quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

UM PASSEIO PELOS BOSQUES DE PALERMO: O QUE DEVÍAMOS APRENDER COM OS ARGENTINOS?


Avenida Sarmiento - Monumento a los Espanoles 326 - Buenos Aires

     

Panorâmica do "El Rosedal"
Circular pelas ruas e praças de Buenos Aires é, no mínimo, uma atividade prazeirosa.  Todos os espaços públicos, sem exceção,  demonstram a preocupação daquele povo com a preservação ambiental e o apego desde a infância dos ‘hermanos’ com os logradouros bem cuidados e excessivamente verdes. Passeando pelos Bosques de Palermo com minha esposa Aryanne e meus filhos Gabriel e Gabriela - e com nossa futura filha Manuela, ainda na barriga da mamãe - numa tarde muito quente de verão na capital portenha, pudemos ter o privilégio de abrigar-nos sob a copa de frondosas árvores centenárias  e observarmos alguns aspectos peculiares do comportamento da população, nesse bucólico pedaço da Argentina.

As famílias vão ao parque de fato para confraternizar-se, dividindo brincadeiras, refeição, boa conversa e até uma sonequinha ao final da tarde – só lembrando que em BsAs o sol se põe por volta das 19 e 30 –, sob os olhares das dezenas de estátuas de heróis e patriotas homenageados.  Sentimos uma pontinha de inveja, por não termos na grande maioria dos municípios brasileiros essa ‘intimidade’ com as nossas belas paisagens, um conhecimento detalhado da história dos nossos heróis homenageados nos bustos e muito menos uma política de preservação ambiental de fato séria.
O conjunto de espaços verdes de Palermo é formidável e pode-se iniciar essa maratona escolhendo um passeio ao Zoológico; Logo após, o Jardim Japonês vai deixar qualquer visitante de queixo caído, com sua beleza natural. De lá , há apenas um quarteirão , pode atravessar a Avenida Sarmiento e chegar ao Parque 3 de Febrero. Para quem gosta de rosas, vai esse encantar com “El Rosedal”:  A maior variedade de rosas bem cuidadas que já vi em toda minha a vida.  Nesse universo verde, ‘descobrimos’ o  pátio Andaluz , um ambiente que carrega uma poesia que nos faz transcender, em meio ao cotidiano e burburinho do trânsito da metrópole.    
Para encerrar aquela aprazíevl tarde, fizemos um passeio no pedalinho, que nos deu uma visão mais ampla dos  diversos pólos daquele acolhedor ambiente.
Apesar dos quase 40 graus de temperatura, um leve brisa aliviava nosso passeio.
  
Bom, por aqui ficaremos e em outra postagem, detalharemos mais alguns aspectos de Buenos Aires.