – AESGA – sendo enfático ao declarar o fracasso da tentativa de reativar a FAMEG, uma faculdade que na sua opinião, de forma definitiva, não deverá reabrir.


Ouça, no link abaixo, a entrevista com o gestor, postada na íntegra:




Um comentário:

  1. Garanhuns e região perde anualmente centenas de estudantes universitários para outras cidade como: Caruaru, Recife, Arapiraca, Maceió, etc..., Isso por falta de visão, na implantação de alguns cursos importantes e inexistente na nossa cidade.

    A AESGA, deveria se tornar um Centro Universitário, ampliando toda sua estrutura física, em primeiro lugar, e com isso solicitar do MEC a implantação de cursos como: Odontologia, Farmácia, biomedicina, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição, Enfermagem, e outros.. Alguém já parou para pensar a quantidade de estudantes que iríamos receber com a abertura desses cursos, principalmente os investimentos deixados na economia da nossa cidade.
    E quanto ao CURSO DE MEDICINA, poderia se tornar uma luta para instalar na UAG- UFRPE, que tem estrutura para isso. Ou então, solicitar do Governo Federal a implantação de um novo Campus da Universidade Federal em Garanhuns.

    Eduardo Brandão

    ResponderExcluir