quarta-feira, 30 de março de 2011

GARANHUNS TEM CURA?


Após cerca de 40 dias no ar, nosso blog ainda não tem o grande número de acessos dos nossos colegas, há mais tempo no batente, mas nesse momento confiro mais de 1.290 acessos, o que me deixa feliz. Desde o dia 18 de fevereiro último, nos prestamos a repassar notícias boas, fatos positivos ou mesmo antever fatos que possam levantar o astral de nossos visitantes/leitores. Apesar do material para esse assunto não ser tão farto quanto as inúmeras matérias pesadas e sensacionalistas que, naturalmente pela exposição constante, geram audiência das massas e faturam dezenas de milhões nas grandes mídias tradicionais do nosso país, estamos satisfeitos por conseguirmos dar nosso  recado, receber o carinho dos amigos nas ruas e fazer parte dessa dimensão cibernética e incomensurável da net. Mas, para dar resposta a pergunta do título, devemos ser muito mais que otimistas ou pessimistas: Devemos ser realistas! Um leitor anônimo, que postou um comentário no blog do jornalista Roberto Almeida, aludia ao fato de que eu, Marcelo Jorge, por ser tão otimista deveria acreditar em Papai Noel e Coelhinho da Páscoa e creiam:, nisso eu posso até acreditar. O que eu não quero crer é que em mentes criativas, inteligentes, responsáveis e respeitáveis que nos circundam não caibam idéias que possam melhorar e ajudar a desenvolver mais nosso o município. Empresários, políticos e investidores sabem acerca do que eu estou falando. Quem acreditou em Garanhuns desde o início, sonhou,  se esforçou para implantar suas boas idéias, de forma pioneira plantou a semente do seu desenvolvimento e hoje colhe os frutos deste plantio. Assim nasceram o Hospital Perpétuo Socorro, as Rádios Marano FM e Sete Colinas FM, a G. Araújo, Jóia Magazine, a Arena Hall, O Café Ouro Verde, O Pérola, a Ferreira Costa, a Monte Sinai Veículos, a G.Vel, além das centenas de lojas de diversos segmentos e o até o Castelo dos sonhos do encanador João Capão. Essa cidade já elegeu Deputados Federais e Estaduais que fizeram dentro do que lhes era permitido o que lhes cabia. No entanto, as diversas divisões políticas e o descaso de parte da nossa população consigo mesma, abdicando de sua voz e de seu direito nos limitou e muito. Mas aí vem a parte melhor: Vejo no horizonte de hoje, todas as possibilidades de realavancarmos nosso crescimento, respeitando nossas características, cultura, geografia e clima. Não queiramos portanto, comparar Garanhuns a outros  municípios. Se passarmos a morar em um deles vivenciaremos problemas até maiores do que os que hoje presenciamos aqui. Tudo tem um preço, inclusive o desenvolvimento. Se nos prestarmos a refletir e aceitar essa verdade, estaremos prontos a dar o "start" para nosso desenvolvimento. O início da nossa cura reside basicamente, no entendimento dos males que nos afetam. Eu acredito em Garanhuns. A existência de Papai Noel e do coelhinho da Páscoa está inserida no imaginário infantil e crer ou não crer, pouca diferença fará. Mas ainda creio em bons políticos, em uma imprensa responsável e ética, nos policiais honestos, na justiça 'justa', além de crer nos garanhuenses que despertarão para um novo tempo.