quinta-feira, 12 de setembro de 2013

"SE A ELEIÇÃO FOSSE HOJE, EU SERIA CANDIDATO" DIZ EDUARDO

Numa conversa que se estendeu até as 3h de terça-feira, Eduardo Campos (PSB) disse ao governador Cid Gomes (PSB-CE) que, se a eleição fosse hoje, seria candidato a presidente. 'Hoje eu sou. Para ganhar, para perder. Para fazer 1% ou 30%'.  Ressaltando que a decisão só será tomada em 2014, o governador de Pernambuco afirmou ainda que a presidente Dilma Rousseff tem 40% dos votos no país. E emendou: há 60% do eleitorado 'à disposição de outros candidatos'.
A conversa com Cid, a mais clara até agora sobre a eventual candidatura de Campos, ocorreu diante de Fernando Bezerra, ministro de Dilma. A sinalização coincidiu com o aumento da pressão de aliados para que a presidente demita os nomeados pelo PSB, o que levou eduardistas a concluir que o teor da reunião chegou a Brasília.
Do líder do PSB na Câmara, Beto Albuquerque (RS), sobre o fogo amigo: 'Dilma não precisa recorrer ao Obama nem mandar recado para falar conosco. Temos e-mail, telefone e endereço''.  Lula se reuniu ontem com o presidente nacional do PT, Rui Falcão, para discutir os cenários para 2014. O ex-presidente é o único que ainda contém a falta de paciência da cúpula petista com o aliado insurgente.  

(De Vera Magalhães - Folha de S.Paulo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário