.

.

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Polícia Federal cumpre mais de 100 mandados de prisão


A Polícia Federal deflagrou hoje (19) a Operação Miqueias, com o objetivo de desarticular duas organizações criminosas acusadas de fazer lavagem de dinheiro e má gestão de recursos de entidades previdenciárias públicas. Foram escalados mais de 300 policiais para cumprir 102 mandados judiciais.

Segundo a PF, estão sendo cumpridos 75 mandados de busca e apreensão, cinco prisões preventivas e 22 prisões temporárias em dez unidades federativas: Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Maranhão, Amazonas e Rondônia.

Em nota, a polícia informa que investiga há um ano e meio lavagem de dinheiro por meio das contas bancárias de empresas de fachada ou fantasmas, abertas em nome de laranjas. Na ocasião, foi verificada a existência de um holding de empresas que consistia em um verdadeiro serviço de terceirização para lavagem do dinheiro proveniente de crimes diversos.

O dinheiro era creditado nas contas bancárias das empresas investigadas, e os valores ilícitos ficavam circulando pelas demais contas ligadas à quadrilha, de onde eram sacados.

Em 18 meses, foram sacados mais de R$ 300 milhões e para não chamar a atenção dos órgãos de fiscalização, os criminosos substituíam periodicamente os laranjas e empresas envolvidas no esquema.
Os presos e indiciados responderão pelos crimes de gestão fraudulenta, operação desautorizada no mercado de valores mobiliários, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e falsidade ideológica

PT ACHA QUE LULA VAI CONVENCER EDUARDO A DESISTIR DA CANDIDATURA

Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Na véspera do desembarque do PSB do governo, Dilma Rousseff conversou com o ex-presidente Lula depois que a decisão foi confirmada por Cid Gomes (PSB-CE), contrário ao rompimento. Lula e Dilma combinaram que, quando discursarem publicamente sobre o assunto, adotarão tom de não atacar, mas sim destacar o apoio do PSB ao PT desde 1989. Os petistas acreditam que Lula ainda pode convencer Campos a não disputar a presidência ou, pelo menos, se afastar do campo da oposição. Quem informa é Vera Magalhães, na sua coluna da Folha de S.Paulo desta quinta-feira.
Segundo ainda a colunista, Dilma quer discutir com Michel Temer a sucessão nas pastas ocupadas por aliados de Campos. Até ontem à noite, não havia sido definida a data de saída dos pessebistas do governo. A tendência do Planalto era favorecer a bancada do PMDB no Senado na substituição.