sexta-feira, 27 de setembro de 2013

"É PRECISO SABER PERDER" , RESPONDE EDUARDO À CIRO GOMES

O presidente nacional do PSB e provável candidato à Presidência em 2014, Eduardo Campos (PE), rebateu as críticas do ex-ministro Ciro Gomes, que cobrou em entrevista na quarta-feira, 25, "dignidade" e "compostura" do governador pernambucano.
"Eu trato as coisas na política, este é o meu jeito", declarou Campos, nesta quinta-feira, 26, acrescentando que houve uma disputa política dentro do partido, em que sua posição saiu vencedora. "Nós vencemos e temos que saber ganhar. E também é importante quem perde saber perder", disse o governador. "Se a gente não souber ganhar, terminamos não ganhando mais nunca. E se a gente não sabe perder, a gente acaba perdendo sempre", alfinetou.
Em entrevista, Ciro Gomes, que, com o seu irmão e governador do Ceará Cid Gomes, está de saída do PSB, disse que o governador Campos apresentou sua candidatura com "a maior truculência e falta de respeito" e avaliou a situação como "lamentável".

(Agência Estado - Ricardo Della Coletta)


07 PARLAMENTARES PERNAMBUCANOS, ENTRE ELES UM SENADOR, RESPONDEM À INQUERITOS, DIZ CONGRESSO

Do Blog do Jamildo
Levantamento do Congresso em Foco diz que nunca houve tantos congressistas sob a mira da Justiça.   Sete Pernambucanos estão na lista: o senador Armando Monteiro (PTB) e os deputados federais Bruno Araújo (PSDB), João Paulo (PT), José Augusto Maia (PTB), Luciana Santos (PCdoB), Mendonça Filho (DEM) e Vilalba (PRB).
Os números apurados pelo Congresso em Foco são 17% maiores que o que foi apresentado no levantamento de 2012. Na época, 191 parlamentares estavam sob investigação do Supremo. A Corte é o foro competente para julgar crimes cometidos por essas autoridades. Dentre os partidos, o que mais responde a processos é o PMDB, com 54 congressistas. A lista de crimes envolve homicídio, corrupção e envolvimento com narcotráfico.
A maior parte dos processos e inquéritos contra pernambucanos se dá por crimes eleitorais. É assim com o senador Armando Monteiro e com os deputados José Augusto Maia, Mendonça Filho e Vilalba. Por crime contra a Lei de Licitações, respondem João Paulo, Augusto Maia e Luciana Santos. Os ex-prefeitos João Paulo e Luciana respondem também por improbidade administrativa. Caso atípico, Bruno Araújo tem dois inquéritos por quebra de sigilo telefônico e investigação penal.
Segundo a equipe do senador Armando Monteiro ele é apenas citado em uma investigação sobre o repasse de emendas parlamentares para a Associação da Indústria, Comércio e Agroindústria de Garanhuns e Agreste Meridional (Aciagam), entre 2005 e 2008, e que os convênios firmados estariam listados como regulares no Ministério do Turismo. O inquérito associaria as emendas ao apoio eleitoral dado por um correligionário a uma campanha do senador.