quarta-feira, 3 de julho de 2013

AQUI NÃO DIVULGAREI A PROGRAMAÇÃO DO FESTIVAL DE INVERNO...


...Mas não divulgarei a programação do FIG nessa postagem, porque TODOS os demais colegas de blogs, rádios, jornais, revistas, TVs e redes sociais diversas já estão divulgando, e com muita competência e propriedade. Portanto, detalhar a programação dos polos aqui, seria redundar, 'chover no molhado'...

...Falarei no entanto, acerca da diferença entre a programação desse FIG para os festivais anteriores.

Ter participado de todas as versões anteriores do Festival de Inverno de Garanhuns, como público e também trabalhando nas incontáveis transmissões das Rádios Marano FM, Sete Colinas e Rádio Jornal nas quais prestei serviços por alguns anos, além de ter estado no palco como apresentador oficial por 20 desses anos de FIG  e após ver a programação divulgada recentemente pela FUNDARPE, me faz ter opinião formada sobre a evolução do evento nessas mais de duas décadas.

O Festival certamente amadureceu. Os artistas acompanharam essa evolução e o público tornou-se evidentemente muito mais seletivo e exigente em relação aos nomes apresentados. Existe sempre uma expectativa pessoal, é certo, em relação à vinda de artista "A"ou "B", de banda fulano ou sicrano, mas a verdade é que a mudança de atmosfera em Garanhuns se evidencia sempre que aproxima-se o evento "Mãe" da nossa região e na hora que o festival é iniciado, não existem mais azuis ou vermelhos, as diferenças evaporam e o clima se torna único para gregos e baianos.

Com divergências - que segmento ou ideologia vive sem elas? - mas acima de tudo com coerência, a maioria esmagadora da população aprecia as atrações de cada palco e cada polo e prestigia até nomes desconhecidos, mas que após assistir as suas performances, passa a cultuá-las como novos ídolos. Isso é o processo de "aculturação" tão importante para que as populações possam se conhecer melhor e permitirem que a sua cultura também se mostre aos demais.

Os artistas chamados "Grandes nomes" sempre provocam a atenção maior da mídia e do público, por estarem evidenciados constantemente na mídia ou por terem estabelecido um padrão de qualidade onde a aclamação popular os alçou à esta condição. Os artistas não enquadrados nesse seleto e bem remunerado grupo, que parecem estar 'à reboque' ou no jargão artístico 'fazem janela' para as grandes atrações, não poucas vezes chegam a surpreender o público com trabalhos unanimemente aceitos e também aclamados.

O amadurecimento do FIG é, na minha opinião, a concretização de um trabalho que foi iniciado no longíquo ano de 1990, quando da idéia do professor garanhuense Marcílio Reinaux e com a condescendência do proprietário da mais antiga FM de Garanhuns e Prefeito do município à época, Ivo Tinô do Amaral, do qual nasceu o grande evento de inverno que é o xodó de Garanhuns, orgulha pernambuco e dá exemplos ao Brasil e que chega enfim à sua vida adulta e produtiva, no limiar dos seus 23 anos.

Portanto, em todos os polos do FIG 2013, a tendência é que encontremos o que há de melhor gerado pela cultura local, regional e nacional em todos os segmentos.

A programação detalhada do FIG você encontra em todos os outros blogs, redes sociais e demais meios de mídia disponíveis.     



Um comentário:

  1. Fala Marcelo, Olá, parabens pelo blog. Nós somos o blogdoedneysouto.blogspot.com e colocamos vcs entre nossos blogs indicados e parceiros, solicitamos uma reciprocidade, desde já grato e que nossa parceria seja duradoura!!!Abraço

    ResponderExcluir