quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

AGORA NÃO CABEM DESCULPAS: ACABOU O CARNAVAL. E GARANHUNS PARA ONDE VAI?

Foto: Marcelo Jorge  - Tratamento de imagem: Caio César

A expectativa dos garanhuenses acerca das mudanças tão propaladas durante as recentes campanhas eleitorais, parece que enfim vai ser satisfeita. Após o início do ano e até o recém finalizado carnaval, período no qual a ociosidade toma conta de todos os setores, a população começa a aguçar suas atenções para o início de fato das obras estruturadoras para Garanhuns, que foram o mote das citadas campanhas. Por um lado, temos hoje uma Câmara Municipal renovada e cheia de vontade de criar e aprovar projetos que possam dar um norte aos destinos do  município. Os novos nomes que somaram-se aos já experientes edis, utilizando uma nova estrutura física, com mais espaço, modernidade e tecnologia, além de uma afinação política importante com o gestor municipal, devem mostrar em pouco tempo que um legislativo forte se constrói com ação. A questão é que se demorarem muito, a população vai assistir apenas a  apresentação e indicação dos candidatos a Deputados nas câmaras estadual e federal para as eleições do ano que vem e nas quais os vereadores servem de arrimo para a propulsão de projetos desses que nem sempre trazem benéficos para a nossa população. A divisão de votos para deputados que não tem compromisso com Garanhuns é de fato, desalentadora e digna de repúdio.
Esse era um filme que vínhamos assistindo nas últimas vereanças e do qual não desejamos ‘remake’.
Já do Palácio Municipal, o que a população garanhuense vislumbra é não só o início do cumprimento das tarefas específicas e rotineiras do Prefeito – entre elas o levantamento de erros e culpas do passado ou "caça às bruxas, o que silenciosamente e subliminarmente já começou -, mas o cumprimento das metas descritas em planos de governo afixados nos muros e placas,  exaustivamente difundido em panfletos e folderes e alardeado nos Guias eleitorais de rádio e carros de som.
A oportunidade foi solicitada pelos candidatos a vereador e a Prefeito e dada pelo povo através do voto. O prazo, a partir de  agora, é de três anos e dez meses para nossa aprovação e consequente reAprovação (+4) ou reprovação desses mandatos.

E o Relógio das Flores já começou a contar esse tempo...

A população acredita e nós sinceramente também acreditamos nesse “novo jeito de governar”,  que promete tirar enfim Garanhuns do marasmo econômico e político além de despertar o desenvolvimento da cidade que atualmente “descansa em berço explêndido” sob a benção de Deus e proteção das sete colinas.  

CORAGEM DE UMA REPÓRTER PARAIBANA