quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

APÓS DOIS MESES DO ASSASSINATO DE PROMOTOR, NADA FOI ESCLARECIDO

Promotor também atuava como professor e era autor de livros. Foto: Reprodução
Já se passaram cerca de 60 dias da morte do promotor de Itaíba, Thiago Faria Soares, de 36 anos, e a Polícia Civil e o Ministério Público de Pernambuco ainda não concluíram as investigações. O promotor foi assassinado, no dia 14 de outubro, quando seguia para a cidade de Itaíba, no Agreste do Estado, com a advogada Mysheva Martins, noiva da vítima, e um tio de Mysheva, quando foi atingido por disparos de arma de fogo, em um trecho da PE-300. 

A vítima levou quatro tiros de uma arma calibre 12, todos na região da cabeça, e morreu no local. A principal linha de investigação aponta para uma discórdia sobre a posse da Fazenda Nova, que fica em Águas Belas, no Agreste, arrematada em um leilão pela noiva da vítima. Edmacy Ubirajara, tio de Mysheva, foi apontado pela polícia como o executor do crime, e o fazendeiro José Maria Pedro Rosendo Barbosa, que se encontra foragido, o mandante do assassinato.

De acordo com o advogado de Edmacy, Leandro Ubirajara, apesar da polícia de Pernambuco não renovar a prisão temporária do suspeito, Edmacy continua preso devido à investigação de um outro caso em Sergipe

OUÇA NA ÍNTEGRA, ENTREVISTA DO PREFEITO CASSADO DE SÃO JOÃO, GENALDI ZUMBA