quarta-feira, 18 de setembro de 2013

LEIA, NA ÍNTEGRA, CARTA DO PSB DEVOLVENDO CARGOS À DILMA


“À Sua Excelência Senhora Dilma Rousseff


Em mãos.

Senhora Presidenta,

Desde 1989, quando da criação da “Frente Brasil Popular”, o Partido Socialista Brasileiro integra, juntamente com o Partido dos Trabalhadores e outros do campo da esquerda, a base política e social que, durante as sucessivas eleições presidenciais de 1989, 1994, 1998 e no segundo turno de 2002, apoiou e, finalmente, levou à Presidência da República, o companheiro Luís Inácio Lula da Silva, cujo governo contou com nossa participação, colaboração e  sustentação, no Executivo e no Parlamento.  

Convidado a ocupar funções governamentais, nosso partido contribuiu para os avanços econômicos e sociais proporcionados ao país pelo governo do honrado presidente Lula, dedicando seus melhores esforços e sua total lealdade nos momentos mais difíceis dos oito anos de mandato.

Em março de 2010, embora contássemos com um pré-candidato à presidência da República e fosse desejo manifesto de nossa base e das lideranças do partido o lançamento de candidatura própria, o PSB, a partir de uma profunda reflexão e discussão política com o companheiro Lula, abdicou dessa legítima pretensão e decidiu integrar a frente partidária que apoiou a candidatura de Vossa Excelência à Presidência da República. 

Quando da formação do governo, Vossa Excelência convidou-nos para discutir nossa participação, ocasião em que manifestamos a possibilidade de apoiar sua administração sem necessariamente ocupar cargos. Vossa Excelência, entretanto, expressou o desejo de quadros do PSB na administração, com o que concordamos sem apresentar condicionantes.

Neste momento, temos sido atingidos, sistemática e repetidamente, por, comentários e opiniões, jamais negadas por quem quer seja, de que o PSB deveria entregar os cargos que ocupa na estrutura governamental, em face da possibilidade de, legitimamente, poder apresentar candidatura à presidência em 2014.

Longe de receber tais manifestações como ameaça, o Partido Socialista Brasileiro - que nunca se caracterizou pela prática do fisiologismo - reafirma seu desapego a cargos e posições na estrutura governamental, e reitera  que seu apoio a qualquer governo jamais dependeu de cargos ou benesses de qualquer natureza, e sim do rumo estratégico adotado que, a nosso ver, deve guardar identidade com os valores que alicerçam a trajetória política do nosso partido. 

Nossas divergências, todavia, não impediram nosso apoio ao governo de Vossa Excelência, mas pretendemos discutir com a sociedade, de forma mais ampla e livre.

O Partido Socialista Brasileiro, nos seus 60 anos de presença na vida política nacional, jamais transigiu ou negociou suas convicções e seus ideais programáticos.

Com longa tradição na luta pela democracia e pela justiça social, o PSB participou ativamente de importantes momentos da vida nacional, como a memorável campanha do “Petróleo é nosso”, a luta pela reforma agrária, a luta pelas 'Diretas Já' e pela democratização do país. Sempre nos inspiraram exemplos como os de nossos companheiros João Mangabeira, Hermes Lima, Barbosa Lima Sobrinho, Evandro Lins e Silva, Antônio Houaiss, Miguel Arraes e Jamil Haddad.

É justamente pelo apego a essa história que o partido, nos últimos anos, vem merecendo o reconhecimento da sociedade brasileira refletido no seu crescimento nas sucessivas vitorias eleitorais. 

Por todas essas razões, o PSB vem à presença de Vossa Excelência, formalmente, declinar de sua participação no governo, entregando os cargos que ora ocupa, ao mesmo tempo em que reafirma que permanecerá, como agora, em sua defesa no Congresso Nacional. Esta decisão não diz respeito a qualquer antecipação quanto a posicionamentos que haveremos de adotar no pleito eleitoral que se avizinha, visto que nossa estratégia – que não exclui a possibilidade de candidatura própria – será discutida nas instâncias próprias, considerando nosso programa e os mais elevados interesses do país e a luta pelo desenvolvimento com igualdade social.

Saudações Socialistas,

Eduardo Campos

Presidente Nacional do PSB.”

IZAÍAS RÉGIS CONCEDE ENTREVISTA A RÁDIO MARANO FM, DESQUALIFICA CRÍTICOS E DÁ NOTA 8 PARA SEU GOVERNO

Foto: Diego Nigro/Arquivo Folha
Em entrevista levada ao ar na manhã dessa quarta feira (18) no programa Manhã Total, através da Rádio Marano FM, concedida ao radialista Marcos Cardoso, o prefeito de Garanhuns Izaías Régis (PTB), respondeu a diversas perguntas formuladas pelo profissional e por diversos ouvintes do programa.
Após fazer um explanação do que já foi realizado pelo seu governo no município, Izaías foi enfático na falta de compromisso de muitos garanhuenses que, ao seu ver, são críticos por não terem espaço na sua gestão. Culpou também a falta de capacitação de muitos desses munícipes para ocuparem postos de trabalho e que isso impede o crescimento do munícipio.
Alguns assuntos mais polêmicos foram enfatizados por Marcos Cardoso já na última meia hora de entrevista:  

APOIO POLÍTICO À CANDIDATURAS ESTADUAIS - O Prefeito Izaías negou a publicação em alguns blogs, do seu suposto apoio ao Ex deputado Romário Dias, que está indo para o PTB e que esse poderia ser o seu candidato à Estadual em 2014. 

AMBULANTES - O gestor qualificou as manifestações dos ambulantes como "miúdas". Na sua opinião, não foi a maioria dos ambulantes que esteve se manifestando contra sua retirada das avenidas principais. O prefeito desqualificou a informação dada pelo ex secretário de Agricultura do Governo de Luiz Carlos ao Vereador oposicionista Sivaldo Albino (PPS), na qual se fazia alusão a  intervenção do ainda deputado Izaías Régis para que o prefeito à época, não retirasse os ambulantes das ruas naquele momento, alegando que isso prejudicaria o deputado, em um ano eleitoral. Régis complementou dizendo que isso eram "picuinhas sem fundamento" e que jamais comentou sobre esse assunto com Luiz Carlos ou com qualquer outra pessoa;

AGÊNCIA DE PUBLICIDADE - Quando perguntado acerca da prisão do dono da agência de propaganda ALIANÇA COMUNICAÇÃO, empresário Luiz Otávio, que havia ganho duas licitações no município, Izaias Régis também minimizou o fato, alegando conhecer o fundador da agencia (?) e defendeu a inocência do acusado, colocando em dúvida dessa forma as investigações da Polícia Federal durante a Operação Esopo, que culminou inclusive com a apreensão de 99 mil reais no apartamento do empresário. Izaías detalhou que a licitação de comunicação da Prefeitura de Garanhuns não foi ganha pela ALIANÇA, pois o processo ainda não está concluído. Sobre a licitação da AESGA, também ganha pela ALIANÇA e acerca da previsão de um blog da Cidade com sete meses de antecedência, de quem seria a agencia ganhadora do certame, o prefeito não se pronunciou;   

MATADOURO MUNICIPAL - No final do programa, Izaías comentou nota do empresário Diego Acauã, sobre a ameaça de interdição do Matadouro Público Municipal. Na sua resposta, Izaías disse que isso era um problema do empresário e da gestão anterior e que no entanto estava aberto ao diálogo com Diego. O detalhe é que na nota de Acauã, o mesmo disse que por diversas vezes tentou contato com o prefeito, sem obter sucesso.

NOTA DE IZAÍAS PARA IZAÍAS -  Provocado pelo apresentador, após tomar conhecimento de que as enquetes realizadas na rádio dão um baixo percentual de aprovação ao seu governo, o prefeito foi generoso consigo e deu uma nota oito à sua administração, prometendo no entanto que sairia da prefeitura, ao final do mandato, como um prefeito nota 10.